Abrir menu principal
Jayme Henrique Chemello
Bispo da Igreja Católica
Bispo-emérito da Pelotas
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita Dom Jacinto Bergmann
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Pelotas
Nomeação 1 de setembro de 1977
Entrada solene 4 de novembro de 1977
Predecessor Dom Antônio Zattera
Sucessor Dom Jacinto Bergmann
Mandato 1977 - 2009
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 16 de dezembro de 1958
Igreja Matriz de São Marcos
por Dom Antônio Zattera
Nomeação episcopal 11 de fevereiro de 1969
Ordenação episcopal 20 de abril de 1969
Catedral de Pelotas
por Dom Antônio Zattera
Brasão episcopal
BishopCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento São Marcos, RS, Brasil
28 de julho de 1932 (86 anos)
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Isabel Menegat
Pai: Francisco Chemello
Funções exercidas Bispo-auxiliar de Pelotas (1969-1977)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Jayme Henrique Chemello (São Marcos, 28 de julho de 1932) é um bispo católico, Bispo Emérito de Pelotas.

VidaEditar

Nasceu no município de São Marcos em 28 de julho de 1932. Filho de Francisco Chemello e Isabel Menegat Chemello. Recebeu o sacramento do Batismo em 4 de setembro de 1932 e foi crismado aos 23 de maio de 1933, por Dom João Becker, arcebispo de Porto Alegre.

Ingressou no Seminário São Francisco de Paula de Pelotas em 27 de fevereiro de 1945, onde fez o curso Ginasial (ensino fundamental) de 1945 a 1948 e o curso Colegial (ensino médio), de 1949 a 1951.

Cursou Filosofia no Seminário Pontifício de Buenos Aires, de 1952 a 1954 e Teologia na Pontifícia Faculdade de Teologia, em Buenos Aires, de 1955 a 1958.

Foi ordenado Sacerdote aos 16 de dezembro de 1958, na Igreja Matriz de São Marcos, por Dom Antônio Zattera. O lema de vida sacerdotal foi: Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância. Já no ano de sua ordenação foi vigário-Cooperador da Catedral, Diretor Diocesano de Catequese, Assistente da Juventude Universitária Católica (JUC), da Juventude Estudantil Católica (JEC), da Juventude Independente Católica (JIC), do Movimento Familiar Cristão (MFC) e dos Escoteiros.

Em 1959 deixou o cargo de Cooperador da Catedral, permanecendo com as demais funções, acrescidas da de Professor de Religião e Filosofia em Colégios da cidade, e de Capelão do Colégio Gonzaga.

Em 1961 deixou a Capelania do Gonzaga e assumiu a Coordenação Diocesana de Pastoral e a função de professor de Deontologia Médica na UCPEL. Em 1965 foi nomeado Reitor do Seminário Diocesano e Auxiliar da Coordenação de Pastoral, permanecendo Assistente do Movimento Familiar Cristão.

EpiscopadoEditar

Em 11 de fevereiro de 1969 o Papa Paulo VI o nomeou para bispo-auxiliar de Pelotas com a sede titular de Bisica. Foi ordenado Bispo na Catedral de Pelotas no dia 20 de abril de 1969, assumindo a função de Bispo-Auxiliar da Diocese de Pelotas.

Novamente o Papa Paulo VI nomeia Dom Jayme, desta vez para ser bispo diocesano, no dia 1 de setembro de 1977. Em 4 de novembro de 1977, pela renúncia de Dom Antônio Zattera, tomou posse como Bispo Diocesano, sendo o quarto Bispo de Pelotas.

Em 1979 participou da 3ª Conferência Episcopal Latino-Americano, em Puebla, México. A história desta Conferência registra a importante contribuição de Dom Jayme na definição do eixo teológico-pastoral do Documento de Puebla: a perspectiva de comunhão e participação em toda ação evangelizadora.

Entre 1988 e 1994 coordenou da Dimensão Comunitária e Participativa da CNBB, no Setor de Vocações e Ministérios. Em 1990 participou em Roma do Sínodo dos Bispos sobre Formação Sacerdotal. De 1991 a 1994 coordenou o Departamento de Vocações e Ministérios do CELAM.

Em 1992 participou da 4.ª Conferência Episcopal Latino Americana, em Santo Domingo. Em 1994 foi eleito vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e participou do Sínodo dos Bispos sobre Vida Consagrada, em Roma.

Em Roma, em 1997, Dom Jayme participou de outro sínodo, o Sínodo dos Bispos para a América.

No dia 25 de junho de 1998 assumiu a presidência da CNBB, no posto do Cardeal Moreira Neves que fora chamado pelo Papa João Paulo II para ser prefeito da Congregação para os Bispos. Em 1999 foi eleito presidente da CNBB para o mandato até 2002.

De 2005 a 2011 foi Presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia, no Projeto de Evangelização da Amazônia, da CNBB. No mesmo ano foi nomeado Presidente da Comissão encarregada da preparação da 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho, no Brasil, e Delegado da CNBB no CELAM.

Em maio de 2007 participou da 5ª Conferência Episcopal Latinoamericana e caribenha, em Aparecida, como delegado eleito pela CNBB.

No dia 1 de julho de 2009 a sua renúncia ao governo da Diocese de Pelotas foi aceita pelo Papa Bento XVI.

Ligações externasEditar

Precedido por
Dom Antônio Zattera
Bispo de Pelotas
1977 - 2009
Sucedido por
Dom Jacinto Bergmann
  Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.