Kam Air
https://en.wikipedia.org/wiki/Kam_Air#/media/File:Kam_Air_logo.png
IATA RQ
ICAO KMF
Indicativo de chamada KAMGAR
Fundada em 31 de Agosto de 2003
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional de Kabul
Outros centros
de operações
Aeroporto Internacional de Kandahar
Programa de milhagem Go Orange
Frota 17 [1]
Destinos 15
Sede Cabul, Afeganistão
Pessoas importantes Zmarai Kamgar (Fundador e CEO)
Sítio oficial www.kamair.com

Kam Air (Persa:کام ایر) é uma companhia aérea afegã, que tem sede em Cabul, Afeganistão . Ela opera serviços de passageiros domésticos programados e serviços internacionais regionais, é considerada a unica compania aérea de propriedade privada do Afeganistão, ou seja, que não seja estatal.

É famosa por ser a compania aérea mais perigosa do mundo, posto ocupado antes pela Air Koryo, da Coréia do Norte.

HistóriaEditar

A companhia aérea foi fundada em 31 de agosto de 2003 por Zmarai Kamgar. Foi a primeira companhia aérea privada de passageiros no Afeganistão. Seu primeiro voo decolou em 8 de novembro de 2003 em uma rota de Cabul para Herat e Mazari Sharif, usando um Boeing 727. O primeiro avião da Kam Air foi fornecido pelo general Abdul Rashid Dostum como pagamento pelo fornecimento de combustível e alimentos à milícia privada da Dostum, responsável por lutar contra o Talibã. A Kam Air tem sua sede no pátio "C" do Aeroporto Internacional Hamed Karzai, e, ao mesmo tempo, estava localizado no Centro de Negócios de Cabul em Shahr-e-Naw, onde uma bilheteria opera desde 2012. Zmarai Kamgar é o presidente e CEO, Farid Peykar, vice-presidente sênior, Timor Shahab, vice-presidente e chefe de operações de vôo, e Parwiz Kamgar, gerente financeiro. A Kam Air havia anunciado o lançamento das operações na Europa a partir de agosto de 2010, com Viena recebendo serviço, seguida por Londres (Gatwick). No entanto, de acordo com a Reuters, ambas as rotas foram supostamente canceladas pelas autoridades britânicas e austríacas devido a problemas de segurança de aeronaves. A partir de 24 de novembro de 2010, todas as companhias aéreas afegãs foram proibidas de voar para a União Europeia por causa do fraco histórico de segurança da aviação civil do país. Em 2017, a empresa alugou um avião 737 da Eslováquia com uma tripulação de 30 membros, mas o contrato foi rescindido depois que a empresa de leasing levantou questões sobre segurança no Afeganistão. Em janeiro de 2018, a Kam Air operava 90% dos voos domésticos no Afeganistão e era um dos maiores contribuintes do país. Em abril de 2017, a companhia aérea planejava expandir sua rede de rotas para incluir Toronto, Viena, Madri, Munique, Los Angeles, Xangai, Mumbai, Cidade do Cabo, Hangzhou, Hat Yai, Kuala Lumpur, Washington DC, Jidá, Jacarta, Kiev, San Francisco, Moscou e Frankfurt, No entanto, em 17 de agosto de 2017, os detalhes dessa expansão planejada foram removidos de seu site.

DestinosEditar

Em setembro de 2019, A Kam Air voa para um total de 15 destinos, sendo 7 domésticos e 8 internacionais.

Acordos CodeshareEditar

Ela possuí acordos codeshare com as seguintes companias:

  • Air Arabia
  • Malaysia Airlines

FrotaEditar

AtualEditar

A frota da Kam Air consiste nos seguintes aviões (em Agosto de 2019):

Kam Air
Aeronave Na Frota Encomendas Passageiros Notas
Airbus A340-300 4 0 346
ATR 42-500 1 0 42
Boeing 737-300 1 0 149
Boeing 737-400 2 0 156
Boeing 737-500 1 0 126
Boeing 767-200ER 1 0 199
McDonnell Douglas MD-83 2 0 165
McDonnell Douglas MD-87 2 0 125
Total 17 0

Antigos

Ela operou as seguintes aeronaves:

  • 1 McDonnell Douglas MD-82

Incidentes e acidentesEditar

Em 3 de fevereiro de 2005, o voo 904 da Kam Air, um Boeing 737-200 operado pela Phoenix Aviation, voando do Aeroporto Internacional Herat, no oeste do Afeganistão, desapareceu das telas de radar quando se aproximava do Aeroporto Internacional de Cabul com mau tempo. O desaparecimento desencadeou uma enorme operação de busca da ANA para os 96 passageiros e 8 da tripulação. Os destroços do avião foram encontrados em 5 de fevereiro de 2005 nas montanhas a leste de Cabul. Todas as 104 pessoas a bordo foram mortas.

Em 9 de agosto de 2009, um avião da Kam Air com destino ao Aeroporto Internacional Ürümqi Diwopu, na China, foi recusado a permissão para pousar e desviado para o Aeroporto Internacional de Kandahar, no sul do Afeganistão, após uma alegada ameaça de bomba anterior.

Em 11 de agosto de 2010, Douglas DC-8-63F YA-VIC sofreu um ataque de cauda na decolagem do aeroporto de Manston, no Reino Unido, destruindo uma luz de aproximação. A aeronave estava operando um voo internacional de carga para Buenos Aires, Argentina, através das Ilhas Cabo Verde. O incidente foi causado pelo excesso de peso da aeronave, 11.700 kg (25.700 libras), devido ao excesso de carga de combustível e estimativa incorreta da massa da carga. Depois de ser informada do acidente, a tripulação continuou a Cabo Verde. Uma inspeção confirmou o ataque, apesar de a análise do indicador de ataque mostrar que o avião ainda estava seguro. O incidente foi investigado pelo Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos, que fez várias recomendações de segurança. A Kam Air foi posteriormente proibida de operar na União Europeia. As três equipes envolvidas também foram demitidas e a Kam Air anunciou que retiraria seus dois DC-8s de serviço.

Em janeiro de 2018, a Kam Air informou que nove funcionários foram mortos em um ataque do Talibã em um hotel em Cabul - sete funcionários ucranianos e dois funcionários da Kam Air na Venezuela. A Kam Air havia alugado 50 quartos para seus funcionários estrangeiros no hotel, descrito como um dos "mais seguros de Cabul". Cinco eram pilotos e quatro eram tripulantes. Posteriormente, mais de 50 dos trabalhadores estrangeiros da companhia aérea deixaram o país e, em 26 de janeiro, cinco de suas nove aeronaves foram groundeadas devido à falta de tripulantes. Um grande número de vôos diários também estava sendo cancelado por esse motivo.

Ver tambémEditar

Referências

  Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.