Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Jonas Pinheiro Borges.
Jonas Pinheiro da Silva
Senador por  Mato Grosso
Período 1 de fevereiro de 1995 até 19 de fevereiro de 2008
(2 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento 23 de março de 1941
Santo Antônio de Leverger, Mato Grosso
Morte 19 de fevereiro de 2008 (67 anos)
Cuiabá, Mato Grosso
Cônjuge Celcita Pinheiro
Partido DEM
Profissão Médico Veterinário

Jonas Pinheiro da Silva (Santo Antônio do Leverger, 23 de março de 1941Cuiabá, 19 de fevereiro de 2008) foi um político brasileiro. Era senador pelo estado do Mato Grosso, filiado ao Democratas (ex-PFL). Reeleito em 2002, seu mandato ocupou as 52ª e 53ª legislaturas na câmara alta.

Filho de Leôncio Pinheiro da Silva e Escolástica Pinheiro da Silva era o segundo de 9 filhos. Foi criado entre pequenos agricultores e pescadores e durante toda a sua vida pública lutou para melhorar a qualidade de vida do homem do campo e evitar o êxodo rural. Falava sempre da simplicidade da vida e em seus discursos gostava de deixar claro que "O povo é simples e quer coisas simples".

Formado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, foi eleito deputado federal pelo estado de Mato Grosso em 1982. Ausentou-se da votação da Emenda Dante de Oliveira em 1984 que propunha Eleições Diretas para Presidência da República, faltaram vinte e dois votos para a emenda ser aprovada.[1] Foi reeleito em 1986 e 1990. Em 1994, elegeu-se para o Senado também pelo estado do Mato Grosso, ocupando as 50ª e 51ª legislaturas.

O senador participou da comissão da CPI que investigava o Escândalo das Sanguessugas e teve o seu nome envolvido, junto com o de sua mulher, Celcita Pinheiro (PFL), deputada federal pelo Mato Grosso. Apesar das denúncias, o partido não o afastou do cargo.[2]

O senador morreu em decorrência da falência múltipla dos órgãos, no Hospital Amecor, em Cuiabá (MT). Foi velado em sua cidade natal, Santo Antônio do Leverger, localizada no mesmo estado. O senador estava internado há mais de uma semana no hospital devido a uma parada cardiorrespiratória por arritmia cardíaca.

Jonas Pinheiro deixou a mulher, ex-deputada federal Celcita Pinheiro, dois filhos e três netos. [3]

Referências

  1. Primeira página: Folha de S.Paulo - Coletânea das mais importantes primeiras páginas do jornal desde 1921. São Paulo: Publifolha. p. 170 
  2. «PSB e PFL se recusam a afastar membros da CPI citados por sanguessugas» (em português). Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  3. «Senador Jonas Pinheiro morre em Mato Grosso» (em português). Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
O Wikinotícias tem uma ou mais notícias relacionadas com este artigo: Senador Jonas Pinheiro morre aos 67 anos