Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Anathema, veja Anathema (desambiguação).
Anathema
Os Integrantes
Informação geral
Origem Liverpool, Inglaterra
País  Reino Unido
Gênero(s) No início
Death/doom metal
Atualmente
Gothic metal
Metal progressivo
Rock progressivo
Rock alternativo
Período em atividade 1990 - atualmente
Gravadora(s) Peaceville Records
Music For Nations
Integrantes Vincent Cavanagh
Daniel Cavanagh
John Douglas
Les Smith
Daniel Cardoso
Lee Douglas
Ex-integrantes Duncan Patterson
Darren White
Shaun Steels
Dave Pybus
Martin Powell
Michelle Richfield
Ruth
James Cavanagh

Anathema é uma banda inglesa formada em 1990 em Liverpool. Inicialmente de Doom metal, a banda se converteu ao Rock progressivo a partir de seu 4o álbum - Alternative 4, de 1998.

Índice

HistóriaEditar

Início: Outro nome e lançamento da demoEditar

Anathema é uma banda de Liverpool, Inglaterra, de Doom metal. Inicialmente, o grupo se chamava "Pagan Angel", e era composto por: Darren White (vocal), John Douglas (bateria) e os três irmãos Cavanagh, Vincent Cavanagh (guitarras), Daniel Cavanagh (guitarras) e James Cavanagh (baixo).

Com essa formação a banda lançou o seu primeiro trabalho em novembro de 1990, uma demo chamada An Illiad Of Woes.

Mudança definitiva para Anathema e lançamento do primeiro singleEditar

Após este trabalho a banda resolveu trocar de nome passando a se chamar Anathema, pouco depois do lançamento do primeiro single da banda, chamado "They Die", através de uma pequena gravadora suíça, a Witchunt Records, Jamie Cavanagh deixou a banda dando lugar para Duncan Patterson, que viria a tornar-se um dos principais compositores da banda.

Primeiro álbum: The Silent EnigmaEditar

A formação foi mantida até 1995 quando, pouco antes da gravação do álbum The Silent Enigma, o vocalista Darren White deixou a banda, Vincent Cavanagh assumiu os vocais. A mudança não foi apenas na formação da banda, mas também no estilo de música.

Explorando novas sonoridades além do Doom MetalEditar

No início, o Anathema tornou-se famoso por tocar doom metal, estilo proeminente no final dos anos 80 início dos anos 90. Após o The Silent Enigma a banda começou a explorar uma sonoridade cada vez menos pesada e mais melancólica. Houve outras mudanças na formação mas nenhuma tão significativa, do ponto de vista sonoro, quanto a saída de Darren White. Recentemente a banda vem explorando sonoridades menos metal e mais progressivas.

Mudança definitiva para o Rock progressivo com o álbum Alternative 4Editar

Em 1997, John deixou a banda e foi substituído por Shaun Steels para o álbum Alternative 4 (1998). Ambos, Patterson e Steels abandonam no mesmo ano, sendo substituídos por Dave Pybus e retornando John Douglas, enquanto o teclista e violinista ex-My Dying Bride Martin Powell também se juntou à banda (Daniel Cavanagh também estava agindo apenas como teclista da banda, e compartilhou esta posição desde então). O único álbum lançado com este line-up foi Judgement (1999). No mesmo ano Powell trocou de posição com o teclista de Cradle of de Filth Les Smith que se juntou aos Anathema, e Lee Douglas a irmã de John, foi adicionada ao line-up como suporte e vocalista ocasional.

A Fine Day to Exit e início do sucesso comercialEditar

A banda lançou seu sexto álbum A Fine Day to Exit em 2001, virando-se para um som mais alternativo e progressivamente abandonando o Doom metal.

Após tantas mudanças na banda, este movimento musical, foi um tiro no escuro e arriscado. No entanto o álbum viria a ter uma comercialização aceitável depois de Judgement atingindo as posições 22 na Polónia e na Finlandia a posição 34. Pouco depois deste lançamento, Pybus anunciou sua saída e foi substituído pelo baixista original da banda, Jamie Cavanagh, reunindo os três irmãos da banda pela primeira vez desde 1991. Não foram incluídos novos membros para os dez anos seguintes, com os álbuns A Natural Disaster (2003) e We're Here Because We're Here (2010) todos gravados e lançados com o mesmo line-up, direcionando o seu registo sonoro mais para o rock progressivo. No entanto, Daniel Cavanagh deixou Anathema em 2002 para se juntar aos Anthimatter, retornando em 2003. Smith deixou os Anathema em 2011, e Vincent e Daniel assumem a função das teclas do nono álbum da banda, Weather Systems, em 2012. No mesmo ano, Daniel Cardoso "produtor musical multi instrumentista" e tecladista da banda ao vivo desde 2011, juntou-se como membro definitivo o que trouxe uma mais valia na consistência da banda.

Weather SystemsEditar

Nono álbum da banda de rock britânica Anathema, Weather Systems foi lançado a 16 de abril de 2012 na Europa via Kscope e 24 de abril de 2012 e nos EUA via The End Records. A banda descreve o álbum como "Musica não direcionada para festas. A música é escrita para mover profundamente o ouvinte". O álbum foi gravado em Liverpool, North Wales e Oslo, lugar significativo no passado, presente e futuro de Anathema. O disco foi produzido por membros da banda Vincent Cavanagh e Daniel Cavanagh, bem como Christer-André Cederberg.

Gravado e lançado entre a saída do tecladista Les Smith e a integração definitiva do membro Daniel Cardoso, é o primeiro álbum da banda a não dispor de um tecladista em tempo integral desde Judgement em 1999.

10o Álbum: Distant SatellitesEditar

O décimo álbum de estúdio da banda chamado Distant Satellites foi lançado em 9 de Junho de 2014 via Kscope. O álbum foi gravado no Cederberg Studios em Oslo, com o produtor Christer-André Cederberg, com algumas músicas também misturadas pelo multifacetado músico Steven Wilson, devido a uma operação nas costas de Cederberg.

A capa foi criada pelo artista coreano New Art, Sang Jun Yoo.

A banda divulgou um comunicado do seu novo álbum antes do lançamento:

Distant Satellites recebeu críticas positivas dos críticos de música. O Metacritic, que atribui uma classificação normalizada de 100 a opiniões de críticos convencionais, o álbum recebeu uma pontuação média de 80 com base em dez avaliações, indicando a "aclamação universal". O álbum terminou o ano na posição 9 de 2014 Metal Hammer na lista melhores álbuns.

Extra CurriculumEditar

A banda passou por momentos bastante conturbados com grandes dificuldades na produção, edição e publicação do albúm We're Here Because We're Here (2010) deixando inclusive via Facebook e Twitter um apelo aos fãs para ajuda na conclusão do mesmo, uma vez que se encontravam sem contrato discográfico. Lançando no i-tunes 3 temas para venda digital:

1 "One Day" 2 "Everything" 3 "Angels Walk Among Us"

"One Day" que acaba por não fazer parte do album We're Here Because We're Here (2010) e surgem rumores quanto ao título do albúm de "...ser uma identificar da descuidada desacretidtação das editoras na formação britânica", entretanto conseguem um contrato para distribuição pela Europa, para a sua edição com a Kscope.

IntegrantesEditar

Liha do tempoEditar

 

DiscografiaEditar

VideografiaEditar

Prêmios e IndicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado Ref.
2012 Prog Magazine "Progressive Music Award" Live Event Venceu [1]
2014 Anthem Música "Anathema" Venceu [2]
2017 Album of the Year The Optimist Venceu [3]

Referências

  1. Tim Masters (6 de setembro de 2012). «Genesis honoured at Progressive Music awards». BBC News. Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  2. Tim Masters (12 de setembro de 2014). «Peter Gabriel honoured at Prog music awards». BBC News. Consultado em 19 de agosto de 2015 
  3. «Marillion, Anathema, Steve Hackett among Progressive Music Award winners». teamrock.com. 14 de setembro de 2017. Consultado em 25 de setembro de 2017 

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Anathema
   Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.