Abrir menu principal
João Bethencourt
Nome completo João Estevão Weiner Bethencourt
Nascimento 10 de dezembro de 1924
Budapeste
Morte 31 de dezembro de 2006 (82 anos)
Rio de Janeiro, RJ

João Estevão Weiner Bethencourt [1](Budapeste, 10 de dezembro de 1924Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 2006[2]) foi um dramaturgo, diretor, ator, tradutor de teatro húngaro, que veio para o Brasil com dez anos de idade, em 1933.

Formou-se na Universidade de Yale nos Estados Unidos, onde recebeu o diploma de Mestre em Artes (Master of Fine Arts, MFA). Em Yale, Bethencourt foi colega de Paul Newman, Frank Gilroy; Klaus von Wahl, entre outros.

Participou de mais de 50 peças, entre elas a primeira montagem de A Gaiola das Loucas, nos anos 70, a qual traduziu. Escreveu peças como O Dia em Que Raptaram o Papa, que é o texto brasileiro mais encenado no exterior, recebendo, inclusive, uma crítica elogiosa no Osservatore Romano, órgão oficial do Vaticano. Um de seus últimos trabalhos foi a direção de O Avarento, de Moliére, estrelada por Jorge Dória que ficou 5 anos em cartaz.

Escreveu várias peças para Dercy Gonçalves, como Coco, My Darling e La Mamma, ambas adaptadas por João para a Rede Globo, em 1988 e 1990, respectivamente.

Foi autor do diálogo do filme Um ramo para Luiza, de 1965, e dos roteiros de Enfim sós... com o outro, de 1968; Missão: matar, de 1972; e A viúva virgem, de 1974.

Em 1968 realizou o documentário Fragmentos de Dois Escritores[3].

Morreu aos 82 anos, de infecção generalizada decorrente de problemas intestinais.[4]

Referências

  1. Enciclopédia Itaú Cultural de Teatro. "Bethencourt, João (1924 - 2006)"
  2. MURAT, Rodrigo João Bethencourt - O Locatário da Comédia. São Paulo: Imprensa Oficial. Coleção Aplauso, 2007
  3. Filme raro com Nelson Rodrigues é redescoberto nos EUA Jornal Folha de S.Paulo - acesso em 6 de fevereiro de 2012
  4. Morre o dramaturgo João Bethencourt. G1, 31 de dezembro de 2006.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.