John Conway

(Redirecionado de John Horton Conway)
John Conway
John Conway em 2005
Nascimento 26 de dezembro de 1937
Liverpool, Inglaterra
Morte 11 de abril de 2020 (82 anos)
New Brunswick
Residência New Brunswick
Nacionalidade britânico
Cidadania Reino Unido
Alma mater Universidade de Cambridge
Ocupação matemático, professor universitário
Prêmios Prêmio Berwick (1971), Prêmio Pólya (1987), Prêmio Nemmers de Matemática (1998), Prêmio Leroy P. Steele (2000)
Empregador Universidade de Princeton, Universidade de Cambridge
Magnum opus Jogo da vida, Notação de seta encadeada de Conway, Algoritmo Doomsday
Causa da morte COVID-19
Orientador(es) Harold Davenport
Orientado(s) Richard Borcherds, Robert Arnott Wilson
Instituições Universidade de Princeton
Campo(s) matemática

John Horton Conway (Liverpool, 26 de dezembro de 193711 de abril de 2020) foi um matemático britânico. Foi ativo na teoria dos grupos finitos, teoria dos nós, teoria dos números, teoria combinatória dos jogos e teoria de códigos.

Entres os matemáticos amadores, é o mais bem conhecido por sua teoria combinatória dos jogos e pela invenção do Jogo da vida. Foi também um dos inventores do sprouts, assim como o futebol dos filósofos, e ele desenvolveu análises detalhadas de muitos jogos e quebra-cabeças, tais como o Cubo soma. Ele criou o ainda não resolvido Problema do anjo.

Inventou um novo sistema de numeração, os números surreais, que são intimamente relacionados com alguns jogos e foram o tema de um romance matemático de Donald Knuth. Ele também inventou uma nomenclatura para número excessivamente grandes, a Conway chained arrow notation.

BiografiaEditar

Nascido no Liverpool, junto com Michael Guy, ele estabeleceu que existem 64 policloros uniformes convexos não prismáticos no meio dos anos 60.

Trabalhou na classificação de grupos simples finitos e descobriu os grupos de Conway.

Para o cálculo do dia da semana, inventou o algoritmo Doomsday.

Em 2004, Conway e Simon Kochen, outro matemático de Princeton, provaram o Teorema do Livre Arbítrio, uma versão primária do princípio de nenhuma variável oculta da Mecânica Quântica. Disse que dadas certas condições (que a maioria dos físicos consideram verdadeiras), se um pesquisador pode decidir livremente quais quantias medir em um experimento particular, então as partículas elementares devem ser livres para escolher seus spins para tornar as medidas consistentes com a lei física. Ou, como diz Conway: "se os pesquisadores tiverem livre arbítrio, o mesmo terão as partículas elementares."

Foi professor de matemática na Universidade de Princeton. Ele estudou na Universidade de Cambridge. Em 1981 foi eleito membro da Royal Society.

Ele (co-)escreveu uma séria de livros incluindo o Atlas of Finite Groups (Atlas dos Grupo Finitos), Sphere Packings, Lattices and Groups, The Sensual (Quadratic) Form (A Sensual forma (Quadrática)), On Numbers and Games, Winning Ways for your Mathematical Plays, The Book of Numbers (O Livro dos Números), e On Quaternions and Octonions (Sobre Quaternons e Octanons).

Os pais de Conway foram Agnes Boyce e Cyril Horton Conway.[1] Tornou-se interessado em matemática em uma idade muito precoce, e sua mãe lembrou que ele podia dizer as potências de dois quando ele tinha quatro anos de idade. Aos onze anos sua ambição era tornar-se um matemático.

Depois de deixar o ensino médio, Conway entrou na faculdade de Gonville and Caius, Cambridge, para estudar matemática. Ele conquistou o título de bacharel em 1959 e começou a realizar pesquisas em teoria dos números supervisionado por Harold Davenport. Tendo resolvido o problema em aberto apresentado por Davenport em escrever números como somas de potências de cinco, Conway começou a se interessar por ordinais infinitos. Aparentemente seu interesse em jogos começou durante seus anos de estudo na Universidade de Cambridge, onde se tornou um ávido jogador de gamão, passando horas jogando o jogo na sala de convivência. Ele concluiu seu doutorado em 1964 e foi nomeado professor associado e professor de matemática na Universidade de Cambridge.

Deixou Cambridge em 1986, para assumir o a John von Neumann Chair of Mathematics na Universidade de Princeton.

Conway residia em Princeton, Nova Jérsei. Ele teve sete filhos de vários casamentos, três netos e quatro bisnetos. Ele foi casado três vezes, sua primeira esposa foi Eileen, e sua segunda esposa era Larissa. Ele está casado com sua terceira esposa, Diana, desde 2001.[2]

MorteEditar

Morreu no dia 11 de abril de 2020, aos 82 anos, em decorrência de complicações da COVID-19.[3]

Referências

  1. «John Conway». www.nndb.com. Consultado em 10 de agosto de 2010 
  2. «John Horton Conway Biography» 
  3. Brandhof, Alex (12 de abril de 2020). «Wiskundige Conway was een speels genie en kenner van symmetrie». NRC Handelsblad (em neerlandês). Consultado em 12 de abril de 2020 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre John Conway
  Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Precedido por
Joseph Keller
Prêmio Nemmers de Matemática
1998
Sucedido por
Edward Witten