J. van Rijckenborgh

Jan van Rijckenborgh (pseudônimo de Jan Leene) foi um rosacruz gnóstico, conhecido por ser o fundador e líder espiritual (grão-mestre) da Escola Espiritual da Rosacruz Áurea ou Lectorium Rosicrucianum. Nasceu em 16 de outubro de 1896 em Haarlem, Holanda[1]. Inicialmente ligado em 1924 à Fraternidade Rosacruz (Het Rozekruisers Genootschap), divisão holandesa da Rosicrucian Fellowship (movimento fundado por Max Heindel), seu trabalho se tornaria independente a partir do ano de 1935. Desde muito jovem pressentia que além dos ensinamentos exteriores das diversas igrejas, deveria existir um ensinamento interior.

Jan van Rijckenborgh (1896-1968)

Durante a Segunda Guerra Mundial, o trabalho foi proibido pelas forças de ocupação nazista. Com o final da guerra em 1945, o trabalho exterior foi retomado e passou a adotar o nome Lectorium Rosicrucianum, ou Escola Espiritual da Rosacruz Áurea, apresentando-se cada vez mais como uma escola gnóstica, "Gnosis" significando aqui o conhecimento direto de Deus, resultado de um caminho de desenvolvimento espiritual.

Dos anos 1930 aos anos 1960, Rijckenborgh publicou extensos comentários do Corpus Hermeticum (atribuído a Hermes Trismegisto), do Evangelho Gnóstico da Pistis Sophia, dos Manifestos Rosacruzes (Fama Fraternitatis, Confessio Fraternitatis e Núpcias Alquímicas de Christian Rozenkreuz), do livro Cristianópolis (de Johann Valentin Andreae), do Tao Te King e vários outros, além de diversas outras obras.

Zwier Willem Leene foi co-fundador do movimento, tendo se unido aos dois em 1930 a Sra. Catharose de Petri (pseudônimo de H. Stok-Huyser).

J. van Rijckenborgh viria a falecer em 1968, quando as atividades do Lectorium Rosicrucianum já haviam se espalhado por vários países da Europa e da América.

Livros publicados em portuguêsEditar

  • O Chamado da Fraternidade da Rosacruz (análise esotérica da Fama Fraternitatis R.C. , um manifesto dos rosacruzes do século XVII, publicado em 1614)
  • A Confissão da Fraternidade da Rosacruz (análise esotérica da Confessio Fraternitatis R.C. , um manifesto dos rosacruzes do século XVII, publicado em 1615)
  • As núpcias alquímicas de Christian Rosenkreuz (Obra em dois tomos - análise esotérica do texto rosacruz publicado em 1616)
  • Christianopolis (comentários sobre a obra de Johann Valentin Andreae)
  • A arquignosis egípcia (Obra em quatro tomos - baseada na Tabula Smaragdina e no Corpus Hermeticum de Hermes Trismegisto)
  • Os mistérios gnósticos da Pistis Sophia (Comentários do Livro I da Pistis Sophia)
  • A Gnosis em sua atual manifestação
  • A Luz do mundo
  • O mistério iniciático cristão - Dei gloria intacta
  • Desmascaramento
  • Filosofia elementar da Rosacruz moderna
  • Não há espaço vazio
  • O advento do novo homem
  • O mistério das bem-aventuranças
  • O novo sinal
  • O Nuctemeron de Apolônio de Tiana
  • Um novo chamado
  • O remédio universal

Com Catharose de PetriEditar

  • A Gnosis Chinesa (comentários sobre os 33 primeiros aforismos do Tao Te King)
  • A Fraternidade de Shamballa
  • O caminho universal
  • A Gnosis universal
  • A grande revolução
  • Reveille!

ReferênciasEditar

  1. «J. van Rijckenborgh». Biblioteca Nacional da Alemanha (em alemão). Consultado em 19 de novembro de 2019 

Ligações externasEditar