Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura esportista brasileiro, veja Júlio Campos (automobilista).
Julio Campos
Prefeito Várzea Grande Flag.jpg Várzea Grande
Período 1973-1977
Antecessor Ari Campos
Sucessor Branco de Barros
Deputado federal  Mato Grosso
Período 1979-1983
1987-1991
2011-2015
Governador  Mato Grosso
Período 1983-1986
Antecessor Frederico Campos
Sucessor Wilmar Peres de Faria
Senador  Mato Grosso
Período 1991-1999
Dados pessoais
Nascimento 11 de dezembro de 1946 (72 anos)
Várzea Grande, MT
Esposa Isabel Pinto de Campos
Partido PSD, ARENA, PDS, PFL, DEM
Profissão agrônomo, engenheiro, empresario
linkWP:PPO#Brasil

Júlio José de Campos, mais conhecido como Júlio Campos (Várzea Grande, 11 de dezembro de 1946) é um político, engenheiro e empresário brasileiro. É proprietário da TV Brasil Oeste.[1]

Dados biográficosEditar

Filho de Júlio Domingos de Campos e Amália Curvo de Campos. Iniciou sua carreira política em 1964 ao filiar-se ao PSD e em 1969 formou-se em Agronomia na Universidade Estadual Paulista. Secretário de Viação e Obras Públicas em Várzea Grande foi professor da Universidade Federal de Mato Grosso e chefiou o setor de Colonização e Operações da Companhia de Desenvolvimento de Mato Grosso (CODEMAT). Eleito prefeito de Várzea Grande pela ARENA em 1972 e deputado federal em 1978, migrou para o PDS elegendo-se governador de Mato Grosso em 1982 na primeira disputa direta para o Palácio Paiaguás desde a vitória de Pedro Pedrossian em 1965. Após migrar para o PFL renunciou ao governo e foi eleito sucessivamente deputado federal em 1986 e senador em 1990 ocupando uma cadeira que já pertencera ao seu tio, Sílvio Curvo. Derrotado por Dante de Oliveira ao disputar o governo estadual em 1998, retornou ao meio empresarial até ser eleito deputado federal em 2010.

Atividade empresarialEditar

Durante sua passagem pela prefeitura de Várzea Grande, solicitou ao Governo Federal um segundo canal de televisão em Cuiabá, onde existia apenas a TV Centro América, pedido atendido em 1979 com a inauguração da TV Brasil Oeste com a posse de Frederico Campos no governo do estado, sendo que este não possui relação de parentesco com a família Campos. Durante a passagem pelo senado, conseguiu de 1995 a 1996, ter retransmissoras da TV Brasil Oeste, visto como uso político contra partidários do governador Dante de Oliveira, o que gerou polêmica. Alugou a TV Brasil Oeste que passou a exibir a programação da Igreja Mundial do Poder de Deus.

TSE devolve direitos políticos a Julio Campos, após as devidas comprovaçõesEditar

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) havia cassado por oito anos o mandato de Júlio Campos, então deputado federal, em julho de 2014, por suposta compra de votos e gasto ilícito de dinheiro público na sua campanha eleitoral. Contudo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por meio da decisão monocrática da ministra Maria Thereza, reformou a decisão do TRE por verificar que restou comprovado que tais alegações não merecem prosperar, tendo em vista a inexistência de qualquer prova neste sentido e que justifique uma cassação e inelegibilidade pelo período de oito anos. Com efeito, após as devidas comprovações, o Tribunal Superior Eleitoral devolveu os direitos políticos ao ex-prefeito, ex-governador, ex-senador e ex-deputado Julio Campos que desabafa: “O prejuízo político, eleitoral e emocional, decorrente da condenação pelo TRE é irreparável, mas nada como um dia após o outro para que, com a graça de Deus, a verdade seja restabelecida”. [2]

Referências

Ligações externasEditar