Abrir menu principal
John Young
Nome completo John Watts Young
Nascimento 24 de setembro de 1930
São Francisco, EUA
Morte 5 de janeiro de 2018 (87 anos)
Houston, EUA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Progenitores Mãe: Wanda Howland
Pai: William Hugh Young
Cônjuge Barbara White
Susy Feldman
Filho(s)
  • Sandra
  • John
Alma mater Instituto de Tecnologia da Geórgia
Ocupação
Serviço militar
Serviço Marinha dos Estados Unidos
Anos de serviço 1952–1976
Patente Capitão
Conflitos Guerra da Coreia
Condecorações Cruz de Voo Distinto (3)
e outras
Carreira espacial
Astronauta da NASA
Tempo no espaço 34 dias, 19 horas, 39 minutos
Seleção Grupo 2 da NASA 1962
Tempo de AEV 20 horas, 14 minutos
Missões
Insígnia da missão Gemini3.png Gemini 10 mission patch original.png Apollo-10-LOGO.png Apollo-16-LOGO.png Sts-1-patch.png
Aposentadoria 31 de dezembro de 2004
Prêmios Medalha de Honra
Espacial do Congresso

Medalha de Serviço
Distinto da NASA
(4)

John Watts Young (São Francisco, 24 de setembro de 1930Houston, 5 de janeiro de 2018) foi um astronauta norte-americano e o nono homem a pisar na Lua, em 1972, no comando da missão Apollo 16.[1]

Young foi um dos mais experientes astronautas dos Estados Unidos, tendo ido ao espaço por seis vezes e comandando missões nos Projetos Gemini, Apollo e no programa do ônibus espacial, único astronauta a realizar este feito, o que o torna uma verdadeira lenda da exploração humana do espaço. Por ir a Lua duas vezes, é chamado de "o homem que conhece a Lua de todos os ângulos".

Selecionado como astronauta pela NASA em 1962, como parte do segundo grupo de pilotos admitidos pela agência, Young foi ao espaço pela primeira vez em 1965, na primeira das missões do Projeto Gemini, a Gemini III, junto com o comandante Virgil Grisson, um veterano do Projeto Mercury. Por esconder um sanduíche de rosbife dentro da cápsula para comê-lo no espaço, ele chegou a ser descartado do grupo de astronautas pela direção da NASA, mas o falecimento, por causas naturais, de dois tripulantes envolvidos no projeto Gemini, criou um buraco no corpo de astronautas que o levou de volta à ativa no comando da Gemini X.

Em 1969, ele fez parte da tripulação da Apollo 10, que testou, sem pousar, o Módulo Lunar na órbita do satélite e em 1972 tornou-se comandante da Apollo 16, a penúltima missão à Lua, sendo o nono homem a pisar no solo lunar.

Após o fim do Programa Apollo, Young continuou ativo na NASA e em 1981, aos 50 anos, foi o primeiro astronauta a comandar uma missão de um ônibus espacial, o Columbia na STS-1. Em 1983, retornou ao espaço na missão inaugural do Spacelab, a STS-9. Também seria o primeiro homem a ir ao espaço sete vezes com a missão STS-61-J, que colocaria o telescópio espacial Hubble em órbita. A missão estava agendada para para 27 de outubro de 1986,[2] contudo, foi cancelado após o desastre do Challenger, em 28 de janeiro de 1986, na missão STS-51-L. O Hubble só seria lançado em abril de 1990, na STS-31, mas com outro comandante.

Após 42 anos de serviços ininterruptos na NASA, John Young aposentou-se em dezembro de 2004 (de modo que foi o homem que mais tempo permaneceu no cargo de astronauta), aos 74 anos de idade; entretanto comparecia ao encontro matinal das segundas-feiras, no Departamento de Astronautas da agência, onde trocava opiniões e dividia experiências com os atuais astronautas.

Faleceu em 5 de janeiro de 2018 em razão de complicações de pneumonia.[3]

Referências

  1. «Conheça os 12 homens que pisaram na Lua». Terra. 20 de julho de 2010. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  2. «Space Shuttle Shedule 1986» (PDF). Flight International. Consultado em 28 de fevereiro de 2008 
  3. Beutel, Allard (6 de janeiro de 2018). «NASA Statement on the Passing of Astronaut John Young». NASA (em inglês)