Abrir menu principal
J. T. Meirelles
Informação geral
Nascimento 10 de outubro de 1940
Origem Rio de Janeiro
País  Brasil
Morte 03 de junho de 2008 (67 anos)
Gênero(s) Samba-Jazz
Instrumento(s) Saxofone
Período em atividade Arranjador e compositor
Afiliação(ões) João Donato, Jorge Ben, Os Copa 5

João Theodoro Meirelles (Rio de Janeiro, 10 de outubro de 1940 - Rio de Janeiro, 3 de junho de 2008), mais conhecido como J. T. Meirelles, foi um saxofonista, arranjador e compositor brasileiro.

Foi um dos principais nomes do estilo samba-jazz - fusão dos gêneros musicais samba e jazz, que surgiu no Brasil na década de 1960.[1][2][3][4]

Carreira artísticaEditar

Meirelles iniciou sua carreira profissional aos 17 anos, tocando saxofone no conjunto de João Donato. Mudou-se para São Paulo, onde atuou com o pianista Luís Loy.[2] Aos 23 anos, Meirelles foi o arranjador de canções do disco "Samba Esquema Novo" (1963), do então estreante Jorge Ben, entre as quais "Mas que Nada", o primeiro sucesso de Ben e uma das músicas brasileiras mais gravadas no mundo.[3][4]

Com a grande repercussão no trabalho com Jorge Ben, Meirelles recebeu convite, por parte do produtor musical Armando Pittigliani, da Companhia Brasileira de Discos (atualmente Universal Music), para integrar o cast de artistas da gravadora.[2] Desta maneira, Meirelles pôde fazer seus próprios discos instrumentais, sem pressões comerciais ou artísticas por parte de gravadora.[3]. De volta ao Rio de Janeiro, Meirelles recrutou talentosos músicos ligados à bossa nova - Luiz Carlos Vinhas, Dom Um Romão, Manoel Gusmão e Pedro Paulo - e formou o conjunto instrumental "Os Copa 5", que lançou o álbum "O Som" (1964) e com o qual se apresentou no Bottle's Bar do Beco das Garrafas, executando suas próprias composições.[2] No ano seguinte, produziu "O Novo Som", com uma formação totalmente renovada, que teve Eumir Deodato, Edison Machado, Roberto Menescal e Waltel Branco.[3][4]

Depois de 1965, Meirelles passaria um longo período sem compor. O músico voltou a cena somente em 2002, com o lançamento de "Samba-Jazz", com dez novas composições.[1][4] Em 2005, veio "Esquema novo", com quatro faixas inéditas e regravações de sua carreira.

Em junho de 2008, aos 67 anos, João Theodoro faleceu em decorrência de problemas no estômago.[3]

Referências

  1. a b Um dos criadores do samba-jazz se apresenta no Instrumental SESC Brasil Arquivado em 16 de julho de 2011, no Wayback Machine. - Sesc-SP, 17 de março de 2003
  2. a b c d Morre o músico J. T. Meirelles, arranjador de 'Mas que nada' - O Estado de S.Paulo, 4 de junho de 2008
  3. a b c d e Corpo do músico J.T. Meirelles é enterrado no Rio - Folha.com, 4 de junho de 2008
  4. a b c d Morre no Rio de Janeiro o músico J.T. Meirelles - G1, 5 de junho de 2008

Ligações externasEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.