Abrir menu principal

Jandira Café

19.ª Primeira-dama da República Federativa do Brasil
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde janeiro de 2012). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jandira Café
19.ª Primeira-dama do Brasil
Período 24 de agosto de 1954
até 8 de novembro de 1955
Presidente Café Filho
Antecessor Darcy Vargas
Sucessor Graciema da Luz
13.ª Segunda-dama do Brasil
Período 31 de janeiro de 1951
até 24 de agosto de 1954
Vice-presidente Café Filho
Antecessor Beatriz Ramos
Sucessor Maria Thereza Goulart
Dados pessoais
Nascimento 14 de setembro de 1904
Morte 28 de fevereiro de 1989 (84 anos)
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Café Filho (1931–1970)

Jandira Carvalho de Oliveira Café (4 de setembro de 190428 de fevereiro de 1989) foi a primeira-dama do Brasil de 1954 a 1955 como esposa do 18.º Presidente do Brasil, João Fernandes Campos Café Filho. Ela também serviu como segunda-dama do Brasil de 1951 até o suicídio de Getúlio Vargas em 1954.

Índice

BiografiaEditar

Era filha de Ovídio Fernandes de Oliveira e Joana Hercília Carvalho, sendo descendente da família Teixeira de Moura. Casou em setembro de 1931 com João Café Filho, e tiveram um único filho, Eduardo, nascido em 1943 e morto num acidente aeronáutico em 1974.[1] Residiram em Copacabana, Rio de Janeiro.

Jandira se manteve sempre ao lado do marido, desde quando ele largou o esporte em 1920 para atuar no jornalismo — fato que acabou o levando a ser perseguido pelas oligarquias da época —, passando pela presidência da República e até o fim de sua vida.[2]

Em 1923, Café Filho participou de um manifesto em favor de aumento salarial aos estivadores, o que acabou gerando uma greve geral em Natal, capital do Estado. Jandira que o acompanhava, teve que fugir junto com o marido de um cerco policial para Bezerros, em Pernambuco.[3][4]

Futebol femininoEditar

Jandira em sua juventude, foi atleta e uma das jogadoras que atuava no Centro Esportivo Natalense, primeira agremiação do Rio Grande do Norte que montou uma equipe feminina, tendo como fundador o seu futuro marido Café Filho.[2]

Primeira-dama do BrasilEditar

Jandira tornou-se a primeira-dama do Brasil após o suicídio de Getúlio Vargas em 24 de agosto de 1954, sucedendo Darcy Vargas. Em 6 de janeiro de 1955 participou junto a Organização das Voluntárias na Faculdade Santa Úrsula, da segunda distribuição do programa do Natal de 1954, patrocinado pelo presidente da República, Café Filho. A ação foi para benefício de famílias carentes do Distrito Federal, com donativos doados pelos católicos norte-americanos. A primeira distribuição beneficiou cerca de 50 mil crianças e entidades de assistência.[5] Patrocinou um churrasco no Forte de Copacabana em favor da arrecadação de fundos para a construção da Igreja de Nossa Senhora de Copacabana, em 16 de junho de 1955.[6]

Viuvez e morteEditar

Com a morte do marido em 1970, Jandira veio a falecer 19 anos depois, aos 84 anos.

Ver tambémEditar

Referências

  1. por, Postado; Lyra, erson Tavares de. «Ascendência e descendência de João Café Filho». Consultado em 8 de junho de 2019 
  2. a b «O presidente e a primeira-dama que amavam o futebol feminino». Tribuna do Norte. Consultado em 8 de junho de 2019 
  3. https://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/verbetes/primeira-republica/CAF%C3%89%20FILHO.pdf
  4. Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOAO CAFE FILHO». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 8 de junho de 2019 
  5. «Coleção Digital de Jornais e Revistas da Biblioteca Nacional.». memoria.bn.br. Consultado em 10 de junho de 2019 
  6. «Coleção Digital de Jornais e Revistas da Biblioteca Nacional.». memoria.bn.br. Consultado em 10 de junho de 2019 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.