Abrir menu principal

Wikipédia β

João Lourenço

Presidente de Angola
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o actor e encenador português, veja João Lourenço (actor).

João Manuel Gonçalves Lourenço (Lobito, 5 de março de 1954), também conhecido pelo codinome JLo, é um político angolano, presidente de Angola desde 26 de setembro de 2017[1][2]. Anteriormente foi Ministro da Defesa de Angola e cabeça de lista do MPLA nas eleições de agosto de 2017.

João Lourenço
Presidente de Angola
Período 26 de setembro de 2017
a atualidade
Vice-presidente Bornito de Sousa
Antecessor(a) José Eduardo dos Santos
Ministro da Defesa de Angola
Período 2014 – 2017
Antecessor(a) Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem
Dados pessoais
Nome completo João Manuel Gonçalves Lourenço
Nascimento 5 de março de 1954 (63 anos)
Lobito, Angola
Nacionalidade angolano
Progenitores Mãe: Josefa Gonçalves Cipriano Lourenço
Pai: Sequeira João Lourenço
Alma mater Instituto Industrial de Luanda
Academia Superior Lénine
Esposa Ana Dias Lourenço
Filhos Seis filhos
Partido Movimento Popular de Libertação de Angola
Profissão Político e militar
Serviço militar
Lealdade Forças Armadas de Angola
Graduação General
Batalhas/guerras Guerra Civil Angolana

Até então pouco conhecido do público, mas com bom trânsito no meio político e entre as forças armadas, em dezembro de 2016 passou a ser considerado o provável sucessor de José Eduardo dos Santos na liderança do partido Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) e na Presidência de Angola.[3][4][5]

Licenciado em história, já passou por várias posições dentro do partido e no estado angolano, incluindo deputado à Assembleia do Povo entre 1984 e 1992, presidente do Grupo Parlamentar do MPLA entre 1993 e 1998 e 1.º vice-presidente da Assembleia Nacional entre 2003 e 2014.[6] No dia 3 de fevereiro de 2017 na 3ª. Reunião Ordinária do MPLA, é oficialmente anunciado como sendo cabeça de lista do MPLA nas eleições de 2017.[7]

Índice

BiografiaEditar

Primeiros anosEditar

É filho de Sequeira João Lourenço, natural de Malanje, e de Josefa Gonçalves Cipriano Lourenço, natural do Namibe, enfermeiro e costureira respectivamente, ambos já falecidos.   Nasceu no Lobito e fez seus estudos primários e secundários na província do Bié, onde seu pai se encontrava na situação de residência vigiada por 10 anos. Sequeira esteve preso por três anos na prisão de São Paulo em Luanda, pelo exercício de actividade política clandestina, enquanto enfermeiro do Porto do Lobito.[3]

Educação e TrabalhoEditar

Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde outubro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

Deu continuidade aos estudos em Luanda no então Instituto Industrial de Luanda. 

Após a queda do regime fascista em Portugal, na companhia de outros jovens, juntou-se à luta de libertação nacional em Ponta Negra em Agosto de 1974 no CIR Kalunga. Integrou o primeiro grupo de combatentes que entraram em território nacional via Miconge-Belize-Buco Zau-Dinge-Cabinda. Em vésperas da Independência, participaram dos combates na fronteira do N’Tó/Yema contra a coligação FNLA/Exército Zairense, que derrotaram, e a partir do morro do Tchizo em Cabinda contra a unidade da FNLA que se encontrava nas margens do rio Lucola à entrada da cidade.  [8]

Tem formação em artilharia pesada e exerceu funções de Comissário Político em diversos escalões, de pelotão, companhia, batalhão a brigada e comissário da 2ª Região Político-Militar Cabinda, em 1977/78. Enviado para então União Soviética de 1978 a 1982 à Academia Superior Lénine de onde, para além da formação militar, trouxe o título de Master em Ciências Históricas. É poliglota: além do português, fala inglês, russo e espanhol. [9]

De 1982 a 1983, participou nas operações militares no centro do país, Kwanza Sul, Huambo, e Bié com posto de comando no Huambo. 

De 1983 a 1986, desempenhou as funções de Comissário Provincial do Moxico e Presidente do Conselho Militar Regional da 3ª Região Político-Militar. 

De 1986 a 1989, desempenhou as funções 1º Secretário do Partido e de Comissário Provincial de Benguela. 

De 1989 a 1990 desempenhou as funções de Chefe da Direção Política Nacional das FAPLA, em substituição do General Francisco Magalhães Paiva N’Vunda nomeado Ministro do Interior. 

De 1991 a 1998 desempenhou as funções de Secretário do Bureau Político para a Informação, de Secretário do Bureau Político para a Esfera Económica por um curto período, de Chefe da Bancada Parlamentar. 

De 1998 a 2003 desempenhou as funções de Secretário Geral do MPLA e de Presidente da Comissão Constitucional. 

De 2003 a Abril de 2014, desempenhou as funções de 1º Vice Presidente da Assembleia Nacional. É membro do Bureau Político do Comité Central do Partido e General de 3 estrelas na reserva. 

Desde 2014 é Ministro da Defesa de Angola.[10]

Casamento e filhosEditar

É casado com Ana Afonso Dias Lourenço e tem seis filhos.

CuriosidadesEditar

Desporto – praticou futebol e karaté estilo Shotokan.  Passatempo – a leitura, o xadrez e equitação.[11]

Ministro da Defesa NacionalEditar

Logo após a nomeação para o cargo de ministro da Defesa Nacional, João Lourenço rejeitou uma proposta do seu filho mais velho que visava colocar uma empresa no sistema de fornecimento de logística das Forças Armadas Angolanas (FAA)[12]. Terá feito o mesmo com outros pedidos do género de altos funcionários do regime e de colegas do partido (fonte).

Referências

  1. João Lourenço toma posse na terça-feira como presidente de Angola. Jornal Observador. 26 de setembro de 2017
  2. João Lourenço já é Presidente da República de Angola. Rádio TSF. 26 de setembro de 2017
  3. a b «Ministro da Defesa Nacional da República de Angola» (PDF) 
  4. Lusa (2 de dezembro de 2016). «João Lourenço será o candidato a presidente de Angola». Expresso 
  5. «João Lourenço». Deutsche Welle. 11 de janeiro de 2017 
  6. «Biografia do MDN» (PDF). Secretariado Permanente para os Assuntos de Defesa. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Consultado em 3 de dezembro de 2016 
  7. «Angola : Après Dos Santos, "on peut s'attendre à une transition graduelle" - France 24». France 24 (em francês). 3 de fevereiro de 2017 
  8. Fern, Paulino; es (2 de dezembro de 2016). «José Eduardo dos Santos, deixa a Presidência do MPLA em 2017». Blogue do "Povo de Portugal". Consultado em 1 de agosto de 2017 
  9. Vaga, Nova. «Perfil/João Lourenço: Quem é o homem que se prepara para suceder em toda a linha a José Eduardo dos Santos no MPLA... e no país?». Novo Jornal. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  10. «João Lourenço». www.jmpladiaspora.com. Consultado em 1 de agosto de 2017 
  11. Mukuta, Coque. «Quem é João Lourenço? O perfil de um potencial Presidente de Angola». VOA 
  12. Rede Angola com Agência Lusa (11 de maio de 2017). «Combate à corrupção volta a dominar discurso de João Lourenço». Rede Angola 
Precedido por
José Eduardo dos Santos
Presidente de Angola
2017
Sucedido por
'
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.