Jan Tinbergen

Jan Tinbergen
Conhecido(a) por Primeiro modelo nacional de macroeconômicas
Nascimento 12 de abril de 1903
Haia
Morte 9 de junho de 1994 (91 anos)
Haia
Nacionalidade Neerlandês
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Economia (1969)
Orientado(s) Isaac Kerstenetzky
Campo(s) Economia

Jan Tinbergen (Haia, 12 de abril de 1903 — Haia, 9 de junho de 1994) foi um holandês economista que recebeu o primeiro Prêmio Nobel em Ciências Económicas em 1969, que compartilhou com Ragnar Frisch por ter desenvolvido e aplicado modelos dinâmicos para a análise dos processos econômicos. Ele é amplamente considerado um dos economistas mais influentes do século 20 e um dos fundadores da econometria.[1][2] Tem-se argumentado que o desenvolvimento dos primeiros modelos macroeconométricos, a solução do problema de identificação e a compreensão dos modelos dinâmicos são seus três legados mais importantes para a econometria.[3] Tinbergen foi um curador fundador da Economists for Peace and Security . Em 1945, ele fundou o Bureau for Economic Policy Analysis (CPB) e foi o primeiro diretor da agência.

TrabalhoEditar

 
Ministro Pronk , Tinbergen e De Seynes em um simpósio de economia em Haia, 23 de maio de 1975

Para muitos, Jan Tinbergen tornou-se conhecido pela chamada 'Norma Tinbergen', frequentemente discutida muito depois de sua morte. Não há nenhum trabalho escrito de Tinbergen em que ele mesmo o declare formalmente.[4] Em geral, acredita-se ser o princípio que, se a proporção entre a maior e a menor renda for superior a 5, torna-se desvantajoso para a unidade social envolvida. O próprio Tinbergen discutiu alguns aspectos técnicos de uma proporção de distribuição de renda de cinco para um em um artigo publicado em 1981.[5] Além de detalhes sobre uma proporção de cinco para um, é verdade em geral que o grande tema de Tinbergen era distribuição de renda e a busca por uma ordem social ótima.

Tinbergen desenvolveu o primeiro modelo macroeconômico abrangente nacional , que ele desenvolveu pela primeira vez em 1936 para a Holanda, e mais tarde aplicado aos Estados Unidos e ao Reino Unido.[6]

Em seu trabalho sobre modelagem macroeconômica e formulação de política econômica, Tinbergen classificou algumas quantidades econômicas como metas e outras como instrumentos .  Metas são aquelas variáveis ​​macroeconômicas que o formulador de políticas deseja influenciar, enquanto os instrumentos são as variáveis ​​que o formulador de políticas pode controlar diretamente. Tinbergen enfatizou que atingir os valores desejados de um certo número de metas requer que o formulador de políticas controle um número igual de instrumentos. Isso é conhecido como Regra de Tinbergen.[7]

A classificação de Tinbergen permanece influente hoje, subjacente à teoria da política monetária usada pelos bancos centrais . Muitos bancos centrais hoje consideram a taxa de inflação como sua meta; o instrumento de política que usam para controlar a inflação é a taxa de juros de curto prazo.[8]

O trabalho de Tinbergen em modelos macroeconômicos foi posteriormente continuado por Lawrence Klein, contribuindo para outro Prêmio Nobel de Ciências Econômicas . Por suas contribuições culturais, ele recebeu o Gouden Ganzenveer em 1985.[9]

A modelagem econométrica de Tinbergen levou a um debate animado com vários participantes conhecidos, incluindo JM Keynes, Ragnar Frisch e Milton Friedman. O debate às vezes é chamado de debate Tinbergen.[10][11]

Publicações selecionadasEditar

  • Business Cycles in the United States, 1919–1932, Geneva, 1939 and New York, 1968
  • Business Cycles in the United Kingdom, 1870–1914, Amsterdam, 1951
  • On the Theory of Economic Policy. Second edition (1952) is Volume 1 of Contributions to Economic Analysis, Amsterdam: North-Holland.
  • Centralization and Decentralization in Economic Policy, Amsterdam, 1954 ISBN 0-313-23077-3.
  • Economic Policy: Principles and Design, Amsterdam, 1956
  • The Element of Space in Development Planning (together with L.B.M. Mennes and J.G. Waardenburg), Amsterdam, 1969
  • The Dynamics of Business Cycles: A Study in Economic Fluctuations. Chicago: U of Chicago P, 1974. ISBN 0-226-80418-6.
  • Der Dialog Nord-Süd: Informationen zur Entwicklungspolitik. Frankfurt am Main: Europ. Verlagsanstalt, 1977.
  • Economic policy: Principles and Design. Amsterdam, 1978. ISBN 0-7204-3129-8.
Sobre Tinbergen
  • Acocella, Nicola, Di Bartolomeo, Giovanni (2006), ‘Tinbergen and Theil meet Nash: controllability in policy games’, in: ‘Economics Letters’, 90(2): 213–218.
  • Acocella, Nicola, Di Bartolomeo, Giovanni and Hughes Hallett, A. [2010], ‘Policy games, policy neutrality and Tinbergen controllability under rational expectations’, in: ‘Journal of Macroeconomics’, 32(1): 55–67.
  • Acocella, Nicola Di Bartolomeo, Giovanni and Hughes Hallett, A. [2011], ‘Tinbergen controllability and n-player LQ-games’, in: ‘Economics Letters’, 113: 32–4.
  • Murshed, SM. 2021. "Reformulating Jan Tinbergen’s normative vision on welfare and security." Journal of Peace Research.

ReferênciasEditar

  1. Magnus, Jan & Mary S. Morgan (1987) The ET Interview: Professor J. Tinbergen in: 'Econometric Theory 3, 1987, 117-142.
  2. Willlekens, Frans (2008) International Migration in Europe: Data, Models and Estimates. New Jersey. John Wiley & Sons: 117.
  3. Magnus, Jan & Mary S. Morgan (1987) The ET Interview: Professor J. Tinbergen in: 'Econometric Theory 3, 1987, 117-142.
  4. Akkerboom, Broer. «De Tinbergennorm bestaat niet». Me Judice, 14 Mei 2015 
  5. Tinbergen, Jan (1981). «Misunderstandings concerning income distribution policies» (PDF). De Economist. 129 (1). 13 páginas. CiteSeerX 10.1.1.1030.5758 . doi:10.1007/BF01705865 
  6. Dhaene, G.; Barten, A. P. (1989). «When it all began». Economic Modelling. 6 (2). 203 páginas. doi:10.1016/0264-9993(89)90005-9 
  7. Del Rio, Pablo; Howlett, Michael P. (2013). «Beyond the'Tinbergen Rule'in Policy Design: Matching Tools and Goals in Policy Portfolios.». Lee Kuan Yew School of Public Policy Research Paper (13–01). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  8. Blinder, Alan (1999), Central Banking in Theory and Practice. MIT Press, ISBN 0262522608.
  9. «Laureaten De Gouden Ganzenveer vanaf 1955». Stichting De Gouden Ganzenveer. 2009. Consultado em 28 de julho de 2009. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2009 
  10. Leeson, R. (1998). «The Ghosts I Called I Can't Get Rid of Now: the Keynes-Tinbergen-Friedman-Phillips Critique of Keynesian Macroeconometrics» (PDF). History of Political Economy. 30 (1): 51–94. doi:10.1215/00182702-30-1-51 
  11. Louçã, F. (1999). «The econometric challenge to Keynes: Arguments and contradictions in the early debates about a late issue» (PDF). The European Journal of the History of Economic Thought. 6 (3): 404–438. doi:10.1080/10427719900000074 [ligação inativa]

Ligações externasEditar


Precedido por
Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel
1969
com Ragnar Anton Kittil Frisch
Sucedido por
Paul Samuelson


O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Jan Tinbergen