Jurubeba Leão do Norte

Jurubeba Leão do Norte é um vinho tipo seco criado em 1920, feito de jurubeba, planta bastante comum nas regiões Nordeste e Norte do Brasil. Em sua composição também contém cravo-da-índia, canela, quassia, boldo-baiano, genciana, fedegoso e velame-branco, que dão sabor amargo adocicado.[1]

Jurubeba Leão do Norte
Logotipo original
Tipo Vinho seco
Vinho de mesa
Teor alcoólico 17%
Fabricante Organização Leão do Norte
Slogan Exija o legítimo
Origem Bahia Bahia,  Brasil
Introduzida 1920 (101 anos)
Cor Café
Sabor Amargo com toque adocicado
Website www.leaodonorte.com.br

HistóriaEditar

A Jurubeba Leão do Norte foi criada em 1920, por Paulo da Costa Lima e Sinval Costa Lima, em Feira de Santana, inicialmente vendida em farmácias como tônico estomacal (digestivo), afrodisíaco e como medicamento auxiliar contra outros males, como febre amarela (devido às propriedades medicinais da jurubeba).[1][2][3] Em 1932, a fábrica foi transferida para Simões Filho.[4] Em 1937, o então responsável pela fábrica, Epaminondas Costa e Lima, valendo-se de sua agência de publicidade, começou a investir em divulgação, como anúncios, campanhas e pontos de vendas (PDV). Atualmente, o produto é apreciado em diversas localidades do País, principalmente no Nordeste.[2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Victor Villarpando. «Jurubeba Leão do Norte». Consultado em 26 de janeiro de 2017 
  2. a b Nélson Cadena. «Jurubeba Leão do Norte: foi o marketing que lhe deu vida». Consultado em 26 de janeiro de 2017 
  3. Jorge Amado. «Bahia de Todos os Santos». Consultado em 26 de janeiro de 2017 
  4. Cecília T. Teradaira; Williamson. «Entre o Açúcar e o Petróleo:Bahia e Salvador, 1920-1960». Consultado em 26 de janeiro de 2017 
  Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.