Jack Ma

empresário chinês

Mǎ Yún (em chinês: 马云; Hancheu, 10 de setembro de 1964), mais conhecido pelo pseudônimo Jack Ma, é um empresário, investidor e filantropo chinês. É o cofundador e presidente executivo do Alibaba Group, um conglomerado de tecnologia multinacional.

Jack Ma
Jack Ma
Nome completo Mǎ Yún
Nascimento 10 de setembro de 1964 (59 anos)
Hancheu
Nacionalidade Chinês
Fortuna 41,3 bilhões de USD (fevereiro de 2018)[1]
Cônjuge Cathy Zhāng Yīng
Filho(a)(s) 2
Ocupação Empresário, investidor e filantropo. Co-fundador da Alibaba Group

É considerado um dos homens mais ricos do mundo com uma fortuna de mais de 56 bilhões de dólares e visto também como um embaixador global para os negócios chineses e, como tal, frequentemente listado como uma das pessoas mais poderosas do mundo pela Forbes.[2] [3]

Biografia editar

Pouco se sabe de sua vida pessoal, mas segundo a Forbes ele chegou a ser professor de inglês antes de fundar o Alibaba. Segundo a publicação também, ele é casado, mora em Hangzhou e é formado Artes e Ciências pelo Hangzhou Teacher's Institute.[2]

Destaques editar

  • 20º homem mais rico do mundo, com uma fortuna de 58,4 bi (Forbes, 2021)[3]
  • 25º homem mais rico do mundo, com uma fortuna de 50,6 bi (Bloomberg, 2020)[4]
  • 1º mais rico da China (Forbes, 2020)[5]
  • 21ª pessoa mais poderosa do mundo (Forbes, 2018)[2][6]
  • 10º homem de negócios mais importante (Fortune0214)[7]

Atritos com o Partido Comunista Chinês editar

Apesar de em novembro de 2018 o chinês Diário do Povo ter identificado Ma como membro do Partido Comunista da China, algo que surpreendeu os observadores estrangeiros,[8][9] Ma teve um atrito com o governo em meados de 2020, após criticar o sistema regulatório do país. Então acionista de uma fintech, a Ant Group, que os analistas acreditavam ameaçar os bancos estatais chineses e também por ele ser uma pessoa influente no país, o que poderia ameaçar o poder do partido e do presidente Xi Jinping, Ma chegou a ser declarado "desaparecido" pela imprensa americana no início de 2021 após não ser visto em público por dois meses.[10][11][12]

Os atritos também fizeram com que suas empresas, a Alibaba e a fintech Ant Group, sofressem intervenção estatal.[10][11]

Segundo estimativas, após a intervenção, Ma perdeu 11 bilhões de sua fortuna.[13]

Referências

  1. «Jack Ma». Forbes (em inglês). Consultado em 3 de março de 2018 
  2. a b c «The World's Most Powerful People». Forbes (em inglês). Consultado em 3 de março de 2018 
  3. a b «Real Time Billionaires». Forbes (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  4. «Bloomberg - Are you a robot?». www.bloomberg.com. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  5. Flannery, Russell. «China's 400 Richest 2020: Total Wealth Surges Amid Pandemic». Forbes (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  6. Ewalt, David M. «The World's Most Powerful People 2018». Forbes (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  7. «Jack Ma». Fortune (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  8. Li, Shan (26 de novembro de 2018). «It's Official: China's E-Commerce King is a Communist». The Wall Street Journal (em inglês). Consultado em 22 de março de 2019 
  9. «Alibaba's Jack Ma is a Communist Party member, China state paper reveals». Reuters (em inglês). 26 de novembro de 2018. Consultado em 22 de março de 2019 
  10. a b «Como um "sincericídio" do fundador do Alibaba suspendeu o maior IPO da história». Canaltech. 5 de novembro de 2020. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  11. a b «Maior IPO do mundo é adiado indefinidamente após críticas a governo da China; entenda o imbróglio do Ant Group». InfoMoney. 19 de novembro de 2020. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  12. «Onde está Jack Ma? Bilionário desaparece após maior controle da China». Exame. 4 de janeiro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  13. «Alibaba: como o magnata chinês Jack Ma perdeu US$ 11 bilhões em 2 meses e está na mira das autoridades chinesas». G1. Consultado em 4 de janeiro de 2021 

Ligações externas editar