Jediísmo

Jediísmo ou jedaísmo é um movimento, considerado por alguns uma filosofia não religiosa[1][2] e por outros declaradamente uma religião,[3][4] baseado nas ideias filosóficas e espirituais dos cavaleiros Jedi de Star Wars.[5]

O jediísmo atraiu a atenção pública em 2001, quando várias pessoas registraram sua religião como "jedi" nos censos nacionais, após uma campanha mundial por e-mail ter disseminado pedidos às pessoas para que escrevessem "Jedi" como resposta à pergunta sobre classificação de religião em seus países, resultando no fenômeno do censo Jedi. Presume-se que a maioria desses entrevistados tenha reivindicado a fé como uma piada.[6][7][8] O censo de 2001 no Reino Unido revelou que 390.000 pessoas declararam sua religião como sendo "Jedi", o que a tornaria a quarta maior religião do Reino Unido, após o Cristianismo, Islamismo e Hinduísmo. Também se estima haver 70.000 professos cavaleiros Jedi na Austrália, 53.000 na Nova Zelândia e 20.000 no Canadá.[9] O movimento jedaísta do mundo real não tem fundador ou estrutura central.[10]

Código JediEditar

Há duas versões canônicas. Uma versão mais conhecida:[11]

Não há emoção, há paz
Não há ignorância, há conhecimento
Não há paixão, há serenidade
Não há caos, há harmonia
Não há a morte, há a Força.

Versão recitada pelos aprendizes Jedi:[12]

Emoção, mas paz.
Ignorância, mas conhecimento.
Paixão, mas serenidade.
Caos, mas harmonia.
Morte, mas a Força.

Filosofia do JediísmoEditar

Jediístas compreendem que a crença na Força é natural, seguindo a lógica filosófica de que Deus é imensurável e inominável. A religião jediísta tem sido desenvolvida com base em teorias comparativas com relação a uma espécie muito particular de humanismo, utilizando se de características presentes em outras culturas como o budismo, o zen budismo e o movimento monástico europeu.

Por possuir uma uma organização e hierarquia, além de símbolos, rituais e crenças sobrenaturais (a Força), caracteriza-se como religião, apesar de não exigir exclusividade de seus membros, que podem ser católicos e jedis, umbandistas e jedis, ou até mesmo ateus e jedis.

No Brasil existem algumas dessas células jediístas nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, porém a religião que procura atrair millenials existe mais de maneira virtual em redes sociais e fóruns.

Reconhecimento legalEditar

Estados UnidosEditar

Em 2005, o Temple of the Jedi Order (Templo da Ordem Jedi) foi registrado no Texas. Foi concedida a sua isenção do IRS em 2015.[13]

Reino UnidoEditar

Em 2007,[14] Daniel Jones, de 23 anos, fundou a The Church of Jediism com seu irmão Barney, acreditando que o censo de 2001 no Reino Unido reconheceu o Jediismo como uma religião e que havia "mais Jedi do que cientologistas na Grã-Bretanha".[7]

Em 2013, a Igreja Livre da Escócia expressou preocupação de que um proposto projeto de lei de casamento e parceria civil (Marriage and Civil Partnership (Scotland) Act 2014) levaria "ao casamento Jedi de Star Wars de casais". Patrick Day-Childs, da The Church of Jediism, e o Rev. Michael Kitchen, do Temple of the Jedi Order, defenderam o direito de Jedi realizarem cerimônias de casamento.[15][16]

Em dezembro de 2016, a Comissão de Caridade para a Inglaterra e País de Gales rejeitou um pedido de concessão de status de organização de caridade ao Templo da Ordem Jedi, declarando que o grupo não "promove melhorias morais ou éticas" para fins de leis de caridade.[1]

TurquiaEditar

Em abril de 2015, os estudantes da Universidade Dokuz Eylül, na Turquia, iniciaram uma petição no Change.org exigindo a construção de um templo Jedi no campus. A petição foi uma resposta a uma petição anterior que exigia uma mesquita no campus da Universidade Técnica de Istambul (İTÜ). A petição que exigia a mesquita alcançou 180.000 assinaturas, aquém de sua meta de 200.000, e invocou uma resposta de Mehmet Karaca, reitor da Universidade Técnica de Istambul (İTÜ), prometendo "uma mesquita de referência". Logo depois, estudantes de outras universidades iniciaram petições exigindo templos Jedi e budistas em seus campi.[17][18]

Referências

  1. a b «Jedi not a religion, ruling says». BBC News (em inglês). 19 de dezembro de 2016 
  2. Cheung, Tommy (1 de junho de 2019). «Jediism: Religion at Law?». Oxford Journal of Law and Religion (em inglês). 8 (2): 350–377. ISSN 2047-0770. doi:10.1093/ojlr/rwz010 
  3. Shea, Christopher D. (23 de janeiro de 2017). «'The Last Jedi'? In Real Life, Jedi Can Be a Religion». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  4. Hoffman, Jordan (21 de dezembro de 2016). «Force of argument: why Jediism should be recognised as a religion». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  5. Hume, Lynne; McPhillips, Kathleen (2006). Popular spiritualities: the politics of contemporary enchantment. Ashgate Publishing, Ltd. p. 59. ISBN 978-0-7546-3999-2.
  6. Taylor, Henry (11 de dezembro de 2012). «'Jedi' religion most popular alternative faith» (em inglês). ISSN 0307-1235 
  7. a b Carole M. Cusack (15 de setembro de 2010). Invented Religions: Faith, Fiction, Imagination. Ashgate Publishing, Ltd. p. 125. ISBN 978-0-7546-6780-3.
  8. Perrott, Alan (31 de agosto, 2002). "Jedi Order lures 53,000 disciples". The New Zealand Herald. APN News & Media.
  9. «Jedi Knights demand Britain's fourth largest 'religion' receives recognition» (em inglês). Daily Mail. 16 de novembro de 2006. Consultado em 5 de agosto de 2010 
  10. Nancy K. Grant Ph. D.; Ph. D. Diana J.; Mansell R. N. (30 October 2008). A Guidebook to Religious and Spiritual Practices for People Who Work With People. iUniverse. pp. 249–251. ISBN 978-0-595-50527-2. Retrieved 16 July 2012.
  11. Golden, Christie (2015). Dark Disciple. [S.l.: s.n.] ISBN 9780147526458. OCLC 913786778 
  12. Weisman, Greg; Larraz, Pepe. Kanan 7: First Blood, Part I: The Corridors of Coruscant. Marvel Comics. 2015.
  13. "IRS Determination Letter"
  14. Wells, Jonathan (2015-12-15). "Inside the Church of Jediism: what it's like to follow The Force". Telegraph.
  15. McKenzie, Steven "Star chores: Do Jedi want to marry people?", BBC News, London, 20 março de 2013.
  16. Hudson, Tony "Marry you, I will: Jedi strike back over weddings criticism", Politics UK, 25 de março de 2013.
  17. "Thousands of Turkish students sign petition to build Jedi Temple on university campus". The Independent. 8 de abril de 2015.
  18. "Turkish University students demand Jedi, Buddhist temples amid mosque frenzy". Hurriyet Daily News. 6 de abril de 2015.

Ligações externasEditar