Junta Governativa Provisória de 1930

triunvirato militar que governou o Brasil em 1930 após a deposição de Washington Luís

A Junta Governativa Provisória de 1930, também conhecida como Primeira Junta Militar ou Junta Pacificadora, foi um triunvirato governamental militar composto por:[1]

Isaías de Noronha
Augusto Tasso Fragoso
João de Deus Mena Barreto
Da esquerda para a direita (de cima para baixo em aparelhos móveis): Isaías de Noronha, Augusto Tasso Fragoso e João de Deus Mena Barreto.

Assumiram o governo brasileiro de 24 de outubro (dia em que Washington Luís foi deposto) a 3 de novembro de 1930 (data da posse de Getúlio Vargas), impedindo a posse de Júlio Prestes, que ocorreria no dia 15 de novembro.[1]

O presidente, inicialmente recusando a renúncia, decidiu entregar-se por influência do cardeal Sebastião Leme, enviado ao palácio da guanabara pelo deputado Maurício de Lacerda.[2] Preso no forte de copacabana, Washington Luís partiria para o exílio pouco tempo depois, em 20 de novembro.

Getúlio, quando da deposição do presidente, encontrava-se em Ponta Grossa junto ao estado-maior revolucionário. As notícias sobre a ascensão da junta foram recebidas com receio, dado de que não sabia, aquela altura, se os militares aceitariam entregar o poder aos revoltosos.[3]

Ignorando a ordem de cessar-fogo imposta pela junta, Vargas continuou a avançar em direção a São Paulo, recebendo no dia 25 de outubro um pedido dos militares para ir imediatamente ao Rio de Janeiro para buscar solucionar o impasse.[4] Temendo a prisão, o chefe revolucionário recusou-se, propondo o envio de emissários da junta a Ponta Grossa e corroborando seu objetivo de avançar até a capital da República.[5]

Pressionada, a junta finalmente convidou Getúlio para tomar posse como presidente da república, o que finalmente aconteceu em 3 de novembro, inaugurando o Governo Provisório de Vargas.[6]

Referências

  1. a b Ribeiro, Antônio Sérgio (21 de outubro de 2005). «Revolução de 1930: 75 anos». Assembleia Legislativa de São Paulo. Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  2. Neto 2012, p. 453.
  3. Neto 2012, p. 454.
  4. Neto 2012, p. 455.
  5. Neto 2012, p. 456.
  6. Neto 2012, p. 466.

BibliografiaEditar

NETO, Lira (2012). Getúlio (1882-1930). [S.l.]: Companhia das Letras. ISBN 978-8535920932 

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

Precedido por
Júlio Prestes
 
Presidente do Brasil

1930
Sucedido por
Getúlio Vargas
  Este artigo sobre presidentes do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.