Abrir menu principal
Jorge
Duque de Oldemburgo
1811. Oldenburg G P byKiprensky.jpg
Jorge
Consorte Catarina Pavlovna da Rússia
Nascimento 9 de maio de 1784
  Oldemburgo, Alemanha
Morte 27 de dezembro de 1812 (28 anos)
  Tver, Rússia
Filho(s) Jorge de Oldemburgo
Pedro Georgievich de Oldemburgo
Pai Pedro I de Oldemburgo
Mãe Frederica de Württemberg

Jorge de Oldemburgo (9 de maio de 1784 - 27 de dezembro de 1812) foi um filho do grão-duque Pedro I de Oldemburgo e marido da grã-duquesa Catarina Pavlovna da Rússia. Na Rússia era chamado de príncipe Jorge Petrovich Oldenburgsky.

Índice

FamíliaEditar

 
Jorge com o irmão mais velho, o futuro grão-duque Augusto de Oldemburgo.

Jorge foi o filho mais novo do grão-duque Pedro I de Oldemburgo e da princesa Frederica de Württemberg. Os seus avós paternos eram o príncipe Jorge Luís de Holstein-Gottorp e a princesa Sofia Carlota de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Beck. Os seus avós maternos eram o duque Frederico II Eugénio de Württemberg e a marquesa Sofia Doroteia de Brandemburgo-Schwedt. Entre os seus tios estavam o rei Frederico I de Württemberg, a princesa Sofia Doroteia de Württemberg, casada com o czar Paulo I da Rússia e a princesa Isabel de Württemberg, casada com o sacro-imperador Francisco I da Áustria.[1]

Casamento e descendênciaEditar

No dia 3 de agosto de 1809, Jorge casou-se com a grã-duquesa Catarina Pavlovna da Rússia, a quarta filha do czar Paulo I da Rússia e da princesa Sofia Doroteia de Württemberg e irmã preferida do czar Alexandre I da Rússia.[2] Os acontecimentos que levaram a esta união começaram quando Napoleão Bonaparte, esperando fortalecer a aliança com a Rússia, assim como conseguir um herdeiro masculino, demonstrou interesse em casar com Catarina depois de finalizar o seu divórcio com a imperatriz Josefina.[2] Esta proposta horrorizou tanto a família imperial russa que a mãe de Catarina arranjou imediatamente o casamento da filha com o seu sobrinho, o duque Jorge de Oldemburgo. No dia de casamento, Jorge recebeu o tratamento de Alteza Imperial e foi nomeado governador-geral de três províncias centrais russas: Tver, Yaroslavl e Novgorod[desambiguação necessária].[2]

Apesar do casamento ser arranjado, foi feliz. Catarina era vista como bonita e vivaz e adorava o marido. Como Jorge era o filho mais novo do duque de Oldembrugo e tinha poucas probabilidades de vir a herdar o trono, passou em viver em Tver, na Rússia, com a esposa. A família passou a usar nomes russos e eram conhecidos como os Oldenburgsky. Jorge foi nomeado governador no Volga, mas morreu seis meses depois do nascimento do seu segundo filho.

Deste casamento nasceram dois filhos:

GuerraEditar

No dia 22 de janeiro de 1811, o ducado de Oldemburgo foi anexado por Napoleão. Como Jorge era casado com a irmã de Alexandre I, este acto foi visto como um grande insulto pelos russos e um dos muitos acontecimentos que levaria ao fim da troca de correspondência entre o czar russo e o imperador francês.[3] A família Oldemburgo acabaria por recuperar o ducado após a derrota de Napoleão.

Em 1812, Jorge morreu de febre tifoide. A sua morte foi um grande golpe para a sua esposa, mas esta viria a casar-se novamente com outro primo direito, o rei Guilherme I de Württemberg, em 1816.

Referências

  1. C. Arnold McNaughton, The Book of Kings: A Royal Genealogy, in 3 volumes (London, U.K.: Garnstone Press, 1973), volume 1, page 156.
  2. a b c Seton-Watson, p. 121.
  3. Grab, p. 198

BibliografiaEditar

  • Grab, Alexander I. (2003). Napoleon and the Transformation of Europe. Nova Iorque: Palgrave Macmillan. ISBN 0333682742.
  • Seton-Watson, Hugh (1988). The Russian Empire, 1801-1917. Nova Iorque: Oxford University Press. ISBN 0198221525.

Referências