Abrir menu principal

José Santacruz Londoño

José Santacruz Londoño
José Santacruz Londoño
Data de nascimento 1 de Outubro de 1943
Local de nascimento Santiago de Cali, Colombia
Data de morte 5 de Março de 1996 (52 anos)
Local de morte Medellín, Colombia
Apelido(s) Chepe, Don Chepe
Situação Morto

José Santacruz Londoño (1 de outubro de 1943 – 5 de Março de 1996), também conhecido como Chepe ou Don Chepe, foi um traficante colombiano. Londoño foi, juntamente com Gilberto Rodríguez Orejuela e Miguel Rodríguez Orejuela, líder do Cartel de Cali

Santacruz Londoño e os irmãos Rodriguez Orejuela formaram o Cartel de Calí nos anos 1970. Eles estavam principalmente envolvidos no tráfico de maconha. nos anos de 1980, eles entraram no tráfico de cocaína. Por um tempo, o Cartel de Calí forneceu 70% do mercado mundial e 90% do mercado europeu de cocaína.[1]

O Cartel de Cali foi menos violento do que o seu rival, o Cartel de Medellín. Enquanto o Cartél de Medellín estava envolvido em uma campanha de violência brutal contra o governo colombiano, o Cartel de Calí crescia. na verdade, o Cartel de Calí estava muito mais envolvido em suborno do que em violência.

Após o fim do Cartel de Medellín, as autoridades colombianas voltaram sua atenção para o Cartel de Cali. A campanha começou no verão de 1995.

Vários líderes do Cartel de Calí foram presos no Verão de 1995:[2] Gilberto Rodríguez Orejuela foi preso em 9 de Junho, Miguel Rodríguez Orejuela em 6 de Agosto, e José Santacruz Londoño foi preso em 4 de Julho. No entanto, Londoño escapou da cadeia de La Picota em 11 de Janeiro de 1996, Existem numerosas hipoteses de seus motivos para fuga[3]: Ele foi acusado de consolidar a rede de assassinos e homens armados do cartel, muitos dos quais eram antigos membros do Cartel de Medellín; a ele foi dado mais controle sobre as redes de contrabando, que começaram a atuar de forma mais independente após a prisão dos líderes; e ele tinha coordenado o assassinato de 27 testemunhas contra ele e contra os outros líderes do cartel, e aparentemente ele estava organizando o assassinato de figuras importantes do governo.

De acordo com a versão oficial da morte de Santacruz Londoño, a polícia teria rastreado-o em Medellín, e então eles receberam uma ligação anônima em 5 de Março de 1996, informando que Londoño estaria em um Shopping Center. Ele foi seguido até o Shopping e então morto após a polícia ter parado o seu carro.

[4]Uma segunda versão de sua morte se tornou conhecida após Javier Antonio Calle Serna, um traficante de drogas e líder da organização "Los Rastrojos", que está preso nos Estados Unidos, ter publicado as suas memórias, nas quais Calle Serna argumenta que a morte de Santacruz Londoño foi orquestrada por grupos paramilitares sob o controle de Daniel González, um coronel da polícia colombiana que originalmente lutou contra Pablo Escobar e então se tornou um membro do cartel.[5]

Na cultura popularEditar

Ele é retratado por Pêpê Rapazote na série Narcos, da Netflix

Referências

  1. «Cartel de Cali detém 70% do tráfico». 17 de agosto de 1995  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  2. «Capturado líder do cartel de Cali». 7 de agosto de 1995  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  3. Semana. «LOS ULTIMOS DIAS DE CHEPE». LOS ULTIMOS DIAS DE CHEPE. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  4. «Morto em Medellín nº 3 do cartel de Cali» 
  5. «El sicario que se volvió capo | ELESPECTADOR.COM». ELESPECTADOR.COM (em espanhol). 20 de março de 2016 

Ligações ExternasEditar