Abrir menu principal

João (conde dos tesouros sagrados)

João
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação Oficial
Soldo de Arcádio (r. 395–408)

João (em latim: Ioannis) foi um oficial bizantino dos séculos IV e V que esteve ativo durante o reinado do imperador Arcádio (r. 395–408). Em 399/400, foi uma das figuras mais importantes do governo de Constantinopla. Um confiável conselheiro de Arcádio, popularmente acreditou-se que era o amante da imperatriz Élia Eudóxia (r. 395–404), havendo inclusive rumores de que fosse o verdadeiro pai de Teodósio II (r. 408–450).[1]

No começo de 400, João, Aureliano e Saturnino foram rendidos pelo inimigo deles, Gainas, que os sentenciou a morte, mas depois os enviou em exílio. Com a queda de Gainas no mesmo ano, os oficiais puderam retornar do exílio. Em seu retorno, João foi acusado, talvez por Fravita, de promover a cisão entre os imperadores oriental e ocidental, porém conseguiu obter o apoio da corte e acabou inocentado. Pela mesma época, também foi acusado por João Crisóstomo de incitar um motim no exército.[1]

Quando foi acusado por João Crisóstomo, 401/403, as fontes relatam que João era um conde, talvez consistoriano. Em 404, foi nomeado conde dos tesouros sagrados e testemunhou, junto de outros notáveis de Constantinopla, um inventário da propriedade da Igreja no momento que os apoiantes de João Crisóstomo foram perseguidos. João talvez possa ser identificado com o João mencionado como amigo de Antíoco numa carta de Sinésio.[2]

Referências

  1. a b Martindale 1980, p. 593.
  2. Martindale 1980, p. 593-594.

BibliografiaEditar

  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1980). The prosopography of the later Roman Empire - Volume 2. A. D. 395 - 527. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press