Abrir menu principal
Primeira página do primeiro número de O Correio da Sertã, a primeira publicação periódica sertaginense, em 1884.

Este verbete lista os jornais, quer atuais, quer desaparecidos, que foram editados no concelho da Sertã, ou cujo concelho era a audiência principal.

Jornais atuaisEditar

Existem dois jornais locais: "A Comarca da Sertã", fundado em 9 de Maio de 1936, dirigido por João Miguel (com uma tiragem que não excede os 5000 exemplares por semana)[1] e o O Expresso do Pinhal dirigido por Teresa Aires, que se publicam ambos semanalmente.

Antigos jornaisEditar

  • O Correio da Sertã, publicado entre 1 de Novembro de 1884 a 29 de Novembro de 1894.[2][3]
  • Jornal da Certã, publicado entre 25 de Dezembro de 1886 a 30 de Dezembro de 1888.[4]
  • Campeão do Zêzere, semanário independente, dirigido por Joaquim Martins Grillo e Albano Nunes Roldão, publicado entre 1 de Fevereiro de 1891 e 3 de Julho de 1892.[3]
  • Correio da Província, jornal progressista, publicado entre 21 de Fevereiro de 1889 a 25 de Dezembro de 1895.[2][3]
  • Echo da Beira, publicado entre 17 de Dezembro de 1896 a 22 de Dezembro de 1899, dirigido por Abílio David Oliveira, e posteriormente entre 20 de Fevereiro de 1910 até data incerta, e de 16 de Agosto de 1914 a 14 de Julho de 1918.[3]
  • Certaginense, jornal republicano, publicado entre 10 de Outubro de 1889 a 25 de Dezembro de 1895, e entre 7 de Abril de 1918 a 4 de Março de 1920.[2]
  • A Ninfa do Zêzere, publicado entre 12 de Março de 1897 até data incerta..[2]
  • Gazeta das Províncias, publicado entre 10 de Novembro de 1898 a 27 de Setembro de 1900..[2]
  • Voz do Povo, jornal republicano, publicado entre 10 de Outubro de 1910 a 30 de Novembro de 1913.[2]
  • A Voz da Beira, publicado entre 10 de Janeiro de 1914 a 4 de Março de 1917.[2]
  • A Boa Nova, jornal católico, publicado entre 19 de Julho de 1914 a 14 de Agosto de 1915.[2]
  • A Pátria de Celinda, publicado entre 14 de Fevereiro de 1917 a 21 de Agosto de 1921.[2]
  • O Progresso da Beira, publicado entre 11 de Outubro de 1925 a 9 de Janeiro de 1927.[2]
  • Beira Nova, publicado entre 10 de Abril de 1932 e data incerta.
  • Família Paroquial de Várzea dos Cavaleiros, publicado a partir de 1 de Janeiro de 1956 até data incerta.
  • Notícias de Várzea dos Cavaleiros, publicado entre Junho de 1968 e data incerta.
  • O Renovador, publicado entre 14 de Fevereiro de 1970 e data incerta de 1975.

GaleriaEditar

Notas e referências

  1. GARCIA, João Carlos, A Comarca da Sertã - análise geográfica de um periódico, Finisterra, Lisboa, XVIII, 35, 1983, p. 139 - 145.
  2. a b c d e f g h i j FARINHA, Pe. António Lourenço (1930), A Sertã e o seu Concelho, Escola Tipográfica das Oficinas de S. José, Lisboa. Edições facsimiladas publicadas pela Câmara Municipal da Sertã em 1983 e 1998.
  3. a b c d Rafael, Gina Guedes e Manuela Santos (coordenação e organização) (2001), Jornais e Revistas Portugueses do Século XIX, vol. I, Biblioteca Nacional de Lisboa, 480 p.
  4. GRAVE, João Mourato (1929), A Imprensa no Distrito de Castelo Branco - Subsídios para a sua História, Vila Nova de Famalicão: Minerva.