Abrir menu principal

Wikipédia β

BiografiaEditar

Demme nasceu em 22 de fevereiro de 1944 em Baldwin, Nova Iorque, filho de Dorothy Louise (née Rogers)[2] e Robert Eugene Demme, um executivo de relações públicas.[3]

Demme venceu o Óscar de Melhor Realização por The Silence of the Lambs ("Silêncio dos Inocentes"), em 1991. O filme, uma das obras emblemáticas do Cinema da década de 1990, protagonizado por Jodie Foster e Anthony Hopkins, ganhou os cinco principais Óscares, algo inédito desde 1975. Antes, Demme havia dirigido Michelle Pfeiffer no original Married to the Mob ("Viúva… Mas Não Muito" (título português) / "De Caso Com a Máfia" (título brasileiro), 1988) e Jeff Daniels e Melanie Griffith em Something Wild ("Selvagem e Perigosa" (título português) / "Totalmente Selvagem" (título brasileiro), 1986).

Jonathan Demme também se envolveu com a música pop. Em 1984, dirigiu "Stop Making Sense", filme de culto que protagonizava o grupo nova-iorquino Talking Heads tocando ao vivo num dos espectáculos da turné de promoção do disco Speaking in Tongues. No ano seguinte, dirigiria o vídeo promocional do single "The Perfect Kiss", da banda inglesa New Order.[1] O vídeo fugia completamente do chamado "padrão MTV": em vez de mostrar o grupo dobrando a canção em playback, mostrava os elementos da banda a tocar ao vivo num estúdio, com planos quase sempre fechados nos rostos dos músicos (que não olhavam para as câmaras) e nas mãos deles tocando os instrumentos. Demme tornou-se um fã do pop-rock eletrônico dançante dos New Order e passou a usar músicas do grupo nas bandas sonoras de alguns dos seus filmes, como "Temptation" em "Selvagem e Perigosa" (título português) / "Totalmente Selvagem" (título brasileiro) e "Bizarre Love Triangle" em "Viúva… Mas Não Muito" (título português) / "De Caso Com a Máfia" (título brasileiro).

Uma das características que o diferenciam é o modo como as personagens olham diretamente para a câmara. Outra marca característica do realizador são os créditos finais dos seus filmes; em quatro deles (Something Wild, Married To The Mob, Silence Of The Lambs e Philadelphia) aparece a frase em português "A Luta Continua", juntamente com o símbolo do MFA (Movimento das Forças Armadas)[4], em memória do 25 de Abril de 1974 em Portugal, também conhecido como a Revolução dos Cravos, data histórica que o marcou profundamente.

Jonathan fundou sua própria produtora de cinema, "Clínica Estético", com os produtores Edward Saxon e Peter Saraf. Ela esteve sediada em Nova Iorque durante quinze anos. Jonathan Demme é o tio do diretor Ted Demme, que morreu em 2002.

MorteEditar

Jonathan Demme teve três filhos. Morreu em Nova Iorque, em 26 de abril de 2017, devido a complicações relacionadas com um câncer de esôfago de que sofria há algum tempo.[1]

FilmografiaEditar

Prêmios e nomeaçõesEditar

  • Ganhou o Óscar de Melhor Realizador, por "The Silence of the Lambs" (1991).
  • Recebeu uma nomeação ao Globo de Ouro de Melhor Realizador, por "The Silence of the Lambs" (1991).
  • Recebeu uma nomeação ao BAFTA de Melhor Realizador, por "The Silence of the Lambs" (1991).
  • Recebeu uma nomeação ao César de Melhor Filme Estrangeiro, por "The Silence of the Lambs" (1991).
  • Recebeu uma nomeação ao Independent Spirit Awards de Melhor Realizador, por "Swimming to Cambodia" (1987).
  • Ganhou o Urso de Prata de Melhor Realizador, no Festival de Berlim, por "The Silence of the Lambs" (1991).

Ligações externasEditar

Referências

  1. a b c Mourinha, Jorge (26 de abril de 2017). «Morreu Jonathan Demme, realizador de O Silêncio dos Inocentes». publico.pt. Consultado em 26 de abril de 2017. 
  2. «Dorothy Demme; Character Actress in Son's Movies» (em inglês). Los Angeles Times. 9 de dezembro de 1995. Consultado em 29 de abril de 2017. 
  3. «Jonathan Demme Biography (1944–)». Film Reference (em inglês). Consultado em 29 de abril de 2017. 
  4. Vishnevetsky, Ignatiy (27 de abril de 2017). «The story behind the revolutionary slogan Jonathan Demme hid in his movies» (em inglês). avclub.com. Consultado em 29 de abril de 2017.