Joaquim Azinhal Abelho

poeta português (1911-1979)

Joaquim Azinhal Abelho (Orada, Borba, Portugal 13 de Abril de 1911Lisboa, Portugal 20 de Janeiro de 1979), foi um poeta e cineasta português.[1]

Joaquim Azinhal Abelho
Nascimento 13 de abril de 1911
Orada, Borba, Portugal Portugal
Morte 20 de janeiro de 1979 (67 anos)
Lisboa, Portugal Portugal
Nacionalidade portuguesa
Ocupação Poeta , cineasta
Principais trabalhos Domingo ilustrado (1945)
Prémios Prémio Antero de Quental (1936)

BiografiaEditar

Joaquim Azinhal Abelho estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e foi o fundador do Teatro Rural (Elvas), do Teatro do Arco da Velha e do Teatro d'Arte em Lisboa.

Dedicou-se à ficção de cunho rural e ao estudo do teatro popular.[1]

Juntamente com Orlando Vitorino, traduziu obras de diversos autores como Graham Greene, Federico García Lorca, Anton Pavlovitch Tchékhov e Joseph Kesserling. Teve também colaboração em publicações periódicas, nomeadamente na revista luso-brasileira Atlântico [2] e no jornal 57 (1957-1962) .[3]

Em Borba foi criado o "Pólo Museológico Azinhal Abelho" após a autarquia ter adquirido parte do espólio do autor.

Obras literáriasEditar

PoesiaEditar

  • 1935 - Solidão... Ai Dão,Ai Dão[1]
  • 1936 - Confidências de um rapaz provinciano[1]
  • 1939 - Victorial
  • 1941 - Epopeia vulgar
  • 1941 - Auto da alvura
  • 1945 - Cantiga Arraiana
  • 1945 - Domingo ilustrado

ContosEditar

  • Teatro Popular Português (6 volumes)[1]

FilmografiaEditar

  • Alentejo não tem sombra [1]

Prémios literáriosEditar

Prémios cinemaEditar

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

Referências

  1. a b c d e f g h Bigotte de Carvalho, Maria Irene (1997). Nova Enciclopédia Larousse vol. 1. Lisboa: Círculo de Leitores. p. 15. 314 páginas. ISBN 972-42-1477-X. OCLC 959016748 
  2. Helena Roldão (12 de Outubro de 2012). «Ficha histórica:Atlântico: revista luso-brasileira (1942-1950)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 25 de Novembro de 2019 
  3. Álvaro de Matos (24 de Junho de 2008). «Ficha histórica: 57 : folha independente de cultura» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 30 de Janeiro de 2015 

Ligações externasEditar