Joel Asaph Allen

Joel Asaph Allen (Springfield, 19 de julho de 1838Nova Iorque, 29 de agosto de 1921) foi um zoólogo e ornitólogo natural dos Estados Unidos da América. Ele se tornou o primeiro presidente da American Ornithologists' Union, o primeiro curador de pássaros e mamíferos no American Museum of Natural History e o primeiro chefe do Departamento de Ornitologia desse museu. Ele é lembrado pela regra de Allen, que afirma que os corpos dos endotérmicos (animais de sangue quente) variam de forma com o clima, tendo maior área de superfície em climas quentes para perder calor e minimizada área de superfície em climas frios, para conservar o calor

Joel Asaph Allen
Nascimento 19 de julho de 1838
Springfield
Morte 29 de agosto de 1921 (83 anos)
Nova Iorque
Residência Estados Unidos
Cidadania Estados Unidos
Alma mater
  • Harvard School of Engineering and Applied Sciences
Ocupação curador, zoólogo, ornitólogo, escritor, explorador, naturalista
Empregador Museum of Comparative Zoology, Museu Americano de História Natural
Obras destacadas The Auk, Volume XIII

JuventudeEditar

Allen nasceu em Springfield, Massachusetts, filho de Joel Allen e Harriet Trumbull. Ele estudou e coletou espécimes de história natural cedo na vida, mas foi forçado a vender sua coleção relativamente grande para que pudesse frequentar a Wilbraham & Monson Academy em 1861. No ano seguinte, ele foi transferido para a Universidade de Harvard, onde estudou com Louis Agassiz.[1]

Carreira como colecionador de história naturalEditar

Em 1865, ele participou da expedição de seu mentor ao Brasil em 1865 em busca de evidências de uma era glacial naquele país, que Agassiz mais tarde alegou ter encontrado. Depois de retornar a Massachusetts, uma doença crônica o levou a voltar para a fazenda de sua família em Springfield.[2]

Em 1867, a saúde de Allen havia melhorado o suficiente para que ele fizesse uma enxurrada de viagens de coleta, inclusive em Sodus Bay e em Illinois, Michigan e Indiana. Ao retornar a Massachusetts, ele assumiu o cargo de curador de pássaros e mamíferos no Museu de Zoologia Comparativa de Harvard. No inverno de 1868-1869, ele foi um dos dois ornitólogos, o outro sendo Charles Johnson Maynard, a explorar o estado relativamente desconhecido da Flórida, que ainda era um deserto no final da década de 1860.[2]

 
Joel Asaph Allen em 1920

Quando voltou, escreveu uma célebre análise de sua viagem intitulada On the Mammals and Winter Birds of Eastern Florida, publicada em 1871. Nesse mesmo ano, foi eleito Fellow da American Academy of Arts and Sciences.[3]

Nos anos seguintes, Allen se aventurou nas Grandes Planícies, nas Montanhas Rochosas e no Território de Dakota em viagens de coleta para o museu de Harvard. Exceto por uma viagem de coleta de 1882 no Colorado com seu colega ornitólogo William Brewster, Allen nunca mais foi colecionar em campo, principalmente por causa de sua saúde frágil.[2]

Carreira como pesquisador e historiador naturalEditar

Após o fim de seus dias de coleta de campo, Allen dedicou sua vida à pesquisa e publicação editorial. No início do verão de 1876, Allen foi eleito pelo Nuttall Ornithological Club para substituir Charles Johnson Maynard e Henry Augustus Purdie como editor de seu Bulletin. Em 1883, Allen, junto com William Brewster e Elliott Coues, criou a American Ornithologists' Union. Allen, que sofria de problemas de saúde, não pôde comparecer à reunião inaugural, mas foi eleito seu primeiro presidente. Ele também se tornou o editor-chefe de seu jornal, The Auk.[2]

Em 1885, ele foi nomeado o primeiro curador de pássaros e mamíferos no Museu Americano de História Natural de Nova York, mais tarde se tornando o primeiro chefe do Departamento de Ornitologia do museu. Em 1886, ele foi um dos incorporadores da primeira Audubon Society, na cidade de Nova York. Ele foi membro da Associação Americana para o Avanço da Ciência e da Sociedade Filosófica Americana.[4]

As centenas de cartas que Elliott Coues lhe enviou ao longo de muitas décadas constituem uma das pedras angulares da história da ornitologia americana. Allen fez a famosa homenagem a Coues[5] nas páginas de The Auk, o jornal do sindicato, após a morte deste último em 1899. Ele formulou o que agora é conhecido como regra de Allen, declarando uma correlação entre a forma do corpo e o clima, em 1877.[6][7]

ObrasEditar

ReferênciasEditar

  1. Allen, Joel Asaph (1916). Autobiographical notes and a bibliography of the scientific publications of Joel Asaph Allen. New York: American Museum of Natural History 
  2. a b c d Chapman, Frank M. (1922). «In Memoriam: Joel Asaph Allen» (PDF). Auk. 39 (1): 1–14. JSTOR 4073500. doi:10.2307/4073500 
  3. «Book of Members, 1780-2010: Chapter A» (PDF). American Academy of Arts and Sciences. Consultado em 15 de abril de 2011 
  4. «Whonamedit - dictionary of medical eponyms». whonamedit.com. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  5. Allen, Joel Asaph. Biographical Memoir of Elliott Coues 1842-1899. National Academy of Sciences, 1909.
  6. Allen, Joel Asaph (1877). «The influence of Physical conditions in the genesis of species». Radical Review. 1: 108–140 
  7. Lopez, Barry Holstun (1986). Arctic Dreams: Imagination and Desire in a Northern Landscape. [S.l.]: Scribner. ISBN 0-684-18578-4 

Links externosEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Joel Asaph Allen