Abrir menu principal

Johann Friedrich Overbeck

Johann Friedrich Overbeck
Nascimento 3 de julho de 1789
Lübeck
Morte 12 de novembro de 1869 (80 anos)
Roma
Sepultamento San Bernardo alle Terme
Cidadania Alemanha
Alma mater Academia de Belas-Artes de Viena
Ocupação pintor, ilustrador, escritor, poeta
Prêmios Ordem de São Miguel da Baviera, Ordem de Francisco José I da Áustria, Ordem do Mérito para as Artes e Ciência, Ordem Maximiliana da Baviera para Ciência e Arte, Membro da Academia Americana de Artes e Ciências
Auto-retrato com a esposa e o filho Alfons
O triunfo da Religião sobre a Arte. Städel
Os sete anos de fome. Casa Bartholdy

Johann Friedrich Overbeck (Lübeck, 1789Roma, 1869), foi um pintor alemão radicado na Itália, membro do grupo dos Nazarenos.

BiografiaEditar

Seus ancestrais haviam sido pastores luteranos por três gerações. Seu pai Christian Adolph Overbeck era, além de pastor, jurista, poeta, místico e burgomestre da cidade. Johann estudou no ginásio de Lübeck, onde seu tio, um prolífico escritor e doutor em Teologia, era diretor. Sob sua tutela Johann recebeu uma educação clássica e os rudimentos da arte.

Deixando o ginásio em 1806, passou para Viena, onde ingressou na Academia, completando seus estudos e o treinamento em pintura. Apesar do prestígio da instituição ele se queixaria a um amigo do ambiente de vulgaridade que depreciava os melhores sentimentos e o obrigara a se isolar da corrente geral. Para seu espírito religioso parecia que toda a longa herança de arte cristã da Europa estava se perdendo, e desejou buscar inspiração em fontes não-contemporâneas, encontrando na pintura renascentista italiana anterior a Rafael o que buscava.

Ao fim de quatro anos as diferenças entre as idéias de Overbeck e as da Academia se tornaram irreconciliáveis, e foi expulso da escola junto com um grupo de simpatizantes. Então dirigiu-se para Roma, levando consigo a pintura semi-terminada Cristo entrando em Jerusalém. Nesta época definiu seu credo artístico tomando a Bíblia como referência.

Roma seria seu local de trabalho pelos próximos 59 anos. Lá reuniu um grupo de amigos, como Peter Cornelius, Friedrich Wilhelm Schadow e Philipp Veit, que passaram a morar no convento franciscano de Santo Isidoro e ganharam o apelido de Nazarenos. Sua filosofia era rigorosa, com trabalho árduo e honesto e vida santa. Repudiaram o paganismo renascentista como falso, e construíram um revivalismo que teve como exemplos Perugino, Pinturicchio, Francia e o jovem Rafael, e que prestigiava a precisão quase excessiva do desenho e temas nobres e idealizados, onde a cor não servia como deleite visual mas como acessório para a completude do motivo.

Overbeck era o líder do grupo, e um de seus seguidores, escrevendo sobre ele, dizia que quem tivesse entrado em contato pessoal com ele não poderia duvidar da pureza de sua motivação, da profundeza de sua inspiração e de seu vasto conhecimento erudito. E continuava dizendo que ele era um tesouro de arte e de poesia, e um homem santo.

Apesar de suas qualidades, a recompensa material era escassa. Amigos como Niebuhr, Schlegel e Bunsen foram de valioso auxílio nesta fase difícil, quando o artista se converteu ao Catolicismo e recebeu o batismo.

Com o tempo as encomendas começaram a aparecer. O cônsul da Prússia, Jakob Salomon Bartholdy, tio de Félix Mendelssohn, tinha um palacete na cidade e em 1825 encomendou ao grupo uma série de afrescos sobre a história de José e seus irmãos, hoje na Alte Nationalgalerie, em Berlim. Overbeck ficou responsável pela cena dos Sete anos de fome e José vendido pelos seus irmãos. Terminadas em 1818, produziram uma impressão tão favorável entre os italianos que logo o príncipe Francesco Massimo encarregou o grupo de afrescos em seu palácio, ilustrando cenas de poetas clássicos como Tasso, Dante e Ariosto. Overbeck realizou 11 cenas da Jerusalém libertada, uma delas ocupando uma parede inteira, ilustrando o momento do encontro entre Godofredo de Bulhões e Pedro, o Eremita.

Enfraquecido com os dez anos de trabalho consecutivo, não conseguiu terminar a obra, delegando para Joseph von Führich completá-la. Mas ele aproveitou o afastamento para iniciar uma composição sobre a Visão de São Francisco, na capela da Porciúncula da Basílica de Santa Maria degli Angeli em Assis, terminada em 1830. A maior composição de seus últimos anos é O triunfo da Religião sobre as Artes, realizada entre 1831 e 1840. Faleceu em Roma em 1869, sendo sepultado na igreja de San Bernardo alle Terme.

ObraEditar

Overbeck e os Nazarenos procuraram restaurar a importância da fé para a arte, e contribuíram para a renovação do interesse pela técnica do afresco com seus métodos antigos. Suas obras são caracterizadas pelo desenho rigoroso, pela inspiração religiosa e pelo colorido austero.

Apesar de incorporar influências de várias fontes tornando-o um eclético, Overbeck ainda assim foi muito original, mesmo que por vezes sua arte seja criticada como sendo didática, monótona e sobrecarregada de referências literárias. Não foi menos prolífico como escritor e poeta, embora sua importância nestas áreas seja menor. Quase toda sua produção plástica foi divulgada através de gravuras.

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Johann Friedrich Overbeck

Ligações externasEditar

Referências