Abrir menu principal
Joaquim Catunda
Nome nativo Joaquim de Oliveira Catunda
Nascimento 2 de dezembro de 1834
Santa Quitéria
Morte 29 de julho de 1907 (72 anos)
Rio de Janeiro
Sepultamento Cemitério São João Batista
Cidadania Brasil
Alma mater Liceu do Ceará, Academia Militar das Agulhas Negras
Ocupação político, professor, historiador
Empregador Colégio Militar de Fortaleza
Causa da morte Gastroenterite
Constituição brasileira de 1891, página da assinatura de Joaquim Catunda (sexta assinatura). Acervo Arquivo Nacional

Joaquim de Oliveira Catunda (Santa Quitéria, 2 de dezembro de 183429 de julho de 1907) foi professor, historiador e político brasileiro da Primeira República. Exerceu o mandato de senador no período de 1890 até 1907. Patrono das cadeiras n°s 17 da Academia Cearense de Letras, e 46, da Academia Cearense de Ciências, Letras e Artes do Rio de Janeiro.[1][2][3]

Índice

BiografiaEditar

Nascido na então fazenda Santa Quitéria, era um dos cinco filhos do capitão Antônio Pompeu de Sousa Catunda e de Inocência Pinto de Mesquita. Seu pai era irmão de Tomás Pompeu de Sousa Brasil e primo dos padres Gonçalo Mororó e Miguelinho. Antônio e Inocência eram primos em segundo grau e eram bisnetos de João Pinto de Mesquita, o colonizador pioneiro da região de Santa Quitéria.[4][5]

Ainda jovem, em 1849, foi levado por seu tio e padrinho para estudar em Fortaleza, no Liceu do Ceará. Em 1853, ingressou no Exército Brasileiro, indo prestar serviço no Primeiro Batalhão de Artilharia, no Rio de Janeiro, e, entre 1857 e 1860, estudou Agrimensura na Escola Militar. Após sua baixa, seguiu para Alagoas em comissão para o governo, a demarcar as terras devolutas do Urucu.[6][7]

Aprovado em concurso público, tomou-se funcionário da Alfândega do Ceará, em 1864, servindo também em Maceió. Três anos depois, foi nomeado professor de instrução primária no Ipu. No ano seguinte, foi nomeado Oficial maior da Secretaria do Governo e, em 1879, Secretário da Relação do Distrito. Foi professor de Filosofia do Liceu do Ceará (1882) e professor de Alemão da extinta Escola Militar do Ceará, representou o Ceará na Assembleia Provincial nos biênios de 1866—67, 78-79, 80-81 pelo Partido Liberal e fez parte do Conselho de Instrução Pública.[8][9][10]

Em Ipu, foi aliado do Padre Francisco Correia de Carvalho e Silva, Vigário Colado da Paróquia e importante liderança política local, que também foi Deputado na Assembleia Provincial em várias legislaturas e chegou a presidir em 1866. Após uma ruptura com o antigo aliado, publicou em 1861, pela Tipografia de "O Cearense", uma curiosa e furiosa "Biografia do Rev. Padre Correia - Vigário do Ipu", na qual atacava sem piedade o pároco local. O documento foi republicado no livro "O Bacamarte dos Mourões", de Nertan Macedo (Instituto do Ceará, 1966). Consiste num panfletário ataque que mostra com riqueza uma forma usual de se fazer política no século XIX, com agressões pessoais. Conste que o Padre não era simples vítima, uma vez que o sítio da Assembleia Legislativa do Ceará nos informa que "era político militante e decidido, e ocupava constantemente a tribuna da Assembleia. As suas falas cercavam-se de vigor e veemência, quase sempre chegando às raias da agressão verbal, como se depreende das notas contidas nos Anais da Casa" Ex-Presidentes da Assembleia Legislativa do Ceará.".[11][12]

Enquanto seu tio foi vivo, respeitou suas ideias monárquicas e tomou parte nas lutas do Partido Liberal. Depois de sua morte, juntamente com alguns amigos, como Adolfo Caminha, José do Amaral, João Cordeiro, João Lopes, Jovino Guedes e Antônio Sales, fundou o Centro Republicano do Ceará.[13][14][15][16]

Nas eleições de 1890 foi eleito Senador da República, sendo reeleito seguidamente até o seu falecimento, aos 73 anos de idade na cidade do Rio de Janeiro, vítima de uma gripe intestinal, realizando-se o seu enterro na tarde do dia seguinte no Cemitério São João Batista.[17][18][19]

ObrasEditar

  • Biografia do Reverendo Padre Correia,[20]

HomenagensEditar

  • Uma rua em São Paulo homenageou o senador.[21]

FamíliaEditar

Foi casado com a paulista Maria Libânia Catunda, com quem teve varios filhos, dois deles são:

  • Abdel Kader Catunda
  • Abdel Rahman Catunda

Referências

  1. «Senador Joaquim Catunda - Senado Federal». www25.senado.leg.br. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  2. Marques, Monteiro, Nívia (2014). «Joaquim Catunda e a recepção do debate evolutivo na segunda metade do século XIX» 
  3. «Academia Cearense de Letras». www.academiacearensedeletras.org.br. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  4. Farias,Airton, de (26 de janeiro de 2016). História do Ceará. [S.l.]: Armazém da cultura. ISBN 9788584920174 
  5. «Joaquim de Oliveira Catunda». Coisa de Cearense. 29 de agosto de 2011 
  6. Os 40 da Casa do Barão: primeiro centenário do Instituto do Ceará. [S.l.]: Senado Federal, Centro Gráfico. 1993 
  7. Souza, Eusebio Néri Alves de (1950). História militar do Ceará. [S.l.]: E. Editôra "Instituto do Ceará" 
  8. «Registro fonte: Joaquim Catunda e a recepção do debate evolutivo na segunda metade do século XIX». bdtd.ibict.br. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  9. Monteiro, Nivia Marques. «Joaquim Catunda e o Paradigma Evolucionista» (PDF). anpuh.org. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  10. Puente, Fernando Rey (2008). Os filósofos e o suicídio. [S.l.]: Editora UFMG. ISBN 9788570416643 
  11. Abreu, Alzira Alves de (3 de março de 2015). Dicionário histórico-biográfico da Primeira República (1889-1930). [S.l.]: Editora FGV. ISBN 9788522516582 
  12. Teatro na terra da luz. [S.l.]: Edições Universidade Federal do Ceará. 1985 
  13. Hai, Alessandra Arce; Pasche, Aline de Morais Limeira; Nery, Ana Clara Bortoleto; Laínez, Andrés Eduardo García; Osinski, Dulce; Sena, Fabiana; Nascimento, Fátima Aparecida do; Teixeira, Giselle Baptista; Pinto, Inára de Almeida Garcia (21 de setembro de 2018). Imprensa Pedagógica na Ibero-América: local, nacional e transnacional. [S.l.]: Alameda Casa Editorial. ISBN 9788579395550 
  14. Cordeiro, Celeste (1997). Antigos e modernos: no Ceará provincial. [S.l.]: Annablume. ISBN 9788585596958 
  15. Bueno, Clodoaldo (1995). A república e sua política exterior (1889 a 1902). [S.l.]: Editora UNESP. ISBN 9788571390973 
  16. Deputados, Brazil Congresso Nacional Câmara dos (1924). Annaes do Congresso Constituinte da República. [S.l.]: Imprensa Nacional 
  17. «Voto de pesar pelo falecimento de Joaquim Catunda - IHGB - Instituto Histórico Geográfico Brasileiro» 
  18. Dados biograficos dos senadores do Ceara: 1826-1998. [S.l.]: Senado Federal, Secretaria de Informacacao e Documentacao. 2000 
  19. Historiografia do Instituto do Ceará. [S.l.]: Imprensa Universitária, UFC. 2003. ISBN 9788574850313 
  20. Costa, Rangel Alves Da (7 de maio de 2007). Da Arte Da Sobrevivência No Sertão. [S.l.]: Clube de Autores 
  21. «Rua Senador Joaquim Catunda, Conjunto Habitacional Brigadeiro Faria Lima, São Paulo - SP - CEP 04840300». ceps.io. Consultado em 26 de setembro de 2018 

Ligações externasEditar