Abrir menu principal
João Comneno
Nacionalidade Império Bizantino
Progenitores Mãe: Irene da Alânia
Pai: Isaac Comneno
Parentesco Aleixo I Comneno (tio);
Religião Catolicismo

João Comneno (em grego: Ἰωάννης Κομνηνός) foi um aristocrata bizantino, o sobrinho do imperador Aleixo I Comneno (r. 1081–1118) e governador (duque) de longo prazo da cidade estrategicamente importante e o tema homônimo de Dirráquio.

Índice

BiografiaEditar

 
Aleixo I Comneno (r. 1081–1118)

João nasceu provavelmente ca. 1074, o varão do irmão mais velho de Aleixo, o sebastocrator Isaac Comneno, e sua esposa georgiana,[1] Irene da "Alânia".[2][3] Em 1081, seu tio, o imperador Aleixo I Comneno, propôs o casamento de João e uma princesa germânica, filha do sacro imperador romano-germânico Henrique IV (r. 1056–1105), mas nada veio deste.[4]

No começo de 1091, João foi escolhido por Aleixo para substituir João Ducas como governador (duque) de Dirráquio, na atual Albânia.[5] A cidade era de grande importância para o Império Bizantino, como a "chave da Albânia" e o principal ponto de entrada da Itália nos Bálcãs, um fato ilustrado pelo papel que desempenhou na invasão normanda nos anos iniciais do reinado de Aleixo.[6] Logo após assumir de seus deveres, contudo, foi acusado por Teofilacto de Ácrida de conspirar contra o imperador bizantino. Para defender a si mesmo contra a acusação, João viajou para Filipópolis, local onde Aleixo residia. Não está claro se as alegações tinham alguma solidez; no entanto, o caso evoluiu para uma briga familiar entre Aleixo e seu irmão Isaac, que estava também presente. Finalmente, Aleixo rejeitou as alegações e reconfirmou João em seu posto.[5][7]

Mais tarde, em 1094, apesar de sua inexperiência militar, João foi encarregado de confrontar os raides dos sérvios sob Vucan da Ráscia na província bizantina. João deixou-se envolver em prolongadas negociações com o governante sérvio, dando a ele tempo precioso para preparar suas forças. Quando estava pronto, Vucan atacou os bizantinos próximo de Lipênio e infligiu uma pesada derrota sobre ele. João viajou para Constantinopla para explicar sua derrota para Aleixo, mas não foi afastado de seu posto. Em 1096, recebeu e hospedou o conde Hugo I de Vermandois, cuja frota tinha naufragado na costa de Dirráquio.[5] João provavelmente ainda era duque de Dirráquio em 1105/1106, quando é registrado por Ana Comnena como tendo sido derrotado em uma campanha contra os dálmatas. Como a ameaça de uma renovada invasão normanda por Boemundo apareceu, o imperador substituiu João por Aleixo, o irmão mais jovem dele.[8]

CasamentoEditar

O nome e identidade da esposa de João é incerto. Pode ser o sobrinho de Aleixo I Comneno chamado João que é registrado como casado com uma filha de nome desconhecido de Miguel VII Ducas (outros candidatos incluem João Taronita e Adriano Comneno, o irmão de Aleixo Comneno, que levou o nome monástico de João). Outro "João Comneno", casado com uma "Ana Ducena", e seus descendentes, são mencionados em inscrições tumulares na igreja de Pamacaristo em Constantinopla, que eles fundaram. Vários autores, contudo, incluindo Paul Magdalino, Jean-Claude Cheynet e Konstantinos Varzos, identificam este João com Adriano, e não com o governador de Dirráquio. O Oxford Dictionary of Byzantium, seguindo estes autores, dá menciona Maria Ducena como esposa de João.[9][10]

Referências

  1. «Anna Dalassena, Mother of Alexius I Comnenus (1081-1118)» (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2013 
  2. Skoulatos 1980, p. 125, 135.
  3. Kazhdan 1991, p. 1144–1145.
  4. Skoulatos 1980, p. 135; 136.
  5. a b c Skoulatos 1980, p. 136.
  6. Angold 1997, p. 129ff., 152.
  7. Angold 1997, p. 153.
  8. Skoulatos 1980, p. 136-137.
  9. «IOANNES Komnenos» (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2013 
  10. Kazhdan 1991, p. 1145.

BibliografiaEditar

  • Kazhdan, Alexander Petrovich (1991). The Oxford Dictionary of Byzantium. Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-504652-8 
  • Skoulatos, Basile (1980). Les Personnages Byzantins de I'Alexiade: Analyse Prosopographique et Synthese. Louvain-la-Neuve: Nauwelaerts