Abrir menu principal
Küchendeutsch
Falado em: Namíbia
Total de falantes: 15 000
Família: Línguas Crioulas/Pidgin
 Pidgin de base alemã
  Küchendeutsch
Estatuto oficial
Língua oficial de: Nenhum Estado
Regulado por: A definir
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: B -/T -

Küchendeutsch (literalmente "alemão da cozinha", também em inglês Namibian Black German) é um pidgin de base lexical alemã falado na Namíbia (tal e qual como o unserdeutsch na Papua-Nova Guiné). Hoje é falado por aproximadamente 15 000 dos Namibianos, principalmente idosos e/ou antigamente empregados nos seus colonizadores - daí este termo, Küchendeutsch.

Muitas vezes os falantes dominam outrossim ou o africânder ou o alemão padrão.

Exemplos 
  • Lange nicht sehen, para dizer "Lange nicht gesehen" ("Faz tempo que não nos vimos")
  • Was Banane kosten?, para "Was kostet die Banane?" ("Quanto custa a banana?")
  • spät Uhr, para "zu später Zeit" ("a altas horas")
  • Herr fahren Jagd, nicht Haus, para "Der Herr geht zur Jagd, und ist nicht zu Hause" ("O senhor está a andar na caça e não está em casa")

O Küchendeutsch é com frequência um estímulo para os jovens da Namíbia que os leva para aprenderem o alemão como língua estrangeira a fim de poder compreender os seus avós.

No começo do século XX houve tentativas para desenvolver um alemão artificialmente simplificado com o fim de usá-lo nas colónias. Isto foi lançado por Emil Schwörer em 1916 sob o nome de Kolonialdeutsch ("alemão colonial"). Em oposição a esta ideia existiu igualmente o conceito do Weltdeutsch ("alemão mundial") de Adalbert Baumann, delineado como meio de comunicação internacional.

ReferênciasEditar

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em alemão, cujo título é «Küchendeutsch».

Ligações externasEditar

  A Wikipédia tem os portais: