Karl Lachmann

Karl Konrad Friedrich Wilhelm Lachmann (Brunswick, 4 de março de 1793Berlim, 13 de março de 1851) foi um filólogo e crítico alemão.

Karl Lachmann
Nascimento Karl Konrad Friedrich Wilhelm Lachmann
4 de março de 1793
Brunswick
Morte 13 de março de 1851 (58 anos)
Berlim
Sepultamento Berlim
Nacionalidade alemão
Cidadania Alemanha
Progenitores
  • Karl Ludolf Friedrich Lachmann
Irmão(s) Friedrich Lachmann, Heinrich Lachmann, Wilhelm Lachmann
Alma mater
Ocupação linguista, tradutor, filólogo clássico, professor universitário, German scholar, erudito clássico, filólogo
Empregador Universidade Humboldt de Berlim
Religião cristianismo

FormaçãoEditar

Quando ingressou no exército prussiano em 1815, Lachmann já havia estudado em Leipzig e Göttingen.[carece de fontes?]

TrabalhoEditar

Em 1825 passou a lecionar filologia em Berlim.[carece de fontes?]

ObrasEditar

Nos anos de 1816 e 1817, publicou trabalhos sobre os princípios fonéticos e métricos do alto alemão médio, elucidando-os.[carece de fontes?] Além disso, lançou as bases da moderna análise crítica de textos,[carece de fontes?] da qual é considerado fundador.

Dedicando-se ao estudo dos clássicos,[carece de fontes?] publicou Considerações sobre a Ilíada de Homero (1837), afirmando que esta obra compõe-se de dezesseis camadas básicas que, aumentadas ou sintetizadas, alternam-se e interpolam-se. Essa teoria (atualmente abandonada[carece de fontes?]) influenciou durante muito tempo a crítica de Homero.

Além de duas edições críticas do Novo testamento (1831 e 1842/50), Lachmann deixou Catullus, Tibullus (ambos de 1829), Genesius (1834), Terentianus Maurus (1836), Gaius (1841/42), entre outras obras.[carece de fontes?] Em 1829 traduziu Macbeth, de Shakespeare.[carece de fontes?] Lucretius, obra essencial para estudos latinos,[carece de fontes?] ocupou seus últimos anos.

 
Sepultura de Lachmann no Dreifaltigkeitskirchhof II em Berlim
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.