Johan Ludvig Runeberg

Johan Ludvig Runeberg (Jakobstad 5 de fevereiro de 1804 - Porvoo, 6 de maio de 1877) foi um poeta finlandês de expressão sueca, considerado o poeta nacional da Finlândia.[1][2]

Johan Ludvig Runeberg
Johan Ludvig Runeberg (1804-1877)
Conhecido(a) por Nossa Terra ("Vårt land" em sueco, "Maamme" em finlandês) – o hino nacional da Finlândia
Nascimento 5 de fevereiro de 1804
Jakobstad, Reino da Suécia
Morte 6 de maio de 1877 (73 anos)
Porvoo, Grão-Ducado da Finlândia, Império Russo
Nacionalidade Finlândia Finlandês
Ocupação Poeta
Principais trabalhos As Lendas do Alferes Ståhl
Assinatura
Johan Ludvig Runeberg autograf.png

Os seus textos combinam elementos de poesia da antiguidade, do romantismo e do realismo. Estudou primeiro em Vaasa e em Oulu, tendo concluido seus estudos na Academia de Åbo (Turku em finlandês) onde conheceu Johan Vilhelm Snellman e Zacharias Topelius.

A sua obra épica é considerada a mais grandiosa, excluindo os poemas épicos Kalevala. O seu primeiro poema "Nossa Terra" ("Vårt land" em sueco, "Maamme" em finlandês), tornou-se o hino nacional da Finlândia.
Entre suas obras cabe destacar sobre tudo As Lendas do Alferes Ståhl ( Fänrik Ståhls Sägnerem sueco e Vänrikki Stoolin tarinat em finlandês) escrito entre os anos de 1848 e 1860, na qual o poeta descreve, em forma de 35 canções épicas os acontecimentos da Guerra da Finlândia (1808-1809) em que Finlândia, até então parte do reino da Suécia, passou a formar parte do Império Russo como grão-ducado autónomo. No poema é elogiado o povo simples, que sofreu e lutou, e não a classe superior, que se adaptou ao czar russo.[3]

É um dos poetas nacionais finlandeses com o maior número de textos utilizados em obras musicais. Seu mais significativo divulgador no âmbito musical foi o compositor Jean Sibelius, que compôs mais de 90 canções com os textos de Runeberg, entre elas 5 com versos em língua finlandesa.

O dia 5 de fevereiro, dia de seu aniversário, é para a população de língua finlandesa e desde a década de 1920 o dia nacional de hastear a bandeira. Todavia, foi desde sempre mais vinculado à cultura dos suecófonos da Finlândia que o homenageavam já desde a independência da Finlândia, tendo sendo ainda em vida, a partir no dia do seu aniversário de 50 anos, em 1854, homenageado pela juventude de Porvoo que se juntava em frente à sua casa para lhe cantar os parabéns.

Referências

  1. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Johan Ludwig Runeberg». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 526. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  2. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Johan Ludvig Runeberg». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 833. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  3. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Fänrik Ståls sägner». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 339. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre Finlândia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.