Abrir menu principal

João Peste, de nome completo João Luís Peste Santos Guerreiro (Campo de Ourique, Lisboa - 9 de Setembro de 1962) é um músico português, mentor e vocalista dos Pop Dell'Arte.

Índice

Vida pessoalEditar

Nasceu em Lisboa, Campo-de-Ourique, no dia 9 de Setembro de 1962, filho do matemático João Cosme dos Santos Guerreiro e de Maria Luisa Alvito Monteiro Peste. Frequentou o Liceu Pedro Nunes em Lisboa onde foi colega de nomes como Rui Zink, Nuno Artur Silva e Joaquim Luíz Gomes. Entrou para o ISCTE em 1980, onde concluiu em 1985 a licenciatura em Sociologia. Nesse mesmo ano forma a banda Pop Dell'Arte que vence o prémio de originalidade do 2º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vous. Em 1986 cria a editora Ama Romanta, juntamente com Maria João Serra, editora que a 28 de Maio desse ano lança o álbum Divergências que, além de uma entrevista, feita e musicada por João Peste, ao sociólogo José Manuel Paquete de Oliveira, conta com a participação de nomes como Pop Dell'Arte, Mler Ife Dada, Essa Entente, Anamar, Croix Sainte, Grito Final, A Jovem Guarda, SPQR, Extrema-Unção, Linha Geral e Os Cães a Morte & O Desejo, entre outros.

Pop Dell'ArteEditar

Free PopEditar

A discografia de João Peste com os Pop Dell'Arte remonta a fevereiro de 1987 aquando da edição pela Ama Romanta do máxi-single Querelle. Ainda em 1987, são lançados, pela Ama Romanta, o single Sonhos Pop (em Novembro de 1986) e o álbum Free Pop (em Dezembro de 1987) com capas da autoria de Nuno Leonel e de João Peste com grafismo de Rafael Toral, respetivamente. Free Pop aparece em várias listas dos melhores álbuns portugueses de sempre - Blitz, Público, Diário de Notícias, FNAC e Câmara Clara da RTP-2. O jornal inglês Sounds deu mesmo 4,5 pontos (em 5 possíveis) a Free Pop num artigo escrito pelo famoso músico e jornalista John Robb em 1988, enquanto Ricardo Saló escreveu no Expresso, em Junho de 2011, que talvez seja o melhor álbum português dos anos 80.

Os discos Free Pop e Sonhos Pop foram apresentados ao vivo na Aula Magna em Lisboa, num concerto histórico, organizado pela R.U.T. - Rádio Universidade Tejo e a Ama Romanta em Janeiro de 1988. As críticas ao disco dividiram-se entre acusações de fraude no Se7e e elogios de genialidade no semanário Expresso, (João Lisboa). A polémica foi tão grande que a TSF chegou a fazer um programa sobre a polémica dos Pop dell'Arte, que passou em várias rádios europeias.

Illogik PlastikEditar

Em 1989, os Pop dell'Arte lançam um disco novo Illogik Plastik, com capa de João Peste, Nuno Leonel, Rafael Toral, Zé Pedro Moura e Sapo. A 13 de Maio do mesmo ano, actuam no Rock Rendez-Vous com os alemães Sprung Aus Den Wolken noutro concerto que viria a ser considerado histórico.

Ready-MadeEditar

O 2º álbum de originais dos Pop Dell'Arte, Ready-Made, (editado pela Ama Romanta em colaboração com A Variodisc), surge em 1993, um ano após a edição do Máxi-single 2002. Além de Peste, a banda conta com nomes como Luís San Payo, Pedro Alvim, Rafael Toral e João paulo Feliciano e com as participaçõers de convidados especiais como Salomé, General D. e Sei Miguel.

Sex SymbolEditar

Sex Symbol é o 3º álbum de originais dos Pop Dell'Arte e foi editado pela Universal (ex-Polygram) no Verão de 1995. Poppa Mundi, My Funy Ana Lana, Planet Lakroon e Zip Zap Woman são alguns dos temas mais conhecidos deste álbum que, na altura, foi considerado o melhor do ano pelo Diário de Notícias.

Contra MundumEditar

Em 2010, é editado o 4º álbum de originais dos Pop DellÁrte, Contra Mundum. Gravado em Lisboa, no Golden Pony, o álbum conseguiu, uma vez mais, colocar os Pop dell'Arte nas listas dos melhores discos do ano (Blitz, Diário Notícias, RUC, Rádio Cotonete). O álbum abre com Ritual Transdisco e fecha com Har Megido's Lullaby e inclui ainda temas como My Rat Ta-Ta, Electric G. e Slave For Sale.

Acidoxi BordelEditar

Em 1989, forma com Jorge Ferraz o projeto João Peste & o Acidoxi Bordel, que se estreia no Rock Rendez-Vous em Outubro de 1989. Em Julho de 1990, a Ama Romanta lança o máxi-single "João Peste & o Acidoxi Bordel" que inclui os temas Groovy Noise-Dada Rock, Clio Software, Cocaine, Amigo e Distante Domingo. A capa é da autoria de Alberto Faria.

Alix Na Ilha dos SonhosEditar

Em 1990, João Peste apresenta, no espaço da Secretaria de Estado da Cultura da Feira do Livro de Lisboa, o espetáculo Alix Na Ilha dos Sonhos com Nuno Rebelo, dos Mler Ife Dada. O texto, da autoria de Peste, cruza influências de Homero e Luciano com as habituais tendências pós-modernas e surrealistas da escrita de Peste.

2011Editar

Em 2011, João Peste mantém o projecto de spoken word, Salaz Taberna, com o seu amigo Paulo Monteiro, músico dos Pop Dell'Arte e dos Croix Sainte, e encontra-se a terminar uma licenciatura em História na Faculdade de Letras de Lisboa, tendo actuado com os Pop Dell'arte em vários pontos do país, de Bragança a Sines, passando por Lisboa (Culturgest e Music Box).

ReferênciasEditar