Abrir menu principal

A vida antes da famaEditar

Joan é filha de um dono de um posto de gasolina e uma dona de casa. Começou a atuar no teatro e na televisão antes de estrear no cinema, no filme Comprising Positions (em 1985).

Sucesso nos palcos e no cinemaEditar

Em 1989, Joan retornou aos palcos e ganhou um prêmio Tony por sua performance em Burn This. Também atuou na peça vencedora do prêmio Pulitzer, The Heidi Chronicles.

Ela recebeu uma indicação ao Óscar de Melhor Atriz (coadjuvante/secundária) interpretando Pat Nixon no filme Nixon (1995) e pelo papel da esposa de um marido acusado de caça às bruxas em As Bruxas de Salém (1996). Também foi indicada para o prêmio de Melhor Atriz Principal pelo papel de uma política envolvida num escândalo sexual em A Conspiração. Joan é muito respeitada por seu profissionalismo e pela intensa preparação pela qual passa antes de estrelar um filme. Brian Cox, que estrelou com ela em A Supremacia Bourne disse que Joan é a melhor atriz com quem já trabalhou em toda sua vida.

Em 2001, Joan estrelou na minissérie As Brumas de Avalon (The Mists of Avalon) do canal TNT.

Vida pessoalEditar

Em 1990, Allen se casou com o ator Peter Friendman. O casal se separou em 2002, mas continuam amigos por causa da filha Sadie, nascida em 1994.

FilmografiaEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Joan Allen