Abrir menu principal

Júlio Garcês de Lencastre (em grafia antiga Júlio Garcez de Lencastre) OCComAGOAComB (Porto, Cedofeita, 5 de Agosto de 1882[1] - Cascais, Estoril, São Pedro do Estoril, 5 de Março de 1970) foi um militar, dirigente desportivo, político, administrador colonial, académico e escritor português.

Índice

BiografiaEditar

FamíliaEditar

Filho segundo de Ernesto Teixeira de Meneses de Lencastre (6 de Dezembro de 1847 - 15 de Janeiro de 1931), Coronel-Médico, neto paterno dum primo em segundo grau do 1.° Barão de Claros, e de sua mulher Leopoldina Garcês Pinto de Madureira (20 de Setembro de 1841 - ?), filha do 1.° Barão da Várzea do Douro e sobrinha-neta do 1.° Visconde de Garcês.[1]

Futebol Clube do PortoEditar

Sendo Tenente, foi o 3.° Presidente, na qualidade de Interino, do Futebol Clube do Porto de 16 de Março a 21 de Setembro de 1911, pelo falecimento do Presidente José Monteiro da Costa.[2][3] Durante o seu curto mandato, todavia, o clube venceu o seu primeiro título, na primeira edição da Taça José Monteiro da Costa.

Casamento e descendênciaEditar

Casou em Lisboa, Anjos, a 7 de Fevereiro de 1920 com Hermínia Alice Neves da Fontoura (Porto, Cedofeita, 24 de Setembro de 1892 - Cascais, Estoril, São Pedro do Estoril, 25 de Agosto de 1942), irmã de Álvaro Eugénio Neves da Fontoura e filha de Constantino da Fontoura de Madureira Guedes, Coronel de Infantaria, e de sua mulher Maria Eugénia Ribeiro Neves, da qual teve dois filhos, Ernesto da Fontoura Garcês de Lencastre e Carlos da Fontoura Garcês de Lencastre; teve ainda, antes de casar, dois filhos naturais duma senhora de Timor, nascida em Java, Maria Eduarda Garcês de Menezes Lencastre falecida com 12 anos de idade e Júlio Garcês de Meneses de Lencastre, casado e com geração.[4]

Postos e cargosEditar

Sendo Major, foi acusado de envolvimento no Movimento Revolucionário de 7 de Fevereiro de 1927 e teve um Processo Político, mas foi ilibado de culpas pela Direcção de Justiça e Disciplina.[5]

Sendo Tenente-Coronel, foi Comandante Militar de Timor e Governador do Distrito de Luanda, na Província de Angola.[1]

Foi Administrador do Concelho e Vice-Presidente da Câmara Municipal de Cascais,[1] localidade onde fez parte da Obra de Assistência no Concelho de Cascais.[6]

Exerceu o cargo de Encarregado do Governo da Colónia de Angola entre 1934 e 1935, tendo sido antecedido por Eduardo Ferreira Viana e sucedido por António Lopes Mateus.[7][8][9]

Foi Director-Geral das Colónias[1] e responsável pela Agência Geral das Colónias.

Atingiu o posto de Coronel de Infantaria na Reserva.[1]

A 31 de Dezembro de 1966, sendo Comandante do Batalhão de Caçadores N.º 12, tomou posse como Governador do Uíge.[10]

CondecoraçõesEditar

A 5 de Outubro de 1922 foi feito Comendador da Ordem Militar de São Bento de Avis,[1] a 17 de Outubro de 1940 foi elevado a Grande-Oficial da Ordem Militar de São Bento de Avis, a 19 de Janeiro de 1942 foi feito Comendador da Ordem de Benemerência[11] e a 16 de Outubro de 1959 foi feito Oficial da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo.[12]

Obras publicadasEditar

Publicou:

  • Aspectos da administração de Timor / Júlio Garcez de Lencastre, In: Boletim da Agência Geral das Colónias - Ano V, N.º 54 (Dezembro de 1929), p. 32[13]
  • Propaganda colonial na exposição de Sevilha: a sala das colónias do pavilhão de Portugal / Júlio Garcês de Lencastre - Conferência realizada na Sala Algarve da Sociedade de Geografia de Lisboa a 29 de Junho de 1929, In: Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa - Série 47, N.ºs 9-10 (1929), pp. 311–329[14]
  • Algumas regras gramaticais da língua tetum e vocabulário / Júlio Garcez de Lencastre, In: Boletim da Agência Geral das Colónias - Ano V, N.º 54 (Dezembro de 1929), pp. 82–92[13]
  • Visita dos alunos da Escola Superior Colonial à exposição de Vincennnes / Júlio Garcês de Lencastre - Ilustrações, In: Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa - Série 49, N.ºs 9-10 (1931), pp. 326–330[14]
  • Ensaio do estado sobre paludismo, quinino e mosquito / Júlio Garcez de Lencastre, In: Anuário da Escola Superior Colonial - (1931 - 1932), pp. 101–128[13]
  • Evolução e aproveitamento do indígena colonial / Júlio Garcez de Lencaster, In: Boletim da Agência Geral das Colónias - Ano VIII, N.ºs 86-87 (1932), pp. 8–17[13]
  • Preparação moral, intelectual e profissional do indígena / Júlio Garcez de Lencatre - Conferência realizada no Colégio Vasco da Gama, In: Socieade de Geografia de Lisboa - Série 50, N.ºs 1-12 (1932), pp. 214–235[13]
  • Clima de Timor / Júlio Garcez de Lencastre, In: A terra: revista portuguesa de geofísica - N.º 14, pp. 92–97[13]
  • Timor, padrão do império: conferência / Júlio Garcez de Lencastre - Porto: Edições da 1.ª Exposição Colonial Portuguesa, 1934 - 23 pp. ; 23 cm[13]
  • Marcos da expansão do império Solor-Alor e Timor / Júlio Garcez de Lencastre - Lisboa: Boletim da Agência Geral das Colónias, 1934 - 29 pp.; 23 cm. - Separata do "Boletim Geral das Colónias, N.º 104[13]
  • Climatologia e Nosologia de Timor / Ten. Cor. Júlio Garcês de Lencastre - Lisboa: [s.n.], 1961 - 16 pp. ; 23 cm (brochado)[15]

HomenagensEditar

Tem uma Rua com o seu nome em São Pedro do Estoril, Estoril, Cascais.

Referências

  1. a b c d e f g Fernando de Castro da Silva Canedo (2.ª Edição, Braga, 1993). A Descendência Portuguesa de El-Rei D. João II. [S.l.]: Fernando Santos e Rodrigo Faria de Castro. pp. Volume I. 548  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  2. «Presidentes». Futebol Clube do Porto. Consultado em 22 de Outubro de 2015 
  3. Paulo Bizarro (Agosto de 2013). Os Filhos do Dragão http://paulobizarro.blogspot.pt/2013/08/presidentes-do-fcporto.html?m=1. Consultado em 22 de Outubro de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. Fernando de Castro da Silva Canedo (2.ª Edição, Braga, 1993). A Descendência Portuguesa de El-Rei D. João II. [S.l.]: Fernando Santos e Rodrigo Faria de Castro. pp. Volume I. 548-9  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  5. «Processo Político do Major de Infantaria Júlio Garcez de Lencastre». Consultado em 22 de Outubro de 2015 
  6. «Processo do Coronel Júlio Garcez de Lencastre». Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Consultado em 22 de Outubro de 2015 
  7. Rulers.org - Angola
  8. worldstatesmen.org - Angola
  9. African States and Rulers, John Stewart, McFarland
  10. Roberto Correia. «(201) -- CAMILO AUGUSTO M. REBOCHO VAZ -- (Governador - Geral de 14/11/1966 a 11/6/1974 --». Angola - Datas e Factos Volume V. Consultado em 22 de Outubro de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  11. «Condecoração do Coronel Júlio Garcês de Lencastre». Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Consultado em 22 de Outubro de 2015 
  12. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Júlio Garcez de Lencastre". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 22 de outubro de 2015 
  13. a b c d e f g h Memórias d'África e d'Oriente http://memoria-africa.ua.pt/Catalog.aspx?q=AU%20lencastre,%20julio%20garcez%20de. Consultado em 22 de Outubro de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  14. a b Memórias d'África e d'Oriente http://memoria-africa.ua.pt/Catalog.aspx?q=AU%20lencastre,%20julio%20garces%20de. Consultado em 22 de Outubro de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  15. Biblioteca do Exército http://biblioteca.exercito.pt/plinkres.asp?Base=BE&Form=BIBLIO&StartRec=0&RecPag=5&NewSearch=1&SearchTxt=%22AU%20LENCASTRE%2C%20J%FAlio%20Garc%EAs%20de%22%20%2B%20%22AU%20LENCASTRE%2C%20J%FAlio%20Garc%EAs%20de%24%22. Consultado em 22 de Outubro de 2015  Em falta ou vazio |título= (ajuda)[ligação inativa]
Precedido por
José Monteiro da Costa
Presidente do Futebol Clube do Porto
1911
interino
Sucedido por
Guilherme Carmo Pacheco
interino
Precedido por
Eduardo Ferreira Viana
Governador-Geral de Angola
19341935
Sucedido por
António Lopes Mateus

Ver tambémEditar