Abrir menu principal
Jacob Kettler
Duque da Curlândia
Duque da Curlândia
Período 17 de agosto de 1642 - 1 de janeiro de 1682
Antecessor(a) Frederico Kettler
Sucessor(a) Frederico Casimiro da Curlândia
 
Cônjuge Luísa Carlota de Brandemburgo
Descendência Luísa Isabel da Curlândia
Cristina da Curlândia
Ladislau da Curlândia
Frederico Casimiro da Curlândia
Carlota Maria da Curlândia
Maria Amália da Curlândia
Carlos Jacob da Curlândia
Fernando da Curlândia
Alexandre da Curlândia
Nascimento 28 de outubro de 1610
  Kuldīga, Letónia
Morte 1 de janeiro de 1682 (71 anos)
  Jelgava, Letónia
Pai Guilherme Kettler
Mãe Sofia da Prússia

Jacob Kettler da Curlândia (28 de outubro de 1610 - 1 de janeiro de 1682) foi um duque alemão báltico que governou o Ducado da Curlândia e Semigália entre 1642 e 1682. Durante o seu reinado, o ducado viveu os seus tempos mais próperos economicamente e iniciou uma política de colonização.

VidaEditar

Jacob Kettler nasceu em Goldingen (Kuldīga). Era o único filho de Guilherme Kettler e da duquesa Sofia da Prússia, uma filha do duque Alberto Frederico da Prússia. Era afilhado do rei Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra. Durante o reinado de Kettler, o ducado fez trocas comerciais com países como a Holanda, Portugal, Inglaterra e França. Em 1651, o duque enviou uma frota para erguer o Forte Jacob no rio Gâmbia, numa ilha que ficaria mais tarde conhecida como Ilha de Santo André na África Ocidental. Em 1654, conquistou Tobago com o Das Wappen der Herzogin von Kurland, um navio de dois andares armado com quarenta-e-cinco canhões e que transportava vinte-e-cinco oficiais, cento e vinte-e-quatro soldados da Curlândia e oitenta famílias de colonos. A colónia de Tobago recebeu o nome de Neu Kurland (Nova Curlândia).

O duque foi prisioneiro dos suecos entre 1658 e 1660, durante as Guerras do Norte. Durante este período, as colónias foram atacadas e perdidas e a sua frota foi destruída. Após o fim da guerra, Jacob reconstruiu a frota do ducado e voltou a conquistar a ilha de Tobago aos dinamarqueses. Alguns acreditam que o duque também tinha planos para colonizar a Austrália, que, na altura, tinha sido descoberta e reclamada pelos dinamarqueses com quem a Curlândia estava em guerra. Terá recebido a bênção do papa Inocêncio para seguir com este plano. Contudo, o papa morreu pouco depois e o que o substituiu não estava disposto a apoiá-lo. O duque morreu em Mitau (Jelgava), a 1 de janeiro de 1682.

Casamento e descendênciaEditar

Jacob Kettler casou-se no dia 9 de outubro de 1645 com a marquesa Luísa Carlota de Brandemburgo, filha do príncipe-eleitor Jorge Guilherme de Brandemburgo. O casal teve dez filhos:

GenealogiaEditar

Os antepassados de Jacob Kettler em três gerações[1]
Jacob Kettler Pai:
Guilherme Kettler
Avô paterno:
Gotardo Kettler
Bisavô paterno:
Gotardo Kettler de Melrique
Bisavó paterna:
Sofia de Nesselrode
Avó paterna:
Ana de Mecklemburgo
Bisavô paterno:
Alberto VII de Mecklemburgo
Bisavó paterna:
Ana de Brandemburgo
Mãe:
Sofia da Prússia
Avô materno:
Alberto Frederico da Prússia
Bisavô materno:
Alberto da Prússia
Bisavó materna:
Ana Maria de Brunswick-Lüneburg
Avó materna:
Maria Leonor de Cleves
Bisavô materno:
Guilherme de Jülich-Cleves-Berg
Bisavó materna:
Maria da Áustria

Referências

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Jacob Kettler