Jogos Olímpicos de Verão de 1912

evento multiesportivo realizado em Estocolmo, na Suécia
Jogos da V Olimpíada
Estocolmo 1912
1912 summer olympics logo.jpg
Dados
Países participantes 28
Sede Estocolmo
País anfitrião  Suécia
Atletas 2 407
Eventos 102 em 14 esportes
Cerimônia de abertura 5 de maio
Cerimônia de encerramento 22 de julho
Abertura oficial Rei Gustavo V da Suécia
Estádio principal Estádio Olímpico
◄◄ Londres 1908 Olympic rings without rims.svg Antuérpia 1920 ►►

Jogos Olímpicos de Verão de 1912 (em sueco: Olympiska sommarspelen 1912), oficialmente conhecidos como Jogos da V Olimpíada, realizaram-se em Estocolmo, capital da Suécia, entre 5 de maio e 27 de julho com a participação de 2 407 atletas, sendo apenas 48 mulheres, de 28 nações. Abertos oficialmente pelo Rei Gustavo V, os já bastante concorridos, prestigiados e famosos Jogos foram um modelo da eficiência sueca e o primeiro a que compareceram atletas de todos os cinco continentes.

Dotados de uma estrutura nunca antes vista, estes foram os primeiros Jogos que utilizaram um, na época, moderno sistema de som com alto-falantes espalhados pelo complexo olímpico e pela cidade, para informar sobre os resultados de cada esporte disputado; além disso, Estocolmo usou pela primeira vez um sistema de fotografias e cronometragem semieletrônica para marcação dos tempos na natação e no atletismo. Foi ainda a ultima edição em que as medalhas douradas foram feitas inteiramente de ouro.[1]

Foram também os primeiros onde houve uma cerimônia coreografada de abertura, antes da entrada da delegações nacionais, realizada por duzentos jovens vestidos de branco no centro do gramado do Estádio Olímpico.

Portugal fez nesta edição a sua estreia nos Jogos Olímpicos, onde um atleta de sua delegação teve a fatalidade de proporcionar a mais triste nota da competição: o jovem fundista Francisco Lázaro, carpinteiro de apenas 21 anos, morreu de desidratação e ataque cardíaco após correr 30 quilômetros da maratona e abandonar a prova. Os outros pioneiros atletas portugueses participaram de provas no atletismo, luta e esgrima, sem, contudo, obter sucesso.

Fatos e destaquesEditar

 
Cerimônia de abertura no Estádio Olímpico de Estocolmo
  • A organização dos Jogos não permitiu as disputas de boxe no evento, já que a legislação sueca proibia a prática deste esporte no país, o que fez com que o Barão Pierre de Coubertin dali em diante aprovasse no Comitê Olímpico Internacional uma resolução que diminuía o poder sobre a organização dos Jogos pelo país anfitrião.
  • O grande herói entre de todos os atletas que disputaram estes Jogos foi o americano Jim Thorpe, de descendência indígena, que conquistou a medalha de ouro no pentatlo (do atletismo, com cinco provas atléticas, prova que hoje não mais existe, e não o recém criado pentatlo moderno) e no decatlo, onde arrasou o recorde mundial, sendo considerado o mais perfeito atleta do mundo.
  • A saga de Thorpe, após os Jogos de Estocolmo, foi contada em vários livros, revistas e até no cinema, onde nos anos 50 sua vida foi levada às telas, com o ator Burt Lancaster, um grande fã seu na vida real, fazendo seu papel. Acusado de ganhar alguns trocados como jogador de beisebol em ligas menores dos Estados Unidos, antes de ser campeão olímpico, Thorpe teve cassadas as suas medalhas por um Comitê cioso do amadorismo puro nos Jogos. Durante anos, nas década seguintes, aficionados, autoridades e jornalistas lideraram movimentos para que suas medalhas lhe fossem devolvidas, mas sempre encontraram resistência no COI, que, por coincidência, nestes tempos era dirigido pelo também americano Avery Brundage, o maior adversário da restauração olímpica de Thorpe e, curiosamente, um competidor também derrotado espetacularmente na disputa do pentatlo das Olimpíadas de Estocolmo pelo jovem índio. Apenas em 1983, trinta anos após sua morte, o COI reconheceu sua injustiça e numa bonita cerimônia devolveu a seus filhos as medalhas daquele que foi considerado por muitos jornalistas esportivos e pela Associated Press o maior atleta do mundo da primeira metade do século XX.
  • Os Jogos de Estocolmo viram a aparição vitoriosa do atletismo finlandês através principalmente de Hannes Kolehmainen, que ganhou três medalhas de ouro em corridas de fundo – e ganharia a maratona oito anos depois, em Antuérpia – e seria o pioneiro e inspirador de uma legião de extraordinários corredores finlandeses que encantariam o mundo e dominariam o atletismo de pista nos Jogos posteriores à Primeira Guerra Mundial.

Modalidades disputadasEditar

Países participantesEditar

 
Participantes dos Jogos Olímpicos em 1912, com as nações estreantes em azul

Um total de 28 nações foram representadas em Estocolmo, que viu as primeiras aparições de Egito, Islândia, Portugal e Sérvia, sendo que esta última só voltaria a competir como país independente nos Jogos de 2008, em Pequim. O Japão também marcou sua estreia, no que também foi a primeira participação de um país da Ásia nos Jogos Olímpicos.

Na lista abaixo, o número entre parênteses indica o número de atletas por cada nação nos Jogos:

Quadro de medalhasEditar

 
Hannes Kolehmainen, o primeiro "finlandês voador"
 Ordem  País        
1  USA Estados Unidos 26 19 19 64
2  SWE Suécia 24 24 17 65
3  GBR Grã-Bretanha 10 15 16 41
4  FIN Finlândia 9 8 9 26
5  FRA França 7 4 3 14

Referências

  1. bbc.com/ Quanto custa uma medalha de ouro – e por que as do Rio 2016 são diferentes