Justinópolis (Ribeirão das Neves)

Distrito de Ribeirão das Neves, Minas Gerais, Brasil

Justinópolis é um distrito no município brasileiro de Ribeirão das Neves, do estado de Minas Gerais.[2][3][4] Esse distrito é uma das regiões que mais crescem em Ribeirão das Neves, devido à predominância do comércio e atividades envolvendo prestação de serviço, como escolas, academias, hospitais, bancos, UPA, além da estação do Move.[5]

Justinópolis
  Bairro do Brasil  
Localização
Limites administrativos de Justinópolis
Limites administrativos de Justinópolis
Limites administrativos de Justinópolis
História
Criado em 30 de agosto de 1911 (112 anos)
 • IDH 0,711
Energia elétrica (%) 99,90
Água encanada (%) 98,07
Coleta de lixo (%) 99,12
Fonte: PNUD/2000[1]

Esta é uma região localizada na divisa entre os municípios de Belo Horizonte e Contagem. Constitui-se de uma articulação viária importante que se dá pela Avenida Denise Cristina da Rocha (antiga Avenida Civilização) e pela rodovia LMG-806.[6]

História editar

Seu primeiro nome era Campanhã, sendo distrito desde a promulgação da lei número 556.[7]

Inicialmente, Campanhã pertencia ao distrito de Venda Nova. No entanto, as terras que correspondem atualmente a Justinópolis foram elevadas à distrito em 30 de Agosto de 1911, resultando na separação dessas localidades. Tal feito deve-se à Antônio Justino da Rocha, político do partido Republicano, pois seus esforços foram essenciais para essa ascensão de categoria.[8] Nesse mesmo ano, com a criação do município de Contagem, Campanhã passou a constituir um dos seus distritos, contudo em 1938 foi transferida para o município de Betim.[9]

Após a abertura do presídio em Fazenda das Neves (atual Ribeirão das Neves) em 1938 iniciou-se a 1ª fase da expansão populacional de Campanhã devido sua proximidade com essa localidade.[7][10]

O distrito mais uma vez muda de município, sendo incorporado a partir de 1943 à Pedro Leopoldo.[8] Após várias reuniões dos representantes políticos, população e governador, Fazenda das Neves se torna município através da Lei nº 1.039, de 12 de dezembro de 1953, alterando seu nome para Ribeirão das Neves, sendo anexado ao seu território o povoado de Areias e o distrito de Campanhã com o nome alterado para Justinópolis.[11]

O nome Justinópolis foi escolhido em homenagem à Antônio Justino Rocha, que além de político era um próspero agricultor muito bem sucedido na região. Ele doou terras para construção da Paróquia de N. Srª. da Piedade, da escola estadual Prof. Guerino Casa Santa e do Cemitério Municipal.[12] Tendo grande quantidade de terras e muitos funcionários na sua alcunha Justino fundou a primeira penitenciária agrícola, que abrigava ex-funcionários infratores nas mais diversas modalidades, modelo esse que mais tarde foi copiado como exemplo de reinserção de pessoas à sociedade.[13]

Com a expansão populacional de Venda Nova, vetor norte da capital, inicia-se a 2ª fase da expansão populacional do distrito, agora chamado Justinópolis. O desenvolvimento da região (Justinópolis e Venda Nova) ocasionou a conurbação entre Ribeirão das Neves e o município de Belo Horizonte. Ademais, a abertura de um novo presídio na sede do município em 1960, também foi um fator marcante para esse fenômeno.[13] Por fim, devido à esse crescimento, houve duas tentativas de emancipação política do distrito, em 1988 e 1992, ambas fracassadas, porém discussões sobre o tópico ainda são constantes.[7][14]

O Distrito corresponde a 51% de toda a população da cidade, tendo seu centro econômico ao longo da Avenida Denise Cristina da Rocha, até a divisa com Belo Horizonte, no bairro Lagoa.[8] Historicamente, a região é uma produtora de hortaliças, destinadas ao mercado da Ceasa, bem como comércios especializados do Centro de Belo Horizonte, tais como o Mercado Central e Mercado Novo.[6] Atualmente, o setor industrial e comercial dominam a economia da localidade.[6]

Infraestrutura editar

 
Imagem de satélite destacando o distrito em relação a cidade

O distrito de Justinópolis apresenta-se como um local com bom acesso à empregabilidade, devido, principalmente, à existência de empresas no entorno e a facilidade de acesso a Belo Horizonte, Contagem, Santa Luzia, entre outros municípios.[15]

Além disso, sua proximidade ao distrito de Venda Nova é atraente para quem quer se beneficiar dos empregos e negócios que estão sendo criados desde a inauguração da cidade administrativa.[16] As atividades comerciais e de serviços se concentram ao longo da Avenida Denise Cristina da Rocha e se difundem pelos bairros da região.[6]

Educação editar

No que se refere à Política de Educação, existem na região:[6]

  • Trinta e uma escolas municipais, sendo que 10 são anexos.
  • 25 escolas estaduais.
  • 5 creches.
  • 12 escolas particulares.

Além destas, está localizada nesta região uma unidade do Núcleo de Atenção Psicopedagógica Infanto-Juvenil (NAPPI), que atende alunos com dificuldade de aprendizagem.[6]

 
Região de Justinópolis - Ribeirão das Neves

Saúde editar

Atualmente, a região é atendida na área da Saúde por:[6]

  • Uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA)
  • 3 Unidades Básicas de Referência (UBR)
  • 28 Unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF)
  • 1 Ambulatório de Saúde Mental.

Transporte editar

Acerca do transporte coletivo da região, a mesma é atendida por 74 linhas, sendo:[6]

  • 15 linhas municipais, do Sistema Integrado de Transporte de Ribeirão das Neves (SIT Neves).
  • 59 intermunicipais, administrado pelo DEER/MG, em sua maioria ligam os bairros até os Terminais Justinópolis e Vilarinho.

Em 2016 foi inaugurada o Terminal Justinópolis, do sistema MOVE Metropolitano. Suas linhas fazem trajetos pelas avenidas Cristiano Machado e Antônio Carlos e levam até o centro da capital, Estação Tupinambás, e região da área hospitalar, Estação Bernardo Monteiro.[5] Justinópolis também conta com duas cabines do Move, a estação UPA Justinópolis e a estação Lagoinha.[17][18]

 
Shopping Justinópolis

Em virtude da proximidade com a capital, rotineiramente os moradores se deslocam para Belo Horizonte buscando serviços médicos, culturais, dentre outras demandas existentes na região.[6]

Serviços Sociais editar

No que se refere à Política de Assistência Social, a região de Justinópolis conta com os seguintes serviços e programas:[6]

  • 4 Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).
  • 1 Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).
  • 1 Programa Capacita Neves.
  • 6 unidades de Inclusão Digital (Telecentros).
  • Uma unidade do Sistema Nacional de Emprego (SINE).
  • Uma unidade da Junta Militar.

Bairros editar

 
Monumento "Eu Amo Neves", na Praça da Matriz

Bairros de Justinópolis:[7]

  • Canoas
  • Jardim Alvorada
  • Soares
  • Rosimeire
  • Verônica
  • Xangrilá
  • Luana
  • Granjas Primavera
  • Conjunto Nova Pampulha
  • Nova Pampulha
  • Luar da Pampulha
  • Jardim de Alá
  • Tancredo Neves
  • Santa Margarida
  • Santana 1ª seção
  • Santana 2ª seção
  • Areias de Baixo
  • Areias de cima
  • Evereste
  • Botafogo 1ª Seção
  • Botafogo 2ª Seção
  • Labanca
  • Landi 1ª Seção
  • Landi 2ª Seção
  • Viena
  • Paraíso das Piabas
  • Esperança
  • Pedra Branca
  • Maria Helena
  • Menezes
  • Belo Vale
  • Jardim São Judas Tadeu
  • Felixlândia
  • Kátia
  • Fortaleza
  • Papine
  • Tocantins
  • Tony
  • Eliane
  • São Januário
  • São Miguel
  • Vera Lúcia
  • Tropical
  • Piedade
  • Cruzeiro
  • Atalaia
  • Jardim Primavera
  • Girassol
  • Sônia
  • João de Deus
  • Elizabeth
  • São José 
  • Urca 
  • Severina 
  • Lídice 
  • Flamengo 
  • Maracanã 
  • Santa fé
  • Laranjeiras 
  • Guadalajara 
  • Laredo 
  • Nossa Senhora das Neves 

Referências

  1. PNUD. «Atlas de Desenvolvimento Humano da Região Metropolitana de Belo Horizonte». Consultado em 23 de janeiro de 2008 
  2. «Sine em Justinópolis está com novo endereço». Governo do Estado de Minas Gerais. Consultado em 2 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 5 de junho de 2013. Os trabalhadores de Justinópolis, distrito de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte [...]. 
  3. [1]
  4. BATISTA, Anderson, pág. 12
  5. a b «MOVE Metropolitano em Vilarinho e Justinópolis | Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais - SEINFRA». transportes.mg.gov.br. Consultado em 1 de setembro de 2021 
  6. a b c d e f g h i j «Diagnóstico SocioTerritorial de Ribeirão das Neves» (PDF) 
  7. a b c d Elieth Amélia de Sousa. «Alternativas públicas não estatais para provisão de habitação popular: o caso do "Bairro Metropolitano", em Ribeirão das Neves» (PDF). trabalho académico da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Mestrado em Ciências Sociais: gestão das cidades. Consultado em 5 de Fevereiro de 2013 
  8. a b c Campos, Paola Rogedo (26 de agosto de 2009). «O município de Ribeirão das Neves: um 'bairro popular' em um centro metropolitano». Consultado em 1 de setembro de 2021 
  9. Redação. «História». RibeiraoDasNeves.net. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  10. SALGADO, Amorim. «Justinópolis, referências históricas». UFF. Metropolização e desigualdades: Notas sobre a dinâmica de crescimento populacional e a produção do patrimônio cultural da cidade de Ribeirão das Neves (MG - Brasil) 
  11. «Cultura Neves: História de Justinópolis». Cultura Neves. 20 de junho de 2013. Consultado em 5 de setembro de 2021 
  12. Redação. «História». RibeiraoDasNeves.net. Consultado em 1 de setembro de 2021 
  13. a b Anderson Batista Coelho (2000). «Vulnerabilidade sócio-juvenil em Ribeirão das Neves» (PDF). p. 11. Consultado em 5 de Fevereiro de 2013 , trabalho académico da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial
  14. Minas, Estado de; Minas, Estado de (13 de março de 2011). «Justinopolis ve na emancipacao a oportunidade de garantir melhorias no distrito». Estado de Minas. Consultado em 1 de setembro de 2021 
  15. «Metropolização e desigualdades: Notas sobre a dinâmica de crescimento populacional e a produção do patrimônio cultural da cidade de Ribeirão das Neves (MG - Brasil) | Ensaios». 6 de abril de 2017. Consultado em 15 de dezembro de 2021 
  16. Pinho, Gabriela de Faria (25 de janeiro de 2021). «Centralidade para além do capital? uma discussão acerca dos conceitos de território e identidade em Venda Nova, Belo Horizonte». Consultado em 15 de dezembro de 2021 
  17. «SINTRAM inaugura estação de transferência em Ribeirão das Neves». Ótimo. 7 de janeiro de 2022. Consultado em 27 de março de 2022 
  18. «ESTAÇÃO UPA JUSTINÓPOLIS». Ótimo. Consultado em 27 de março de 2022 

Ligações externas editar