Abrir menu principal

Julio César Cortés

futebolista uruguaio

Julio César "El Pocho" Cortés Lagos (Montevidéu, 29 de março de 1941) é um treinador de futebol uruguaio e ex-meia que participou de três Copas do Mundo com a seleção uruguaia.

Julio César Cortés
Julio César Cortés c1970.jpg
Informações pessoais
Nome completo Julio César Cortés Lagos
Data de nasc. 29 de março de 1941
Local de nasc. Montevidéu, Flag of Uruguay.svg Uruguai
Altura 1.76 m
Informações profissionais
Clubes de juventude
1962 Uruguai Sud América
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1962–1964
1965
1966–1971
1972
1973–1974
1974
1974
1974–1975
1976–1978
Uruguai Cerro
Argentina Rosário Central
Uruguai Peñarol
México Atlante
México Pumas
Guatemala Municipal
Estados Unidos Los Angeles Aztecs
El Salvador Alianza
Costa Rica Guanacasteca
Seleção nacional
1962–1970 Flag of Uruguay.svg Uruguai
Times/Equipas que treinou
1983
1984–1985
1987
1997–1998
2000–2003
2004
2005
2007
2007
Guatemala Suchitepéquez
Guatemala Juventud Retalteca
Flag of Guatemala.svg Guatemala
Guatemala Cobán Imperial
Guatemala Aurora
Flag of Guatemala.svg Guatemala
El Salvador Águila
Guatemala Jalapa
Costa Rica San Carlos

Em nível de clube, Cortés teve mais sucesso durante o período em que jogou pelo Peñarol, vencendo dois títulos da Primeira Divisão Uruguaia, a Copa Libertadores e a Copa Intercontinental em 1966.

Ele passou a maior parte de sua carreira de treinador na América Central, gerenciando vários clubes e tendo duas passagens como técnico da Seleção Guatemalteca, o que levou a vencer o torneio da Copa das Nações Unidas de 2001.

Índice

Carreira como JogadorEditar

ClubesEditar

Cortés iniciou sua carreira no Sud América e em 1962, se transferiu para o Cerro. Ele deixou o clube em 1965 para ir jogar na Argentina pelo Rosario Central.

Depois de uma temporada com o Rosario, Cortés retornou ao Uruguai para se juntar ao Peñarol em 1966 e se tornou parte de um time que incluía jogadores como Pedro Rocha, Alberto Spencer, Julio César Abbadie e Omar Caetano.

A equipe conquistou a Copa Libertadores em 1966, com Cortés marcando um gol decisivo contra o arqui-rival Nacional na semifinal em 23 de abril de 1966, que permitiu que a equipe chegasse à final, onde derrotou o River Plate da Argentina após três partidas.[1] Mais tarde naquele ano, Cortés ajudou Peñarol a derrotar o campeão europeu Real Madrid para conquistar o título da Copa Intercontinental. Enquanto Cortés estava jogando para o clube, Peñarol também ganhou a Primeira Divisão Uruguaia em 1967 e 1968.

Depois, ele passou por clubes no México, El Salvador, Estados Unidos[2] e Costa Rica.

SeleçãoEditar

De 1962 a 1970, Cortés jogou 30 vezes na Seleção Uruguaia, marcando 3 gols.[3] Ele fez sua estréia internacional em 2 de maio de 1962 em uma vitória por 3 a 2 contra a Escócia, em Glasgow, pouco antes da Copa do Mundo de 1962, na qual ele jogou em uma partida. Ele também jogou nas Copas do Mundo de 1966 e 1970, sendo um dos seis jogadores uruguaios a fazer parte de três seleções na Copa do Mundo.

Na Copa do Mundo de 1970, no México, ele jogou todos os seis jogos do Uruguai, quando a equipe chegou às semifinais, onde perdeu para o Brasil. Com a partida de consolação contra a Alemanha Ocidental, Cortés chegou a um total de 11 partidas disputadas na Copa do Mundo, a segunda maior do Uruguai, somente atrás do goleiro Ladislao Mazurkiewicz com 13 jogos. O jogo contra os alemães também foi seu último jogo internacional.

Carreira como TreinadorEditar

ClubesEditar

Depois de jogar na Costa Rica no final da década de 1970, Cortés tornou-se treinador e passou quase três décadas gerenciando vários clubes na Costa Rica, Guatemala e El Salvador.

Em 1983, Cortés levou o Deportivo Suchitepéquez ao seu único título nacional até à data.[4] Outros clubes guatemaltecos que ele treinou nas décadas de 1980 e 1990 foram o Juventud Retalteca, o Comunicaciones e o Aurora FC. Na Costa Rica, ele treinou Turrialba e o Deportivo Saprissa na década de 1990, e nos anos 2000, ele treinou Águila de El Salvador, Deportivo Jalapa da Guatemala e San Carlos da Costa Rica.

SeleçãoEditar

Em 1987, Cortés foi nomeado treinador da Seleção Guatemalteca, administrando-a nos Jogos Pan-Americanos daquele ano. Esta passagem durou pouco mais de um ano até ser substituído por Jorge Roldán em abril de 1988.

O segundo período de Cortés como treinador da seleção começou em junho de 2000 e terminou três anos depois. Durante esse período, a Guatemala não conseguiu se classificar para a Copa do Mundo de 2002, mas ganhou a Copa das Nações Unidas de 2001 - seu primeiro título internacional em 34 anos - e terminou como vice-campeã dois anos depois.

Após ser afastado do cargo de técnico da seleção nacional em abril de 2003, Cortés processou a federação guatemalteca de futebol (FEDEFUT) por quebra de contrato, exigindo o pagamento de parte de sua remuneração como técnico da seleção. O técnico levou o caso à FIFA, que em 2006 decidiu que o FEDEFUT lhe pagaria parte do que ele exigia.[5] Em setembro de 2006, o FEDEFUT reagiu contra o treinador, acusando-o de fraude diante de um tribunal local, que ditou que Cortés - que na época vivia na Costa Rica e estava no momento na Guatemala - permanecesse no país.[6]

TítulosEditar

Jogador

Treinador

  • Liga da Guatemala: 1983
  • Copa da Guatemala: 1984–85 e 2005
  • Copa das Nações Unidas: 2001

ReferênciasEditar

  1. «Peñarol in Copa Libertadores 1960-1969». www.rsssf.com. Consultado em 6 de julho de 2018. 
  2. «NASL-». www.nasljerseys.com. Consultado em 6 de julho de 2018. 
  3. «Uruguay - Record International Players». 28 de junho de 2011. Consultado em 6 de julho de 2018. 
  4. «Guatemala, 100 años de Fútbol». 3 de março de 2007. Consultado em 6 de julho de 2018. 
  5. «PrensaLibre.com - Deportes - Lectura Rápida». 24 de maio de 2007. Consultado em 6 de julho de 2018. 
  6. «PrensaLibre.com - Breves deportivas». 27 de setembro de 2007. Consultado em 6 de julho de 2018. 

Ligações externasEditar