José Montaury

Engenheiro e político brasileiro
José Montaury
Nascimento 1858
Rio de Janeiro
Morte 1939 (81 anos)
Porto Alegre
Cidadania Brasil
Ocupação político, engenheiro civil
Profissão engenheiro

José Montaury de Aguiar Leitão (Rio de Janeiro, 1858 — Porto Alegre, 1939) foi um engenheiro e político brasileiro. Foi prefeito de Porto Alegre durante 27 anos (1897-1924).[1]

BiografiaEditar

Montaury graduou-se em engenharia pela Escola Politécnica.[1] Trabalhou como funcionário federal da Comissão de Terras e Estabelecimento de Imigrantes no Rio Grande do Sul, um cargo que lhe possibilitou conhecer vários municípios gaúchos.[1]

Montaury foi o primeiro intendente (prefeito) de Porto Alegre eleito através do voto direto; na época, o voto não era secreto e as mulheres não podiam votar. A eleição ocorreu em 28 de setembro de 1896 e do total de 6.073 eleitores habilitados, 2.400 compareceram às 31 seções de votação. Deste total, apenas sete votos foram computados contra o candidato do PRR (Partido Republicano Riograndense).

Como homem de confiança de Júlio de Castilhos, chefe supremo do partido, Montaury concorreu como candidato único e reelegeu-se ainda outras seis vezes, sendo que apenas em duas eleições enfrentou opositores. No entanto, tais eleições foram fraudadas por Montaury e o partido.[1] Governou a capital gaúcha por 27 anos. Quando assumiu o cargo em 1897, Porto Alegre tinha uma população de 64 mil habitantes; quando deixou suas funções, em 1924, a cidade contava com 160 mil habitantes.

Montaury caracterizou-se por uma visão de futuro e muitas das transformações fundamentais de Porto Alegre foram por ele conduzidas. Talvez a mais significativa tenha sido a implantação do serviço de primeiros-socorros já em seu primeiro mandato, sendo a primeira cidade do Brasil a implantar tal serviço. A primeira rede de esgotos da capital também foi construída em seu governo (como resultado, a mortalidade infantil caiu de 32,2% para 17,9%).

Foi também em seu governo que serviços públicos como iluminação e transporte ganharam seu primeiro grande impulso. A pavimentação, construção da vias largas e arborização também foram medidas tomadas pelo prefeito, que encomendou em 1910 um projeto de melhoramentos da cidade ao arquiteto João Moreira Maciel. O Plano Maciel, apresentado em 1914, buscava a abertura de avenidas largas, principalmente no centro da cidade, visando atender exigências da higiene e da estética.

Seu longo mandato lhe valeu o apelido de "eterno intendente."[1] Em 1923, ocorreu uma mudança na Lei Orgânica de Porto Alegre e a reeleição foi proibida. Em 1924, deixou a prefeitura e foi substituído por Otávio Rocha, que também fazia parte do PRR. Montaury nunca se casou e quando morreu, em 1939, era um homem pobre.

Referências

  1. a b c d e Margaret Marchiori Bakos (1986). «Eternos Intendentes de Porto Alegre» (PDF). PUCRS. Consultado em 13 de julho de 2019 


Precedido por
Febeliano da Costa
Prefeito de Porto Alegre
1897 — 1924
Sucedido por
Otávio Rocha