João de Deus (médium)

Médium curador brasileiro acusado de crimes sexuais e tráfico de pessoas
(Redirecionado de João Teixeira de Faria)

João Teixeira de Faria (Cachoeira de Goiás, 24 de junho de 1942), no Brasil conhecido como João de Deus, João Curador ou João de Abadiânia e em outros países como John of God, é um médium curandeiro, empresário e escritor brasileiro, acusado e condenado pelo estupro de centenas de mulheres.[3][4][5][6] Antes de ser condenado a 40 anos de prisão, atuava sobretudo na cidade goiana de Abadiânia,[7] no estado de Goiás, tendo ainda realizado excursões internacionais por países como Peru, Alemanha, Estados Unidos, Grécia, Suíça, Áustria, Austrália e Nova Zelândia, dentre outros.[8] Como John of God, foi apresentado em programas televisivos nesses países desde a década de 2000. Ganhou destaque internacional após Oprah Winfrey participar de cerimônias promovidas por ele em 2012 e apresentá-lo em seus programas.[9][10][4][11]

João de Deus
João de Deus em 2006
Nome completo João Teixeira de Faria
Nascimento 24 de junho de 1942 (78 anos)
Cachoeira de Goiás, GO  Brasil
Residência Abadiânia, GO
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Médium curador
Empresário
Escritor
Principais trabalhos Tratamento espiritual
João de Deus (médium)
Crime(s) Estupro,Abuso sexual mediante fraude e porte ilegal de armas de fogo[1]
Pena 40 anos de prisão[2]
Situação prisão domiciliar em razão da Pandemia de COVID-19 no Brasil

Dentre os consulentes famosos do médium estão os políticos Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff,[12] Bill Clinton e Hugo Chávez, o psicoterapeuta Wayne Dyer, o humorista Chico Anysio, a apresentadora Xuxa e os atores Marcos Frota e Shirley MacLaine.[5][13][14][15]

No fim de 2018, João foi denunciado por abuso sexual de mais de trezentas mulheres que buscaram sua ajuda.[16][17][18][19] Em 14 dezembro de 2018, teve o pedido de prisão preventiva decretado pela justiça de Goiás por abuso sexual de centenas de mulheres.[20] Em 16 de dezembro, após ter sido considerado foragido desde 15 de dezembro,[21] entregou-se à polícia e foi preso.[22] De acordo com o Ministério Público, o número total de vítimas pode ultrapassar 330. Além dos crimes sexuais, João de Deus foi indiciado por falsidade ideológica, corrupção de testemunha e coação e posse ilegal de armas de fogo e munição. [23] Em 19 de dezembro de 2019, foi condenado a 19 anos de prisão.[24] Em 30 de março de 2020, a justiça concedeu prisão domiciliar, em razão da pandemia de COVID-19.[25]

Casa de Dom Inácio e outras instituições em AbadiâniaEditar

Por orientação de Chico Xavier e do suposto espírito de Bezerra de Menezes,[26] João de Deus fundou em 1976 a "Casa de Dom Inácio de Loyola", onde atendia seus consulentes. Em um primeiro momento atendendo moradores de Abadiânia e das imediações, na medida em que sua notoriedade foi crescendo João passou a atender pessoas do Brasil inteiro, e após algumas décadas visitantes internacionais começaram a aparecer, eventualmente superando os brasileiros em quantidade. Embora não houvesse cobrança pelos atendimentos, a casa vendia um suposto medicamento denominado "passiflora". Durante seus tempos áureos, o centro atendia mais de mil pessoas por dia.[5][27] Também era distribuída sopa gratuitamente aos que esperavam atendimento[28] e doado o "passiflora" aos que eram orientados a usá-lo mas não podiam pagar.[7]

Apesar de ser conhecido como "João de Abadiânia", Faria nunca efetivamente morou no município. Durante os mais de quarenta anos em que atendeu na Casa, o suposto médium curador viveu em Anápolis. Vinha e voltava de carro ou avião particular nos dias em que trabalhava em Abadiânia. A Casa possuía uma inflexível semana útil de três dias, funcionando às quartas, quintas e sextas.

A Casa leva o nome de Dom Inácio de Loyola, entidade que João teria incorporado em Abadiânia em seu primeiro atendimento no município, a realização de um parto. Tendo inicialmente estabelecido uma sorveteria abandonada próxima ao centro da cidade para ser seu centro de cura, Faria foi coagido a deixar a região por pressão de líderes católicos locais. João foi para o a região do "Pau Torto", no fim de Abadiânia, do outro lado da BR-060, e lá ergueu as paredes da Casa de Dom Inácio de Loyola. Durante 40 anos, Faria utilizou do espaço para performar suas supostas cirurgias espirituais e abusar sexualmente de centenas de vítimas. A economia da área cresceu consideravelmente com a presença da Casa entre o começo dos anos 1980 e o final dos anos 2010, e ao redor do local de trabalho de João Faria cresceu o bairro Lindo Horizonte.

João de Deus também fundou outras instituições de caridade em Abadiânia: a "Casa da Sopa", onde eram servidas refeições gratuitas a pessoas carentes, e a "Casa do Banho", onde elas podem tomar banho e têm as suas roupas lavadas.[28] A "Casa da Sopa" foi fechada em 2019, após a queda de movimento drástica decorrente das denúncias de abuso sexual.

A Casa de Dom Inácio continuou funcionando após a prisão de João Faria. As milhares de pessoas que vinham ao local durante os dias de atendimento passaram a ser substituídas por, quando muito, pouco mais de uma centena de visitantes. Desde que o suposto médium deixou de performar suas cirurgias, a poltrona onde ele se sentava na Casa passou a ser ocupada por uma imagem de Santa Rita de Cássia. Fechada em março de 2020 em decorrência da pandemia de COVID-19, a Casa foi reaberta para visitação em junho do mesmo ano.

Suposta mediunidadeEditar

João de Deus afirma que começou a ter mediunidade ativa aos nove anos de idade, quando era um menino católico avesso ao Espiritismo. Diz que aos dezesseis serviu de médium pela primeira vez na "cura" de outra pessoa. Teria então morado em vários estados, até fixar-se em Abadiânia, onde dizia "receber" bons espíritos que realizam curas através dele,[29] incluindo o fundador da Companhia de Jesus, Santo Inácio de Loyola[4], o sanitarista Oswaldo Cruz e o médico alemão Dr. Fritz. Incorporando a entidade do Caboclo Gentil, João Faria teria desenvolvido uma solução de ervas com poderes curativos, batizada de "garrafada". As "garrafadas" eram produzidas em tonéis próximos a uma cachoeira, nas imediações da Casa de Dom Inácio, e foram vendidas no local durante algumas décadas antes de serem substituídas pelo "passiflora", medicamento aprovado pela ANVISA.

 
João após realizar uma "cirurgia espiritual ".

João Faria possui onze filhos – cada um com uma mulher diferente.[17] É analfabeto funcional, dono de instituições de caridade,[28] de uma fazenda onde planta soja e cria gado, além de sócio de um garimpo.[5] As supostas curas proporcionadas pelo médium atríam multidões à pequena cidade, a tal ponto que se constituíam na principal fonte de renda do município. A esse respeito o ex-prefeito Itamar Gomes afirmou: "Não sei o que será de Abadiânia quando João de Deus morrer. A economia da cidade vai para o buraco". A "Casa" empregava mais pessoas do que a administração municipal.[5] Na "Casa" em que atendia os pacientes há paredes ornadas por imagens de santos católicos e do próprio médium, onde pessoas faziam orações e adoração.[5]

De acordo com a biografia oficial John of God: The Brazilian Healer Who's Touched the Lives of Millions ("João de Deus – o curandeiro brasileiro que tocou a vida de milhões"), de Heather Cumming,[30] até 2007 João de Deus já havia atendido mais de 8 milhões de pessoas em busca de tratamento.[31] Prefaciando o livro, o físico Amit Goswami alega que "João de Deus é mais do que uma pessoa, é um fenômeno científico de suma importância (…) O Médium João canaliza a memória quântica de outra pessoa que viveu antes dele e já morreu. Na verdade, enquanto João de Deus canaliza, ele transforma abruptamente o seu caráter e passa a irradiar amor incondicional que promove a cura daqueles que precisam dela".[32]

João de Deus também realizou eventos de tratamento espiritual em outros países além do Brasil. A sua história já foi retratada em programas de televisão produzidos por emissoras internacionais como Discovery Channel, American Broadcasting Company, British Broadcasting Corporation, Channel Nine, além da brasileira TV Globo.[8][33]

Em 2007 a revista Época constatou que o médium exibia uma cópia de um artigo científico em sua casa, usando-o para obter "respaldo científico" às suas atividades paranormais apesar dos resultados inconclusivos apresentados na publicação.[34] Maria Ângela Gollner, uma das coautoras do estudo, declarou à reportagem da revista que se sentia constrangida pelo uso propagandístico do artigo: “Ele fez daquilo uma máquina de propaganda”. O primeiro autor do artigo, o parapsicólogo e psiquiatra Alexander Moreira-Almeida, afirmou desconhecer o fato.[35]

Em 2012 o curandeiro afirmou já ter realizado tratamento mediúnico em mais de nove milhões de pessoas.[5] Em setembro de 2015, apesar de defender a veracidade de suas curas, não quis passar por um "tratamento espiritual" e passou por uma longa e delicada cirurgia convencional no aparelho digestivo, ficando internado no Hospital Sírio-Libanês, um dos mais renomados hospitais do Brasil, por mais de três semanas.[36][37][38]

Cobertura da mídiaEditar

Oprah WinfreyEditar

Em 2011 a jornalista estadunidense Susan Casey, autora do best-seller A Onda ("The Wave"), falou no talkshow de Oprah Winfrey sobre a boa repercussão da matéria que escreveu na The Magazine, na qual investigou os trabalhos de cura espiritual do médium brasileiro.[39]

A bilionária apresentadora foi até Abadiânia em 29 de março de 2012 para entrevistar o médium, tendo tomado conhecimento de sua existência quando entrevistou o psicoterapeuta Wayne Dyer, que afirma ter sido curado de leucemia por ele.[4][15]

No local Oprah teria meditado, orado e testemunhado as supostas "cirurgias espirituais", num local chamado "Sala da Entidade". Dali conheceu a "Casa da Sopa". Falando aos repórteres, declarou que sentiu "algo muito forte. Foi muito além do que eu esperava".[4]

Em dezembro de 2018, Oprah tirou do ar a entrevista com João de Deus, acusado de abuso sexual por inumeras mulheres.[40] Ela participa ativamente do movimento #MeToo, movimento americano que denuncia abuso sexual contra mulheres e afirmou que espera que seja feita justiça.[41]

Gazeta de MontrealEditar

Em 22 de julho de 2016, o jornal Canadense The Montreal Gazette publicou uma matéria sobre João de Deus, entitulada "O curador brasileiro João de Deus domina os pacientes com câncer pelo nariz".[42] O artigo foi escrito por Joseph A. Schwarcz, Phd e professor da McGill University, diretor do Escritório de Ciência e Sociedade da McGill, que se dedica a desmistificar a ciência para o público. A artigo foi acompanhado por um vídeo no YouTube entiulado "Dr. Joe Schwarcz: “Healer” John of God", onde Schwarcz aborda os supostos tratamentos do curador e tambem comenta as escolhas de tratamento de Faria para seus próprios problemas de saúde - para tratar-se de cancer Faria escolheu o Hospital Albert Einstein com seus metodos tradicionais de tratamento. O relatório de Schwarcz, detalha a história de vida de Faria como auto entitulado "cirurgião mediunico e psíquico". Em seguida, ele examina sua prática e supostos tratamentos, como a cirurgia 'pelo nariz' para tratar cânceres.

ControvérsiasEditar

No início de seu trabalho, João de Deus sofreu denúncias de exercício ilegal da medicina.[43] Segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina de Goiás, Sebastião Moreira, "algumas pessoas pensam que saem curadas porque, em verdade, eram portadoras de doenças de origem psicológica".[15]

João de Deus foi acusado de contrabando de minério e foi preso, em 5 de novembro de 1985, com 300 kg de autunita, minério com alto teor de urânio.[44] Os três advogados contratados para defender João afirmam que ele foi enganado: desconheceria que o material era radioativo e que estaria apenas transportando o minério até um campo de pouso.[44]

A acusação de assassinato envolvia a morte do taxista Delvanir Cardoso Fonseca, assassinado com um tiro nas costas no dia 27 de janeiro de 1980, em Anápolis (GO). Segundo Sebastiana Geralda Costa, amiga de Fonseca, João teria ameaçado matar o motorista. O motivo seria um caso amoroso entre Fonseca e Tereza Cordeiro de Faria, ex-mulher de João. A ameaça teria ocorrido dois meses antes do crime, segundo Sebastiana. Dois dias após o assassinato, João e Tereza se separaram.[44]

Condenação por abusos sexuais, assédio e prisãoEditar

A acusação de "atentado ao pudor" se deu em setembro de 1980, quando João foi processado por crime de sedução contra uma adolescente, então com 16 anos. O processo foi extinto seis anos depois por desinteresse da família por não conter provas suficientes.[44] O advogado de João afirmou, à época, que tudo não passou de invenção da família para tentar extorquir dinheiro.[44]

Em dezembro de 2018, o curandeiro foi acusado de abusar sexualmente e violentar mais de trezentas mulheres que buscaram ajuda com ele.[18][16] De acordo com as denúncias, João agia de forma similar em todos os casos. Durante os atendimentos espirituais coletivos, o curandeiro dizia para as mulheres que, segundo a "entidade", elas deveriam procurá-lo posteriormente em sua sala, pois tinham sido escolhidas para receber a cura. As entrevistadas denunciam que, uma vez sozinhas com ele, eram violentadas sexualmente.[45]

A grande quantidade de denúncias (mais de duzentas) levou os Ministérios Públicos de São Paulo e Goiás a criar em 10 de dezembro de 2018 uma força-tarefa (para apurar os crimes) e canais específicos para receber denúncias.[46] A força-tarefa recebeu desde um total de 330 mensagens e contatos por telefone desde que abriu canais específicos para isso. A própria filha do curandeiro, Dalva Teixeira, o acusa, afirmando ter sido molestada quando criança.[16]

Os primeiros dez relatos foram divulgados pelo programa Conversa com Bial, da Rede Globo, em 7 de dezembro de 2018. No dia seguinte, o jornal O Globo divulgou mais 3 relatos, e o Jornal Nacional mais 2, totalizando 15 casos.[47] Uma de suas possíveis vítimas cometeu suicídio em 12 de dezembro de 2018. Segundo a ativista social Sabrina Bittencourt, que a atendia, a família da moça, por serem seguidores de João de Deus, nunca acreditou nas denúncias.[48]

Na tarde de 12 de dezembro de 2018, o Ministério Público de Goiás pediu a prisão preventiva do curandeiro.[48][49][50] Ao ser questionado por repórteres, o médium só disse: "sou inocente", e se afastou cercado de pessoas o protegendo.[51] Em 14 de dezembro, a justiça de Goiás decretou sua prisão preventiva por abuso e Importunação sexual de centenas de mulheres.[20] Em 16 de dezembro, após ter sido considerado foragido desde 15 de dezembro,[21] entregou-se à polícia e foi preso.[22]

Ao saber dos relatos, a Federação Espírita Brasileira (FEB) divulgou nota em que afirma que serviços espirituais não devem ocorrer isoladamente, com a presença somente do médium e da pessoa assistida.[52] Em 19 de dezembro de 2019, o médium foi condenado 19 anos de prisão pelos crimes sexuais cometidos em Abadiânia.[53]

FilmesEditar

  • Miracle Man: John of God (2005). Direção: Bill Hayes. Produção: Advanced Medical Productions.[54][55][56]
  • Healing – Miracles, Mysteries and John of God (2008). Direção: David Unterberg. Produção: David Films.[57]
  • John of God: Just a Man? (2010). Direção: Gail Thackray, Josef Schoffmann. Produção: Beyond Words Publishing.
  • João de Deus – O Silêncio É Uma Prece (2017). Direção: Candé Salles. Produção: Cygnus Media.

MinissériesEditar

  • Em Nome de Deus (2020). Direção: Ricardo Calil, Gian Carlo Bellotti, Monica Almeida. Produção: Rede Globo de Televisão.

LivrosEditar

  • João de Deus – Um Médium No Coração do Brasil. Autora: Maria Helena P. T. Machado. Editora: Fontanar.
  • João de Deus – O Médium de cura brasileiro que mudou a vida de milhões. Autoras: Heather Cumming, Karen Leffler. Editora: Pensamento.
  • A Casa – A História da Seita de João de Deus. Autor: Chico Felitti. Editora: Todavia.

Ver tambémEditar

Referências

  1. G1, ed. (19 de dezembro de 2019). «João de Deus é condenado a 19 anos de prisão por crimes sexuais contra quatro mulheres, em Abadiânia». Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  2. G1, ed. (19 de dezembro de 2019). «João de Deus é condenado a 19 anos de prisão por crimes sexuais contra quatro mulheres, em Abadiânia». Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  3. Rocha, Cristina (2018). «John of God». Cham: Springer International Publishing (em inglês): 1–6. ISBN 978-331908956-0. doi:10.1007/978-3-319-08956-0_538-1 
  4. a b c d e Filizola, Paula; Castro, Grasielle; Luiz, Edson (29 de março de 2012). «"Achei que ia desmaiar", disse Oprah Winfrey após cerimônia em Abadiânia». Correio Braziliense. Consultado em 1 de março de 2012. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2017 
  5. a b c d e f g Nicacio, Adriana; Loes, João (13 de janeiro de 2012), «Os Poderes de João de Deus», IstoÉ (2201), consultado em 1 de março de 2012 
  6. Rocha, Cristina (2017). John of God: The Globalization of Brazilian Faith Healing (em inglês). New York: Oxford University Press. p. 320. ISBN 978019046672-5 
  7. a b Rabelo, Michelle (9 de fevereiro de 2012), «A esperança da cura que atrai milhares a Goiás», A Redação, consultado em 31 de julho de 2013 .
  8. a b Rocha, Cristina (1 de janeiro de 2009). «A globalização do espiritismo: fluxos do movimento religioso de João de Deus entre a Austrália e o Brasil». Revista de Antropologia. 52 (2): 571–603. ISSN 1678-9857. doi:10.1590/S0034-77012009000200004 
  9. Rocha 2017, p. 3.
  10. Podrazik, Joan (19 de março de 2013). «John of God: Oprah Says Faith Healer's Surgeries Almost Made Her Faint». Huffington Post (vídeo) (em inglês) 
  11. Winfrey, Oprah. «Oprah's Visit with John of God: You Are Exactly Where You Need to Be». Oprah (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 16 de novembro de 2016 
  12. Batista Jr, João (2014), «Conheça os famosos atendidos por João de Deus» online ed. , Veja (revista), consultado em 31 de outubro de 2015 .
  13. Franco, Ilimar (30 de junho de 2013), «Panorama Político», O Globo (coluna), consultado em 14 de outubro de 2013 .
  14. Patury, Felipe (5 de abril de 2012), «Milagres no Exterior» online ed. , Época (revista), consultado em 14 de outubro de 2013 .
  15. a b c Renne, Monique, «Oprah grava entrevista com médium João de Deus em Goiás» online ed. , Folha de S. Paulo, consultado em 14 de outubro de 2013 .
  16. a b c «Em quatro dias, mais de 300 vítimas denunciam João de Deus». 13 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  17. a b «Dez dias em Abadiânia, a cidade que vive em torno de João de Deus». 8 de dezembro de 2018 
  18. a b «Em entrevista a Bial, mulheres acusam médium João de Deus de abuso sexual: 'Ele dizia que minha doença ia voltar'». Gshow. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  19. «Mais de duas centenas de mulheres já denunciaram João de Deus». Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  20. a b «Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus». O Globo. 14 de dezembro de 2018. Consultado em 14 de dezembro de 2018 
  21. a b «Movimentações em contas de João de Deus após denúncias reforçaram pedido de prisão». Folha de S.Paulo. 16 de dezembro de 2018. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  22. a b «Mônica Bergamo: Médium João de Deus se entrega à polícia e é preso em Goiás». Folha de S.Paulo. 16 de dezembro de 2018. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  23. «João de Deus é denunciado pela décima vez por crimes sexuais». O Globo. 29 de outubro de 2019. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  24. G1, ed. (19 de dezembro de 2019). «João de Deus é condenado a 19 anos de prisão por crimes sexuais contra quatro mulheres, em Abadiânia». Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  25. «Justiça concede prisão domiciliar a João de Deus por causa da pandemia de coronavírus». Globo. 30 de março de 2020. Consultado em 30 de março de 2020 
  26. (Rocha 2017, p. 57) "In addition to the political intervention, there was also a spiritual intervention for him to establish himself in the town. Chico Xavier14 (whom John of God calls “the Pope of Spiritism” because of his standing in the religion) received a message from the spirit of Bezerra de Menezes (the Spiritist medical doctor mentioned earlier) through automatic writing. The message recommended that John of God establish “a center to practice charity in Abadiânia because of its magnetism” (Estulano Garcia 2006: 35) and because of “its proximity to a waterfall with purifying properties” (Póvoa 2003: 46). However, after some years, John of God ran into difficulties with the authorities there and thought of leaving the town. He spoke of his decision to Chico Xavier, who sent him another message: “João, your mission is in Abadiânia” (Estulano Garcia 2006: 35). The written messages and pictures of John of God and Xavier were framed and today hang at the healing center."
  27. Veríssimo, Arthur (junho de 2006), «Deus é brasileiro e mora em Abadiânia», Trip (revista) (145), consultado em 26 de julho de 2013, cópia arquivada em 1 de janeiro de 2013 
  28. a b c Prateado, Hémilton (4 de maio de 2013), «João, de Deus e da vida», Diário da Manhã, consultado em 31 de julho de 2013 .
  29. Nogueira, Pablo (dezembro de 2008), «O homem de Abadiânia», Galileu (revista) (209), consultado em 26 de julho de 2013 .
  30. «'Nunca curei ninguém, quem cura é Deus', afirma médium João de Deus», G1, 25 de novembro de 2013, consultado em 22 de fevereiro de 2014 .
  31. Cumming 2007, p. 14.
  32. Cumming 2007, pp. 17–22.
  33. «Brasileiros e estrangeiros vão a Abadiânia em busca das cirurgias de João de Deus», G1, 29 de novembro de 2013, consultado em 19 de março de 2014 .
  34. Almeida, A.M. de; Almeida, T. M. de; Gollner, A.M. (2000). «Cirurgia espiritual: uma investigação». Revista da Associação Médica Brasileira. 46 (3): 194–200. ISSN 0104-4230. doi:10.1590/S0104-42302000000300002. Pode-se concluir que as cirurgias estudadas e os materiais extraídos são reais, não há utilização de técnica asséptica ou anestésica, mas não foi detectada nenhuma infecção e apenas um paciente referiu dor. Como não houve identificação de fraudes, o fenômeno necessita de posteriores estudos... 
  35. «O curandeiro globalizado». Época. Globo. 2007. Consultado em 6 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2015 
  36. Lopes, Adriana Dias. «O médium João de Deus está internado em São Paulo | VEJA.com». Consultado em 12 de setembro de 2015 
  37. «João de Deus deve receber alta na próxima semana». O hoje. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  38. «Médium João de Deus passa por cirurgia, mas mantém viagem aos EUA». Correio Braziliense. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  39. Leap of Faith: Meet John of God, Oprah, dezembro de 2010, consultado em 19 de março de 2014 .
  40. «Oprah tira do ar entrevista com João de Deus após acusações de abuso sexual contra ele», Folha de S.Paulo, Folha Online .
  41. «'Espero que a justiça seja feita', diz Oprah Winfrey sobre João de Deus», Folha de S.Paulo, Folha Online .
  42. Schwarcz, Joe; July 22, Special to the Montreal Gazette Updated:; 2016 (22 de julho de 2016). «Brazilian 'healer' John of God leads cancer patients by the nose | Montreal Gazette» (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  43. «Mulheres relatam abusos sexuais do médium João de Deus durante atendimentos espirituais», Globo, G1 .
  44. a b c d e «Denúncias seguem carreira de João de Deus», Folha de São Paulo, 18 de junho de 1995 .
  45. «Moradores de Abadiânia comentam denúncias de abuso sexual contra médium João de Deus», Globo, G1, 8 de dezembro de 2018 .
  46. «Ministério Público cria canal de denúncias para investigar João de Deus». 11 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  47. «Após relatos de abuso sexual, mais mulheres acusam João de Deus», Globo, G1, 8 de dezembro de 2018 .
  48. a b «Vítima de João de Deus comete suicídio». 13 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  49. «Ministério Público de Goiás pede prisão preventiva de João de Deus». 12 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  50. «MP-GO pede a prisão de João de Deus após denúncias de abuso sexual», Globo, G1, 12 de dezembro de 2018 
  51. «João de Deus aparece para trabalhar, mas fica apenas 10 minutos», Empresa brasileira de comunicações, Agência Brasil, dezembro de 2018 .
  52. «Federação Espírita afirma que atendimento espiritual não deve ocorrer individualmente», Globo, G1, 9 de dezembro de 2018, O Espiritismo orienta que o serviço espiritual não deve ocorrer isoladamente, apenas com a presença do médium e da pessoa assistida. Não recomenda, portanto, a atividade de médiuns que atuem em trabalho individual, por conta própria. Estes não estão vinculados ao Movimento Espírita, nem seguindo sua orientação .
  53. «João de Deus é condenado a 19 anos de prisão por crimes sexuais contra quatro mulheres, em Abadiânia». G1. 19 de dezembro de 2019. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  54. Hayes, Bill (2005), Miracle Man: John of God, consultado em 6 de agosto de 2018 
  55. Hutchison, Rob. «Miracle Man: John of God». Figure 8 Films. Consultado em 6 de agosto de 2018 
  56. Hayes, Bill (15 de outubro de 2007), Miracle Man: John of God (em inglês), Advanced Medical Productions, consultado em 6 de agosto de 2018 
  57. God, John of; Wiesleitner, Harald (2010), Healing: Miracles, Mysteries and John of God, consultado em 6 de agosto de 2018 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar