João Morais Leitão

advogado e político português (1938-2006)

João António Morais da Silva Leitão GCIH (Covilhã, São Pedro, 4 de setembro de 1938Lisboa, Olivais, 18 de fevereiro de 2006) foi um advogado e político português.

João Morais Leitão
João Morais Leitão
Ministro(a) de Portugal Portugal
Período VI Governo Constitucional
  • Ministro dos Assuntos Sociais 1980

VII Governo Constitucional

  • Ministro das Finanças e do Plano 1981

BiografiaEditar

Filho de Amadeu da Silva Leitão (Covilhã, São Pedro, 18 de Julho de 1908 - Lisboa, São Domingos de Benfica, 26 de Junho de 1993) e de sua mulher Maria da Luz de Matos Morais (Covilhã, São Pedro, 6 de Março de 1914 - Lisboa, São Domingos de Benfica, 24 de Março de 2002).

Frequentou o Colégio Militar entre 1948 e 1953. Licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, foi admitido na Ordem dos Advogados em 1962. Foi também director de contencioso do Banco Pinto & Sotto Mayor, até 1968, e administrador-delegado da companhia de seguros Mundial Confiança, até à sua nacionalização ocorrida após o 11 de Março de 1975.[1]

Em 1974 esteve entre os fundadores do Centro Democrático Social. Com a Aliança Democrática foi ministro dos Assuntos Sociais do VI Governo Constitucional e das Finanças e do Plano, no VII Governo Constitucional. Era visto como tendo um correcto equilíbrio entre uma economia devia liberalizar-se, e uma forte sensibilidade social e "o verdadeiro fundador de uma escola de pensamento liberalizador da economia portuguesa" quando esta era ainda dominada por uma forte intervenção estatal herdada após o 11 de Março.[1]

Entre 1979 e 1980 foi o 26.° Presidente da Federação Portuguesa de Futebol.[2]

Depois de abandonar o Ministério das Finanças por sua iniciativa, regressa ao CDS assumindo o cargo de director do Gabinete de Estudos. Como deputado da oposição ao bloco central PS-PSD, em Junho de 1983 é eleito vice-presidente do grupo parlamentar, quando Lucas Pires preside ao partido, acumulando as funções de presidente da bancada de São Bento.[3]

Em Abril de 1986, disputou a presidência do CDS, no sétimo Congresso do CDS, realizado no Porto, que teria Adriano Moreira como vencedor.[4]

Abandona discretamente a política partidária activa, e regressa à sua profissão de advogado, tendo sido o primeiro vice-presidente do Conselho Geral da Ordem, entre 1990 e 1992, e membro do seu Conselho Superior, entre 1996 e 1998. Foi sócio-fundador da sociedade de advogados, Morais Leitão, hoje conhecida como MLGTS,[5] que após incorporar outras sociedades se tornou uma das maiores sociedades de advogados portuguesas.[4]

A 5 de Janeiro de 2006, pouco antes da sua morte, foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.[6]

Casou com Maria Clymeni Zañartu Gubert e Mundet (16 de Outubro de 1940), filha de Luís Gubert y Mundet (Lisboa, Camões - 10 de Julho de 2012), de origem Catalã, e de sua mulher Clymeni Zañartu Philipps (Viña del Mar - ?), de ascendência Espanhola e Inglesa. Teve quatro filhos sendo que o seu filho primogénito Luís Miguel Gubert Morais Leitão, desempenhou as funções de Secretário de Estado do Tesouro e das Finanças do XVI Governo de Portugal, Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Europeus e Secretário de Estado Adjunto do Vice-Primeiro-Ministro no XIX Governo de Portugal e Ministro de Economia no XX Governo de Portugal.[7]

Funções governamentais exercidasEditar

Referências

  1. a b «Portas recorda Morais Leitão como "o mais moderno" dos que serviram CDS». Portas recorda Morais Leitão como "o mais moderno" dos que serviram CDS. 23 de junho de 2006. Consultado em 24 de maio de 2022 
  2. «Faleceu João Morais Leitão, antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol». Maisfutebol. Consultado em 24 de maio de 2022 
  3. «Debate parlamentar do Programa do IX Governo Constitucional». 22 de junho de 1983. Consultado em 24 de maio de 2022 
  4. a b «João Morais Leitão, o fundador que a democracia-cristã ainda ouvia». www.dn.pt. Consultado em 24 de maio de 2022 
  5. «Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados». Mlgts.pt 
  6. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "João Morais Leitão". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 3 de outubro de 2015 
  7. «Economia. Morais Leitão, a sombra de Paulo Portas». Jornal Expresso. Consultado em 24 de maio de 2022 

Precedido por
Acácio Pereira Magro
Ministro dos Assuntos Sociais
VI Governo Constitucional
Sucedido por
Carlos Macedo
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.