João Batista de Oliveira

político brasileiro
João Batista de Oliveira
Nascimento 1800
Vila Bela da Santíssima Trindade
Morte 14 de janeiro de 1879 (79 anos)
Cuiabá
Cidadania Brasil
Ocupação político

João Batista de Oliveira, primeiro e único barão de Aguapeí, (Aguapeí, c. 1800Cuiabá, 14 de janeiro de 1879) foi um militar e político brasileiro, chegando à patente de brigadeiro do exército e chefiando até sua morte o Partido Liberal.

Assumiu o governo de Mato Grosso no período de 02 de março de 1878 até 06 de julho de 1878.

A nomeação ao governoEditar

O político paulista Bento de Paula Souza foi nomeado presidente da província de Mato Grosso por decreto imperial de 16 de janeiro de 1878, tendo como 1º vice-presidente o Barão de Aguapehy(Barão de Aguapeí), e 2º vice-presidente o desembargador Firmo José de Mattos[1].Entretanto, Paula Souza recusaria o cargo em 22 de janeiro de 1878[2]preferindo continuar na província de São Paulo, onde era redator da Gazeta Rio-Clarense, de São João do Rio Claro, cidade que tentou ligar por estrada de ferro até Campinas pela Companhia d´Oeste[3].Acabaria fundando em 1879 na capital paulista o jornal Constituinte, porta-voz do Partido Liberal em São Paulo[4]e seria eleito deputado em 1880 após abertura das vagas na assembleia com a saída dos deputados José Bonifácio (o Moço) e conselheiro Carrão para o Senado.[5]

BiografiaEditar

Era o terceiro filho do major do exército António Bernardo de Oliveira, português, e de Ana d´Alincourt, também portuguesa. Casou-se com Maria Alves da Cunha Ribeiro, prima do barão de Poconé. O casal teve uma única filha, Antônia Guilhermina de Oliveira, que se chamaria Antônia Guilhermina da Silva Pereira, ao se casar com Caetano Xavier da Silva Pereira.[6]

Foi presidente da província de Mato Grosso, de 13 de abril a 7 de setembro de 1868 e de 2 de março a 6 de julho de 1878.

Títulos nobiliárquicos e honrariasEditar

Barão de Aguapeí

Título conferido por decreto imperial em 20 de maio de 1863.[7] Faz referência à localidade onde nasceu o nobre, Aguapeí; o termo vem do tupi a'gwa (redondo) + pewa (chato), sendo aguapé o termo tupi para vitória-régia.

Referências

  1. Dezenove de Dezembro (Curitiba) (23 de janeiro de 1878). «Noticiário». Consultado em 17/12/2020 
  2. O Cruzeiro (Rio de Janeiro (23 de janeiro de 1878). «Constava a Província de S. Paulo». Consultado em 17/12/2020 
  3. Bento de Paula Souza (17 de dezembro de 1871). «Collaboração.Gazeta de Campinas». Consultado em 17/12/2020 
  4. «A Constituinte, orgam liberal». Consultado em 17/12/2020 
  5. Jornal do Recife (16 de fevereiro de 1880). «S.Paulo, datas até 8 deste mez». Consultado em 17/12/2020 
  6. Mesquita, José (1992). Nobiliario Mattogrossense. [S.l.]: Editora Resenha Tributária. 132 páginas 
  7. VASCONCELOS, José Smith de; VASCONCELOS, Rodolfo Smith de (1918). Archivo nobiliarchico brasileiro. Lausanne: Imprimerie La Concorde. p. 30 

Ligações externasEditar

  1. Relatório apresentado ao ilmo. e exmo. sr. dr. José Vieira Couto de Magalhães, presidente da província de Mato Grosso, pelo vice-presidente Barão de Aguapeí ao entregar a administração da mesma província em 7 de julho de 1868


Precedido por
José Vieira Couto de Magalhães
Presidente da província de Mato Grosso
1868
Sucedido por
José Vieira Couto de Magalhães
Precedido por
Hermes Ernesto da Fonseca
Presidente da província de Mato Grosso
1878
Sucedido por
João José Pedrosa