Abrir menu principal

Japanese rock

(Redirecionado de J-Rock)
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Considere a possibilidade de traduzir o texto das interwikis, se houver.
A Wikipédia possui o
Portal do Rock.

Japanese rock (日本のロック nihon no rokku?), algumas vezes abreviado como J-rock (ジェイ・ロック Jei Rokku?) [1] é o nome dado ao rock feito no Japão. Influenciado pelo rock americano e britânico na década de 1960, as primeiras bandas de rock no Japão realizaram o que se chama Grupo Sounds, com letras quase exclusivamente em inglês. A banda de rock popular Happy End no início da década de 1970 é creditada como a primeira a cantar rock na língua japonesa. A banda de punk rock The Blue Hearts e o grupo de heavy metal X Japan, lideraram bandas de rock japonesas no final da década de 1980 e início da década de 1990 ao alcançar o maior sucesso mainstream.[2] O rock japonês tornou-se um sucesso em todo o mundo, sendo amplamente conhecida na Ásia e sobreviveu através de décadas competindo com o estilo contemporâneo derivado J-pop.


HistóriaEditar

Na década de 1960, muitas bandas de rock japonesas foram influenciadas por músicos de rock ocidentais, como os Beatles, Bob Dylan e os Rolling Stones.[3] John Lennon dos Beatles tornou-se mais tarde um dos músicos ocidentais mais populares no Japão.[4]

O rock psicodélico, criado em 1960 por músicos norte-americanos e britânicos chegou ao Japão, porem ganhou uma releitura particular. O rock psicodélico apareceu no Japão em meados da década de 1960. Algumas bandas locais imitaram modelos ingleses, incluindo The Golden Cups, The Mops, The Spiders, The Dynamites e Jacks.[5]

Visual keiEditar

Derivando-se do rock japonês existe uma vertente intitulada visual kei (ビジュアル系?). O Visual kei (visual kei/bijuaru kei?, "linhagem visual" ou "estilo visual"), ou visual rock, é um movimento musical que surgiu no Japão na década de 1980. Movimento eclético onde estímulos visuais (maquiagem, cenário, roupas, etc) e musicais se fundem em busca de inovação artístico performática.[5]

Musicalmente consiste na mistura de diversas vertentes como: rock, metal, folk, pop e, em não raras vezes da incorporação de muitos traços da música clássica ocidental. Uma das características do movimento é o destaque á aparência e roupa de seus artistas. Hora impactando paradigmas sociais, outras vezes mais casual, entretanto sempre ou quase sempre muito idiossincrática e misturada a uma certa androginia em shows performáticos. No visual kei música e imagem andam lado a lado.

No Brasil e no OcidenteEditar

A princípio divulgado no Ocidente com maior fervor por trilhas sonoras de Anime e Tokusatsus, o rock japonês conquistou seu público no Brasil e em muitos outros países não asiáticos. Especificamente no contexto brasileiro, um outro possível fator para a divulgação do gênero talvez tenha sido a formação de uma expressiva cena de bandas locais inspiradas no Visual Kei e na sonoridade japonesa.

Já realizaram shows no Brasil artistas do gênero como: Asian Kung-fu Generation, Dir En Grey, Do As Infinity, Maximum The Hormone, Miyavi, Guitar Wolf, Charlotte, An Cafe, Kagrra, GPKISM, LM.C, Vivisick Robin, Versailles , X Japan,The Gazette, Vamps e Monoral.

Veja tambémEditar

Referências

  1. «A Guide to Jrock». jrockrevolution.com. Consultado em 27 de abril de 2008. Arquivado do original em 6 de maio de 2008 
  2. «What replaced the 80s band boom? 3 critics talk on 'Japanese adolescent rock. (em jaonês)». Real Sound.jp. 22 de dezembro de 2015 
  3. 究極のビートルズ来日賞味法! ビートルズが日本に与えたもの
  4. "Japan keeps Lennon's memory alive".
  5. a b Iori (2006). «Breve história do J-Rock». Editora Escala. Neo Tokyo (16): 18-27. ISSN 1809-1784 



  Este artigo sobre Rock é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.