Abrir menu principal
Josef Krips
Nascimento 8 de abril de 1902
Viena
Morte 13 de outubro de 1974 (72 anos)
Genebra
Cidadania Áustria
Ocupação maestro
Prêmios Anel de Honra da cidade de Viena, Grande Condecoração Honorífica em prata por Serviços à República da Áustria
Empregador Universidade de Música e Performances Artísticas de Viena, Academia de Belas-Artes de Viena

Josef Alois Krips (Viena, 8 de abril de 1902Genebra, 13 de outubro de 1974) foi um maestro e violinista austríaco.

Biografia e carreiraEditar

Krips nasceu em Viena, Áustria, irmão de Henry Krips, que mudou-se para a Austrália e foi o maestro chefe da Orquestra Sinfônica de Adelaide for vinte e três anos. Foi aluno de Eusebius Mandyczewski e Felix Weingartner, e de 1921 até 1924 serviu como assistente de Weingartner na Viena Volksoper e como maestro do coro. Posteriormente se tornou diretor musical da orquestra em Karlsruhe de 1926 até 1933 - ano em que retornou para Viena como o maestro residente da Volksoper. Também se tornou professor da Academia de Finas Artes de Viena em 1935. Conduziu regularmente no Festival de Salzburgo entre 1935 e 1938. Em 1938, com a anexação da Áustria pelos nazistas, Krips foi forçado a deixar seu país. Krips era um católico romano, mas por seu pai ter sido judeu ele havia sido excluído de toda a atividade musical no país). Mudou-se para Belgrado, onde trabalhou por um ano com a Ópera de Belgrado e com a Filarmônica de Belgrado, até a Jugoslávia se envolver com a Segunda Guerra Mundial.

Retornando para a Áustria no fim da guerra em 1945, Krips foi um dos poucos maestros que eram permitidos a trabalhar, pois nunca tinham trabalhado sob o regime nazista. Foi o primeiro maestro a conduzir a Filarmônica de Viena e o Festival de Salzburgo no período pós-guerra. De 1950 até 1954 Krips foi o maestro principal da Orquestra Sinfônica de Londres. Depois disso ele comandou a Orquestra Filarmônica de Buffalo e a Orquestra Sinfônica de São Francisco, no período entre 1963 até 1970. Ele fez sua estréia no Covent Garden em 1963 e no Metropolitan Opera em 1966, sendo a partir dessas datas, convidado a conduzí-las frequentemente. Em 1970 ele se tornou o maestro da Ópera Alemã de Berlim. Entre 1970 e 1973 ele foi o principal maestro da Sinfônica de Viena.

Krips morreu em Genebra, Suíça em 1974, aos setenta e dois anos.

ReferênciasEditar

  • "Josef Krips: Obituary". The Musical Times, vol. 115 (no. 1582): pp. 1071. 1974.