Abrir menu principal
Tlacotzin
Tenochtitlan Glyph ZP.svg
12º Tlatoani de Tenochtitlan
Reinado 15251526
predecessor Cuauhtémoc
sucessor Andrés de Tapia Motelchiuh
Casa Dinastia Imperial Asteca
Nome completo
Juan Velázquez Tlacotzin
  Tenochtitlan
Morte 1526
  Achiyotlan
Pai Texcalteuctli

Tlacotzin (batizado Juan Velázquez Tlacotzin [1]), foi o 12º Tlatoani de Tenochtitlán o primeiro nomeado por Cortés

VidaEditar

Tlacotzin foi filho de Texcalteuctli e neto de Tlacaelel [1], assim como seu avô foi Cihuacoatl de Tenochtitlan entre 1520 e 1525 durante os governos de Moctezuma II e de Cuauhtémoc.

Em 1521, Tlacotzin foi capturado com Cuauhtémoc e ambos torturado por Hernán Cortés para revelar a localização do tesouro real e do ouro da Família Imperial [2]. Mas diferentemente de Cuauhtémoc que se mostrava arredio para com os europeus, Tlacotzin se mostrou receptivo e a partir de agosto de 1521, dava indicações de que iria reabrir negociações com a Aliança [3].

Contrastando com a situação de Cuauhtémoc, ainda um prisioneiro, Tlacotzin aparentemente trabalhava para promover a aliança entre ele e Cortés que, naquele momento, já havia recebido títulos e favores de Carlos V, enviados em Outubro de 1522, que estabelecia a sua autoridade na Nova Espanha. Parte do sucesso da Tlacotzin em bajular Cortés deve-se a sua disposição em ajudar Ixtlilxochiltl na organização da reconstrução de Tenochtitlan, que contratou "quase toda a população trabalhadora" do Vale do México. Ixtlilxochiltl cujo nome de batismo era Hernando Cortés, era tlatoani em Texcoco e "ajudou os espanhóis quando derrotaram os astecas", sugerindo que tinha se aliado a Cortés ainda em 1521. Esta aliança entre um tlatoani de Texcoco e o Cihuacoatl de Tenochtitlan, que era o segundo cargo mais importante na altepetl, ilustram a estratégia de Cortés de aliar-se com os líderes nativos que iriamk ajudá-lo a restaurar de alguma forma de governo indígena em Tenochtitlan [4].

Após a execução de Cuauhtémoc, Tlacotzin foi escolhido como seu sucessor. Cortés ordenou a Tlacotzin se vestir como um espanhol, foi lhe dado uma espada e um cavalo branco como símbolo de sua posição de Tlatoani.

Tlacotzin acompanhou Cortés em sua expedição três anos, mas morreu em 1526 vítima de uma doença desconhecida em Achiyotlan . Após a morte de Tlacotzin, Cortés escolheu Andrés de Tapia Motelchiuh como seu sucessor [5] [6].




Precedido por
Cuauhtémoc
  12º Tlatoani de Tenochtitlan
15251526
Sucedido por
Andrés de Tapia Motelchiuh
Precedido por
Matlatzincatzin
Cihuacoatl
15201525
Sucedido por
Cargo abolido por Cortés

Referências

  1. a b Domingo Francisco de San Antón Muñón Chimalpahin Cuauhtlehuanitzin. Codex Chimalpahin : society and politics in Mexico Tenochtitlan, Tlatelolco, Texcoco, Culhuacan, and other Nahua altepetl in central Mexico: the Nahuatl and Spanish annals and accounts collected and recorded by don Domingo de San Antón Muñón Chimalpahin Quauhtlehuanitzin. (em castelhano) Norman: University of Oklahoma Press, 1997. vol. 1, p 48 p. ISBN 9780806129211
  2. Susan Schroeder, Chimalpahin's Conquest: A Nahua Historian's Rewriting of Francisco Lopez de Gomara's La conquista de Mexico (em inglês) Stanford University Press, 2010 p. 337 ISBN 9780804775069
  3. William F. Connell [Alliance building and the restoration of native government in the Altepetl in City Indians in Spain's American Empire: Urban Indigenous Society in Colonial Mesoamerica and Andean South America, 1530-1810 (em inglês) Sussex Academic Press, 2012 p. 14 ISBN 9781845194413
  4. William F. Connell [Alliance building and the restoration of native government in the Altepetl p. 16
  5. Domingo Francisco de San Antón . Codex Chimalpahin p.58
  6. Susan Schroeder, Chimalpahin's Conquest p. 409