Jornal de Brasília

Jornal de Brasília
Logo do Jornal de Brasília.jpg
Capa Jornal de Brasília.jpg
Capa do Jornal de Brasília de 13 de fevereiro de 2014.
Editora Jornal de Brasília Ltda.
Periodicidade Diário
Formato Berliner
Sede SIG Sul, Quadra 1, Lote 635 - Setor de Indústrias Gráficas, Brasília, DF
Preço R$ 1,00
Slogan A notícia perto de você
Fundação 10 de dezembro de 1972 (47 anos)
Fundador(es) Organização Jaime Câmara
Presidente Marcos Pereira Lombardi
Proprietário Grupo JBr. de Comunicação

Jornal de Brasília é um jornal diário brasileiro pertencente ao Grupo Jornal de Brasília, juntamente ao jornal Na Hora H! e o Portal JBr.[1] Foi fundado em 1972 pelo Grupo Jaime Câmara. É um dos maiores jornais do Distrito Federal.[2]

HistóriaEditar

O Jornal de Brasília foi fundado durante a ditadura militar, em 10 de dezembro de 1972.[2][3] Com o lema Onde a Cidade é Notícia, tinha como propósito principal fornecer uma cobertura focada em acontecimentos locais, incluindo as cidades-satélites e a periferia brasiliense.[3] Custava 0,70 cruzados[4] e logo se tornou um concorrente do Correio Brasiliense e do Jornal do Brasil.[5]

Em seu primeiro editorial, a publicação afirmou manter compromisso com a "democracia, desenvolvimento e segurança." De acordo com o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, a direção do jornal manifestou alinhamento ao regime militar. Em 1975, foi agraciado com o Prêmio Esso de Jornalismo por desempenho editorial, algo até então inédito para um jornal situado fora do eixo Rio-São Paulo.[5]

No século XXI, como parte da crise que atingiu a imprensa escrita, em virtude do estabelecimento de novos meios de comunicação, a triagem do jornal caiu de 30 mil em 2000 para 17 mil em 2016.[6][1] Naquele mesmo ano, conforme informado pela própria publicação, era lido por 177 mil pessoas.[2]

Em 2000, o Jornal de Brasília passou por significativas mudanças, implementando uma linguagem mais dinâmica e objetiva e adotando uma linha editorial popular.[3]

Em abril de 2016, o jornal demitiu metade de sua redação, cerca de 15 de seus 30 membros. Na época, enfrentava uma crise financeira e havia deixado de circular nos finais de semana.[7] Quase uma década antes, em 2008, já havia demitido 43 funcionários.[3]

ProprietáriosEditar

Inicialmente, pertencia ao empresário e político goiano Jaime Câmara.[3] No início de 2000 foi vendido pela primeira vez ao Grupo EQM.[carece de fontes?] Desde 2007, pertence ao empresário Marcos Pereira Lombardi, proprietário da rede de postos de combustíveis brasiliense Gasoline e de empreendimentos na construção civil.[8]

EstruturaEditar

O jornal apresenta cobertura da cidade na íntegra. Também veicula notícias sobre esportes, cultura, lazer, política, Brasil e assuntos internacionais. A redação conta com oito editoriais.[2]

Sítio virtualEditar

Em 2006, o Jornal de Brasília lançou o Clicabrasília, a versão on-line do conteúdo impresso, acessível de forma gratuita.[3][2] O máximo de visitas mensais, até 2016, foi registrado em 1,016 milhão.[2]

PrêmiosEditar

Referências

  1. a b Ribeiro, Bruno; Mega, Isabel; Couto, Líllian; Anjos, Suelaine; Agnez, Luciane (2013). «JORNAL DE BRASÍLIA: IMPACTOS DO INVESTIMENTO NA PRODUÇÃO DE CONTEÚDO JORNALÍSTICO PARA PLATAFORMAS DIGITAIS». Iniciacom. Brasília: Instituto de Educação Superior de Brasília 
  2. a b c d e f Rocha, Bruna Pereira; Tobias, Marcelo (2016). «Divulgação de notícias na era das redes sociais: Uma análise da página do Jornal de Brasília no Facebook e no Twitter» (PDF). Brasília: Universidade de Brasília. Consultado em 15 de agosto de 2020 
  3. a b c d e f g Campos, Sara Almeida (2008). «O conteúdo fotográfico da notícia: a cobertura do Jornal de Brasília de Acidentes de Trânsito com vítimas fatais no DF». Brasília: Centro Universitário de Brasília 
  4. «Jornal de Brasília comemora quatro décadas de existência». Jornal de Brasília. 10 de outubro de 2012. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  5. a b «JORNAL DE BRASÍLIA». Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Fundação Getúlio Vargas. 23 de outubro de 2007. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  6. Cardozo e Castro, Maria (2016). «JORNAL DE BRASÍLIA: IMPACTOS DO INVESTIMENTO NA PRODUÇÃO DE CONTEÚDO JORNALÍSTICO PARA PLATAFORMAS DIGITAIS» (PDF). Instituto CEUB de Pesquisa e Desenvolvimento. Brasília: Centro Universitário de Brasília. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  7. «Jornal de Brasília corta metade da Redação». Portal dos Jornalistas. 28 de abril de 2016. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  8. «Jornal de Brasília é vendido para empresário do setor de postos de gasolina». Portal Imprensa. 23 de outubro de 2007. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  9. «Jornal de Brasília ganha prêmio como o melhor do DF». Estação da Notícia. 10 de outubro de 2013. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  10. «Jornal de Brasília é vencedor em três categorias no Prêmio PaulOOctavio de Jornalismo». Jornal de Brasília. 23 de maio de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2020 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.