Abrir menu principal
João de Benjamim Pinto
Nascimento 1851
Morte 1914 (63 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação líder militar
Prêmios Comendador da Ordem de Cristo, Oficial da Ordem de Santiago da Espada, Comendador da Ordem de Avis

João de Benjamim Pinto ComCComAOSE (Lisboa, Santa Justa, 31 de Março de 1851 - Lisboa, São Mamede, 18 de Agosto de 1914), 1.º Conde de Vialonga, foi um Fidalgo da Casa Real e um militar português.

FamíliaEditar

Filho natural reconhecido e legitimado de D. João de Deus Antunes Pinto e de sua prima Carolina de Benjamim Pinto.[1]

BiografiaEditar

Oficial-Mor da Casa Real, Oficial General de Artilharia, Moço Fidalgo da Casa Real com exercício no Paço, Oficial às Ordens dos Reis D. Luís I de Portugal e D. Carlos I de Portugal, Ajudante-de-Campo Honorário do Rei D. Manuel II de Portugal, Vedor da Casa Real e da Rainha D. Maria Pia de Saboia. Senhor da Quinta das Maduras, em Vialonga, teve, entre outras condecorações e louvores, a Grã-Cruz das ordens de São Maurício e São Lázaro (Itália), do Mérito Militar de Espanha e de Francisco José de Áustria; Grande Oficial das ordens da Coroa de Itália e de Alberto de Saxe; Comendador das ordens de Aviz, de Cristo e de Número de Isabel a Católica; Oficial das ordens de Santiago, de Hohenzollern-Sigmaringen e de Leopoldo da Bélgica, Cruz de Ferro de Áustria e Cruz de Cavaleiro da Espada da Suécia, etc.etc.[1]

Por petição da Rainha D. Maria Pia de Saboia foi agraciado a 21 de Abril de 1903, pelo Rei D. Carlos I de Portugal, com o título de 1.º Conde de Vialonga, título que não usou nem registou. Em 1911, após a Implantação da República Portuguesa, durante o exílio em Nápoles, onde acompanhou fielmente a Rainha D. Maria Pia de Saboia e o Infante D. Afonso de Bragança, Duque do Porto, o Rei Vítor Emanuel III da Itália confirmou-lhe, de novo, o título de 1.º Conde de Vialonga pela sua profunda lealdade à Rainha D. Maria Pia de Saboia, sua tia.

Faleceu após o seu regresso do exílio em Nápoles.

Casamento e descendênciaEditar

Casou com Sofia Anaiz Gomes (Porto, Cedofeita, 16 de Outubro de 1860 - 31 de Agosto de 1925), filha de João da Silva Gomes e de sua mulher Emília Anaiz,[2] e teve duas filhas e um filho:

  • Judite de Benjamim Pinto (Lisboa, Mercês, 7 de Fevereiro de 1885 - Lisboa, 1953), solteira e sem geração
  • Gastão de Benjamim Pinto (Lisboa, Mercês, 4 de Julho/Setembro de 1886 - Lisboa, Janeiro de 1976), que em Monarquia seria Representante do Título de Conde de Vialonga. A 4 de Julho de 1966, o Rei Humberto de Italia, confirma-lhe o título de 2º Conde Vialonga (em Itália)
  • Beatriz de Benjamim Pinto (Lisboa, Mercês, 27 de Setembro de 1889 - Lisboa, 9 de Fevereiro de 1961), casada em Lisboa a 20 de Janeiro de 1920 com Augusto de Vasconcelos Gonçalves (Lisboa, Santos-o-Velho, 28 de Abril de 1874 - Lisboa, 7 de Outubro de 1930), com geração (Pinto-Gonçalves)

Referências

  1. a b "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo II, p. 286
  2. "Anuário da Nobreza de Portugal - 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo II, pp. 286, 287, 877 e 878