Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde novembro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Joaryvar Macedo
Joaquim Lobo de Macêdo
Cidadania Brasil
Ocupação escritor

Joaquim Lôbo de Macêdo (Lavras da Mangabeira, 20 de maio de 1937 -- Fortaleza, 29 de janeiro de 1991), também conhecido como Joaryvar Macêdo, foi um escritor brasileiro.[1][2]

Índice

BiografiaEditar

Filho de Antônio Lobo de Macêdo e Maria Torquato Gonçalves de Macêdo, Joaquim nasceu no sitio Calabaço, em Lavras da Mangabeira no Ceará. Casou-se com Antônia Saraiva de Macêdo com quem teve duas filhas: Jessen Violene de Macêdo e Karen Iracles de Macêdo e quatro netas Ana Macêdo Santos, Clara Macêdo Santos, Karine Macêdo Matos e Anike Macedo Matos.[3]

Foi aluno do seminário Diocesano do Crato e do Arquidiocesano de Fortaleza. Cursou Teologia nos Seminários de Olinda/PB e Recife/PE. Em 1965 ingressou na Faculdade de Filosofia do Crato. Pós-Graduou-se em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Católica de Salvador.

Lecionou em Juazeiro do Norte,no Ginásio Municipal Antônio Xavier de Oliveira, sob a direção da mestra Maria Assunção Gonçalves, também escritora e pintora de grande destaque. Durante sua estadia naquele estabelecimento, o mestre Joaryvar Macedo (como gostava de ser chamado) recebeu diversas críticas elogiosas da imprensa caririense e de entidades vinculadas à educação do Estado do Ceará, pela aplicação de uma nova metodologia voltada para o ensino da Língua Portuguesa no curso ginasial. Seu talento como docente deixou marcas indeléveis numa leva de alunos que tiveram o orgulho de tê-lo como mestre. Lecionou ainda na Faculdade de Filosofia do Crato e na Universidade Regional do Cariri. Fundou e dirigiu por mais de dez anos, o Instituto Cultural do Vale Caririense. Dedicou-se ao estudo da formação ética,histórica e cultural da Região do Cariri.

Transferiu-se para Fortaleza em 1983 onde assumiu o cargo de Assessor Especial do Presidente do Conselho de Educação do Ceará. Foi Secretário de Cultura e Desporto do Estado do Ceará no período de 1983 a 1987, e presidiu o Conselho Estadual de Cultura. Integrou o Conselho Estadual de Educação.[4]

ObrasEditar

  • Caderno de Loucuras - Versos, Empresa Gráfica Ltda, Crato - CE, 1965.
  • Discurso de Orador oficial da Turma de 1968, Faculdade de Filosofia de Crato - CE, 1968.
  • Apresentação de Fagundes Varela, Faculdade de Filosofia de Crato - CE, 1971.
  • Os Augustos, Imprensa Universitária da universidade Federal do Ceará, Fortaleza - CE, 1971.
  • Otacílio Macedo, Tipografia e Papelaria do Cariri, Crato - CE, 1972.
  • Um Bravo Caririense, Empresa Gráfica Ltda, Crato - CE, 1974.
  • O Poeta Lobo Manso, Instituto Cultural do Vale Caririrense, Juazeiro do Norte - CE, 1975.
  • A Estirpe da Santa Teresa, Imprensa Universitária da universidade Federal do Ceará, Fortaleza - CE, 1976.
  • Fagundes Varela e Outros Rabiscos, Crato - CE, Empresa Gráfica Ltda, 1978.
  • São Vicente das Lavras, Fortaleza, Secretaria de Cultura e Desporto, 1984
  • O Talento Poético de Alencar e Outros Estudos, Secretaria de Cultura e Desporto, Fortaleza,1984.
  • Povoamento e Povoadores do Cariri Cearense, IOCE, Fortaleza, 1985.
  • Antônio Lobo de Macedo - O Homem e o Poeta, Stylus Comunicação, Fortaleza, 1988.
  • Império do Bacamarte, Imprensa Universitária da Uni/versidade Federal do Ceará, Fortaleza, 1990.
  • Na Esfera das Letras, Edições Secult, Fortaleza, 2010.

HomenagensEditar

  • Medalha José de Alencar do Governo do Estado,

Instituições culturaisEditar

Referências

  1. «Joaryvar MACEDO». portal.ceara.pro.br (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2018 
  2. «CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Joaquim Lôbo de Macedo». www.cbg.org.br. Consultado em 30 de agosto de 2018 
  3. (Dimas Macedo 2012, p.200)
  4. «Folha Ubajarense » Entrevista: Joaquim Lobo de Macedo». www.folhaubajarense.com.br (em árabe). Consultado em 30 de agosto de 2018 

BibliografiaEditar

  • Dimas Macedo (2002): Martins Filho e Joaryvar Macedo, 2ª ed. Fortaleza, Edições Aceite.
  • Dimas Macedo (2012): Lavrenses Ilustres,3ª ed. Fortaleza, RDS Editora.
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.