Abrir menu principal
Jacques-André Naigeon
Retrato de um Jovem Artista, que se presume ser Jacques-André Naigeon, por Jean-Honoré Fragonard
Nome completo Jacques-André Naigeon
Nascimento 15 de julho de 1738
Paris, França
Morte 28 de fevereiro de 1810 (71 anos)
Paris, França
Residência Paris
Nacionalidade francês
Ocupação literário, filósofo, artista e editor
Principais trabalhos Philosophie ancienne et moderne (1791-1794)
Prémios Legião de Honra
Religião nenhuma (ateu)

Jacques-André Naigeon (Paris, 15 de julho de 1738 — Paris, 28 de fevereiro de 1810) foi um artista, editor, literário e filósofo francês. Ficou conhecido por suas contribuições à Encyclopédie, editada por Denis Diderot e Jean d'Alembert, e por retrabalhar os manuscritos de Diderot e Paul-Henri Thiry, o Barão d'Holbach. Assim como seus contemporâneos Diderot, d'Alembert e d'Holbach, Naigeon era ateu materialista.[1][2][3] Como tal, escreveu artigos que atacavam indiretamente o Cristianismo e, durante a Revolução Francesa, militou pela separação Igreja-Estado e pela limitação do poder da monarquia, ainda que não aceitasse a democracia. Foi condecorado com a Legião de Honra e nomeado ao Institut de France em 1795, onde tornou-se presidente das classes de língua e literatura francesas em 1807.[4]

TrabalhosEditar

  • Les Chinois, uma comédia escrita com Charles Simon Favart (1756)
  • Le Militaire philosophe ou, Difficultés sur la religion proposées au R.P. Malebranche (Londres e Amsterdã, 1768)
  • Éloge de La Fontaine (1775)
  • Adresse à l'Assemblée nationale sur la liberté des opinions (1790)
  • Dictionnaire de philosophie ancienne et moderne, 3 volumes (1791-1794)
  • Mémoire sur la vie et les œuvres de Diderot (1821)

Referências

Ligações externasEditar