João Francisco Junqueira

João Francisco Junqueira (Junqueira, 14 de novembro de 1727 - São Tomé das Letras, 5 de abril de 1819) foi um português que imigrou para a capitania de Minas Gerais durante a colonização do Brasil.[1][2]

João Francisco Junqueira
Nome completo João Francisco Junqueira
Nascimento 14 de novembro de 1727
Junqueira
Morte 5 de abril de 1819 (91 anos)
São Tomé das Letras
Nacionalidade português
Progenitores Mãe: Ana Francisca do Valle
Pai: João Manoel Junqueira
Cônjuge Elena Maria do Espírito Santo

No Brasil adotou o sobrenome Junqueira em referência ao local de nascimento, a freguesia de Junqueira, em Portugal, que outrora fazia parte de Barcelos.[2]

Casou em 16 de janeiro de 1758 com Elena Maria do Espírito Santo em São João del-Rei.[1][2]

Requereu a sesmaria do Campo Alegre e comprou a sesmaria do Favacho. Favacho ficava entre Carrancas e Baependi[1] e passavam pela região viajantes e tropeiros pelo caminho velho entre Paraty e Ouro Preto.[1]

As sesmarias do Campo Alegre e do Favacho formavam um latifúndio com cerca de três léguas quadradas.[2]

Capela de São José do Favacho. Ao lado da capela encontra-se um cemitério.[3]
Fazenda Favacho

Os cavalos da família Junqueira deram origem ao manga-larga marchador.


Teve ele doze filhos, quatro deles morreram sem deixar geração, sobram então :

- João Francisco Junqueira Filho

-Francisco Antonio Junqueira

- Maria Francisca da Encarnação Junqueira

- José Francisco Junqueira

- Ana Cândida Junqueira

- Genoveva Junqueira

- Gabriel Francisco Junqueira

Ver tambémEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Referências

  1. a b c d Antonio Clarét Maciel Santos (18 de maio de 2011). «178º aniversário da tragédia que abalou a família Junqueira». Migalhas 
  2. a b c d «João Francisco Junqueira - Patriarca». Família Junqueira. Arquivado do original em 17 de agosto de 2016 
  3. «Capela de São José do Favacho». Senac Minas 

4 Súmula das origens até o sub-tronco de Ana Cândida da Sila Costa, retirado do livro "Memórias e tradições da família Junqueira "