Joaquim Passarinho

Joaquim Passarinho
Joaquim Passarinho no Plenário do Senado Federal. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Deputado federal pelo Pará
Período 1 de fevereiro de 2015
até a atualidade
Secretário de Estado de Obras Públicas do Pará
Período 2011-2014
Governador Simão Jatene
Período 2002-2003
Governador Almir Gabriel
Deputado estadual do Pará
Período 2003-2010
Vereador de Belém
Período 1989-2002
Dados pessoais
Nascimento 2 de dezembro de 1961 (58 anos)
Belém, Pará
Partido PSD
Religião catolicismo[1]
Profissão arquiteto

Joaquim Passarinho Pinto de Souza Porto (Belém, 2 de dezembro de 1961) é um arquiteto e político brasileiro, filiado ao Partido Social Democrático (PSD). É deputado federal pelo Estado do Pará e vice-líder na Câmara dos Deputados pelo seu partido.[2]

É sobrinho do ex-senador e ex-governador do Pará, Jarbas Passarinho.

BiografiaEditar

Formado em arquitetura, começou cedo na vida política, elegendo-se vereador por Belém, capital do Pará, em 1988. Cumpriu quatro mandatos como vereador (1989 a 2002), inclusive sendo eleito presidente da Câmara de Vereadores de Belém. Depois foi eleito deputado estadual por dois mandatos, de 2003 a 2010. Também foi secretário estadual de Obras Públicas do Pará, de 2002 a 2003 e de 2011 a 2014.[2]

Concorreu e foi eleito deputado federal, em 2014, pelo PSD, com mais de 76 mil votos.[carece de fontes?]

De agosto a novembro de 2016 presidiu a Comissão Especial das Medidas Contra a Corrupção.[3] O Projeto de Lei nº 4850/2016 - pelo qual se criou a referida comissão - reúne 20 propostas de mudanças legislativas, entre essas propõe penas mais rígidas para crime de corrupção e correlatos, além de dificultar a anulação de processos e facilitar a recuperação de recursos desviados. A proposição teve como base as 10 Medidas contra a corrupção, campanha idealizada pelo Ministério Público Federal que reuniu dois milhões de assinaturas.

PosicionamentosEditar

Em abril de 2016, votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff.[4][5]

Em novembro de 2016, se posicionou contrário a anistia ao caixa 2.[6] Durante as reuniões da Comissão Especial o parlamentar se já se posicionava a favor da criminalização do Caixa 2 nas campanhas eleitorais, e contra a anistia.

Votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[5] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[5] [7] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer.[5][8]

Referências

  1. «Quem são os 18 homens que querem legislar sobre o corpo das mulheres, por João Filho». GGN. 14 de novembro de 2017. Consultado em 16 de maio de 2018. Joaquim Passarinho (PSD-PA): Católico, o sobrinho de Jarbas Passarinho é conhecido no estado do Pará como Quinzinho. 
  2. a b «JOAQUIM PASSARINHO - PSD/PA». Câmara dos Deputados. Consultado em 24 de novembro de 2016 
  3. «Comissão sobre medidas contra a corrupção teve dez trocas de deputados, diz presidente». Câmara dos Deputados. 22 de novembro de 2016. Consultado em 16 de fevereiro de 2017 
  4. «Deputado Jaquim Passarinho (PSD/PA) votou a favor do impeachment!». Mapa Vem pra Rua. Vem pra Rua. Consultado em 24 de novembro de 2016 
  5. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  6. «Tentativa de votar proposta sobre caixa dois é alvo de críticas em comissão especial». Câmara dos Deputados. Consultado em 24 de novembro de 2016 
  7. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  8. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externasEditar